Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
25°
cotação atual R$
Brasil

Raio-X do Peru, terceiro adversário do Brasil na Copa América

sábado, 22/06/2019, 08:25 - Atualizado em 22/06/2019, 08:25 - Autor:


Sequência. Essa é a palavra da vez na seleção do Peru, adversária do Brasil neste sábado, às 16h (de Brasília), na Arena Corinthians, em São Paulo. Depois de voltar a participar de uma Copa do Mundo, algo que não acontecia há 36 anos, na Rússia em 2018, Los Incas chegam à Copa América realizada no Brasil como uma das possíveis surpresas e apostando na manutenção da base.

Contratado no início de 2015, Ricardo Gareca terá novamente o Brasil pela frente em uma fase de grupos da Copa América. Na edição realizada no Chile, a Seleção Brasileira levou a melhor ao vencer por 2 a 1, com gols de Neymar e Douglas Costa. Em 2017, por sua vez, os peruanos levaram a melhor e instauraram a crise no Brasil, que culminou na demissão de Dunga e na chegada de Tite.

Nos amistosos após a disputa da Copa América, o aproveitamento do Peru é de 50%. No primeiro compromisso, os comandados de Gareca venceram o Paraguai por 1 a 0. Na sequência, o time perdeu para El Salvador por 1 a 0, triunfou diante da Costa Rica por 1 a 0 e encerrou a preparação para a competição em solo brasileiro perdendo para a Colômbia por 3 a 0.

Membro do grupo A junto a Brasil, Peru e Bolívia, Los Incas estrearam na Copa América com um empate sem gols frente aos venezuelanos em Porto Alegre. No segundo compromisso, os peruanos contaram com grande atuação de Guerrero, autor de um gol e uma assistência, e venceram a Bolívia, de virada, por 3 a 1 no Maracanã, no Rio de Janeiro.

O craque

A principal referência técnica e, ao mesmo tempo, a esperança de gols da seleção peruana é o atacante Paolo Guerrero. Conhecido do futebol brasileiro pelas passagens por Corinthians, Flamengo e Internacional, o capitão de Los Incas já vestiu a camisa de seu país em 95 oportunidades e anotou 37 gols. A maioria deles, no entanto, foi marcada em amistosos (13).

Guerrero é o principal jogador do Peru (Foto: Carl DE SOUZA / AFP)

A Copa América em solo brasileiro, inclusive, é a quinta de Guerrero, que também arcou presença nas edições de 2007, 2011, 2015 e 2016. Foi no ano de 2011, no entanto, que ele teve seu melhor desempenho. Na Argentina, o atacante foi o artilheiro da competição e marcou cinco gols. O Peru, no entanto, caiu para a Venezuela na fase quartas de final.

Na atual edição, Paolo Guerrero balançou as redes apenas uma vez, justamente na vitória sobre a Bolívia, pela segunda rodada, no Maracanã, no Rio de Janeiro. Além do tento, o atacante contribuiu com uma grande atuação, dando assistência e participando efetivamente das principais jogadas ofensivas da equipe comandada por Ricardo Gareca.

O técnico

Natural de Tapiales, na Argentina, Ricardo Gareca assumiu o comando da seleção peruana seis meses depois de deixar o Palmeiras, seu primeiro e único trabalho em solo brasileiro. A fim de estruturar o time para a tentativa de classificação para a Copa do Mundo da Rússia, o treinador não só conseguiu recolocar o país no Mundial depois de 36 anos, como estabeleceu um trabalho consolidado.

Jogador profissional entre 1978 e 1994, Gareca encerrou sua carreira no Independiente, da Argentina, para dar início à trajetória à beira do campo. Seu primeiro clube foi o Talleres, onde conquistou a segunda divisão do campeonato argentino de 1997-98. Depois passou por diversos clubes de seu país natal, antes de dirigir o America de Cali, da Colômbia, e o Universitário, do Peru.

Ricardo Gareca segue realizando um bom trabalho à frente do Peru (Foto: Jeferson Guareze / AFP)

Sob o comando do Peru, Gareca conseguiu um terceiro lugar na Copa América de 2015. E para o retorno ao Mundial e à Copa América, a aposta do treinador é na manutenção da base. Dos 11 titulares que enfrentaram a Bolívia, apenas a dupla de zaga formada por Abram e Zambrano não esteve em solo russo. Dos demais, todos participaram, entre eles nomes como Cueva, Farfán e Guerrero.

Desde que assumiu a seleção peruana, Gareca dirigiu o time em 58 jogos, com 26 vitórias. No entanto, construiu um trabalho reconhecido e exaltado, aproveitando os talentos do país distribuídos ao redor do mundo e formando um time consolidado. Entre eles está Cueva, com passagem pelo São Paulo e atualmente no Santos, onde ainda não atingiu as expectativas.

Confira o desempenho do Peru pós-Copa do Mundo:

22/3/2019 – Peru 1 X 0 Paraguai
26/3/2019 – Peru 0 X 2 El Salvador
5/6/2019 – Peru 1 X 0 Costa Rica
9/6/2019 – Peru 0 X 3 Colômbia

Fonte: Gazeta Esportiva

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS