Diário Online

Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$
DISPUTA

Gerson Nogueira destaca os muitos artilheiros do Parazão

Se por um lado temos muitos empates, de gols não podemos reclamar

sexta-feira, 23/04/2021, 08:53 - Atualizado em 23/04/2021, 10:08 - Autor: Gerson Nogueira


um dos 6 gols de Dioguinho no Parazão.
um dos 6 gols de Dioguinho no Parazão. | Samara Miranda/Ascom Remo.

A vez dos artilheiros

Fora de disputas oficiais há oito anos, o clássico PSC x Tuna, que será disputado amanhã, na Curuzu, após ter sido adiado há duas semanas (vale pela 5ª rodada do Parazão), tem um aspecto que o valoriza ainda mais. Estará em jogo a liderança da artilharia do campeonato, visto que dois dos principais goleadores – Nicolas e Paulo Rangel – estarão em campo.

O embate entre artilheiros ganha interesse à parte em meio ao torneio deste ano, situação contrária ao ocorrido nos últimos anos, quando a participação dos atacantes ficou até em segundo plano – Michel, lateral do Paragominas, foi o maior anotador de 2019, com apenas 5 gols.

A indigência ofensiva normalmente denuncia o baixo nível técnico dos campeonatos. O que, de fato, verificou-se nas últimas temporadas. Como o certame é de tiro curto, realizado em 14 datas, há uma progressiva redução de jogos, o que naturalmente puxa para baixo o índice de gols marcados.

Desta vez, o apetite de gols tem se espraiado por vários times, deixando de se concentrar nos principais concorrentes ao título. Disputadas sete rodadas, a liderança está com o novato Cris Maranhense, do Bragantino, com sete gols marcados. O lado curioso é que Cris marcou quatro de seus gols numa partida só, contra o Paragominas, domingo passado.

Ontem, contra o Tapajós, Cris marcou novamente no empate (2 a 2) contra o Tapajós. A vantagem sobre o azulino Dioguinho (6 gols) só corre riscos pela posição do Bragantino, que tem oito pontos ganhos no Grupo A e ainda não assegurou presença nas quartas de final do Parazão.

Cris chegou sem nenhuma badalação por aqui e repete, de certa forma, a trajetória de Michel e de outros atletas de times interioranos em campeonatos passados, como Pecel e Aleilson.

Dioguinho cumpre campanha impecável, não só por fazer gols, no time do Remo. Tornou-se peça de confiança do técnico Paulo Bonamigo, cumprindo com desembaraço diferentes funções táticas e mostrando um alto nível técnico tanto na construção quanto na definição de jogadas. Ex-jogador do Castanhal, Dioguinho é um dos destaques do Parazão.

Nicolas vem logo a seguir, com cinco gols. Artilheiro de 2020, com 10 gols, ídolo e principal jogador do Papão, o atacante tem sido prejudicado pelo baixo rendimento do setor criativo, além das dificuldades de entrosamento observadas no início do trabalho do técnico Itamar Schulle.

Além dos problemas estruturais do time, Nicolas atravessa um período de dúvidas em relação ao seu futuro no Papão. Assediado por propostas de clubes que disputam a Série B (Vasco e Goiás), chegou a entrar na alça de mira da torcida, após a eliminação da Copa do Brasil para o CRB.

Com quatro gols, está o cruzmaltino Paulo Rangel, aproveitando a fase ascendente da Tuna. Depois de um mau começo, a Águia acaba de marcar a maior goleada do torneio, 6 a 1 sobre o Gavião. Com o time começando a engrenar, as individualidades aparecem.

Outros quatro atacantes estão na briga. Renan Gorne, do Remo, teve um início auspicioso e depois ficou quatro jogos sem marcar. Contra o Castanhal, anteontem, reencontrou o rumo das redes, mas acabou expulso, o que prejudica momentaneamente seu esforço de recuperação.

A boa campanha do Independente coloca dois jogadores na lista: Railson e Danrlei, ambos com quatro tentos. O problema é que o baionense Danrlei sofreu lesão séria e não deve mais atuar na competição. Por outras razões, Luan, do Gavião, também com quatro, está fora do campeonato.

O fato é que há muito tempo não se via um campeonato tão movimentado e tão generoso na oferta de gols. Bom sinal.

Direto do blog campeão

“A tentativa de criar uma Superliga escancarou uma moléstia do futebol atual: a dos times que deixaram de ser clubes para ser propriedades de alguns endinheirados. Nesse quesito os ingleses estão na frente. Chelsea e Liverpool apresentaram ao distinto público seus proprietários, com destaque para o segundo, cujo cap americano vivia nas sombras até então. Movimentam cifras biliardárias na compra e venda de jogadores, inclusive barangas bem empacotadas, sem a devida transparência da origem dos recursos. Deixam margem para suspeita de lavagem de dinheiro. Por linhas tortas, os grandes tentaram se livrar dos grilhões da Uefa que, como as suas similares, dão as cartas no futebol e ficam com a parte do leão. Os clubes cabeças do movimento foram acusados de tentar formar um cartel. Seria um cartel para confrontar outro cartel, a Uefa”. Miguel Silva

Paraná tem primeira tentativa de fraude de exames

A Federação Paranaense de Futebol informou que o Cascavel tentou falsificar exames RT-PCR para a detecção de covid-19 antes da partida contra o Athletico-PR, ontem, na Arena da Baixada. O Furacão venceu o jogo por 3 a 1. Em função da ocorrência, quatro jogadores – zagueiros Lapa e Castro, volante Enzzo e meia Gabriel Oliveira – foram afastados do jogo após a constatação de "indícios de falsificação".

A federação acionou o laboratório responsável, que confirmou que os jogadores não fizeram testes nas datas citadas. Lapa, Castro e Oliveira, aliás, seriam titulares caso a fraude não tivesse sido notada. Chegaram a aquecer no campo, mas foram retirados pelo delegado da partida. O caso será direcionado ao Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná.

A ocorrência é grave e deixa no ar a suspeita de que a violação pode ter sido tentada ou efetivada em outros Estados. Autoridades devem ficar em alerta fiscalizando relatórios e o cumprimento de protocolos.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS