Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$

Esporte / Esporte Pará

Esporte Pará

Polyana é Pará! Dama de Ferro fala da tentativa de assalto e de volta por cima no UFC

quarta-feira, 27/02/2019, 17:19 - Atualizado em 27/02/2019, 17:34 - Autor:


O Pará e o Brasil conheceu Polyana Viana, a Dama de Ferro, durante o UFC Belém. Ela subiu no octógono no dia 03 de fevereiro de 2018, e aos 3min50 aos encaixou um mata-leão e finalizou a americana Maia Stevenson na sua estreia na organização e diante dos seus conterrâneos.




Para algumas pessoas, entretanto, a paraense de São Geraldo do Araguaia ficou conhecida após o episódio em que ela imobilizou um ladrão que tentou roubá-la. Mas engana-se quem pensa que a “fama” mudou Polyana, ela logo adianta: “Minha vida não mudou em nada, continuo focada em meu sonho”.


Em entrevista exclusiva ao DOL, direto de Las Vegas, a lutadora contou da sua preparação e dos seus dois momentos no UFC. No sábado (02), a Dama de Ferro luta contra a americana Hannah Cifers, no UFC 235.


Aos 26 anos de idade, a paraense vem de uma derrota para a americana JJ Aldrich. “Não tava muito bem de cabeça nessa luta, tive alguns problemas durante o meu camp, mas agora tudo vai voltar a ser como foi na minha estreia. Estou bem preparada”, contou.


As duas experiências de Polyana foram com americanas, a próxima será também. “Como todo lutador, meu sonho também é de ser campeão e representar o Brasil no mundo, disputar cinturão”, antecipou.


A paraense tem um cartel com dez vitórias e apenas duas derrotas na carreira, ela soma quatro nocautes e outros seis por finalização na carreira. As suas duas derrotas foram decididas pelos juízes.


Ela mora atualmente longe da família, e sua maior saudade é o filho David. Depois dos dois confrontos no Ultimate e da visibilidade o episódio do ladrão, ela virou o xodó dos brasileiros. Além disso, Polyana é daquelas queridinhas da web, presente nas redes sociais. A paraense é só simpatia e bom humor no seu perfil no Instagram.




“Eu sempre tive o apoio dos paraenses desde quando eu luta Jungle, mas despois da minha estreia aumento muito”, disse.


“Fiquei bastante conhecida fora do Brasil, ganhei vários seguidores, mas a minha vida não mudou em nada. Continuo focada no meu sonho e em dar uma melhor para a minha família. Na verdade só a mídia que aumentou”, explicou a paraense. 



Quando ela fala em relação a visibilidade também é sobre a repercussão da tentativa de assalto que ela sofreu. Um homem chamado Max Gadelha Barbosa tentou assaltar a paraense em janeiro no bairro do Pechincha, em Jacarepaguá, zona oeste do Rio de Janeiro. Ela percebeu a ação e reagiu. O bandido ficou completamente desfigurado após Polyana deferir muitos socos e um chute nele. Ela conseguiu imobilizar o homem e esperou pela polícia.


UFC 235


Polyana enfrenta a americana Hannah Cifers, que também tem 26 anos de idade, no UFC 235. Ela possui um cartel com 11 lutas na carreira, com oito vitórias e três derrotas. Cifers estreou na organização com derrota para Maycee Barber, no UFC Denver, em 2018. Das suas oito vitórias, cinco foram por nocaute, e três por pontos.


“É uma boa oponente. Já estudei um pouco os erros e acertos dela. Cifers é boa lutadora, ou seja, para mim nesse momento é uma ótima luta”, finalizou Polyana.


Agora, é só separar o lugar na frente da televisão e esperar o confronto. Polyana Viana faz a primeira luta do evento, que ocorre no sábado (2) e tem início às 20h30 (horário de Brasília). Vale lembrar que a luta principal do evento é entre Jon Jones x Anthony Smith, no peso-meio-pesado.


Visualizar esta foto no Instagram.

On deck. #UFC235

Uma publicação compartilhada por ufc (@ufc) em





(Bruna Dias/DOL)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS