Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis


25°
R$

Esporte / Esporte Pará

Esporte Pará

Hoje é dia de secar o CRB. Entenda as chances do Papão

sexta-feira, 16/11/2018, 07:33 - Atualizado em 16/11/2018, 07:34 - Autor:


Ainda em clima de euforia pela surpreendente reação do time na reta final da Série B do Brasileiro, estando há cinco partidas invicto, com três vitórias e dois empates, a torcida do Paysandu volta todas as suas atenções, hoje, para a cidade de Londrina, no Paraná, onde a equipe da casa, o Londrina, enfrenta, a partir das 20h30 (horário de Belém), o CRB-AL, pela 37ª rodada do campeonato. O interesse dos bicolores pelo resultado do jogo se justifica pelo fato do time alagoano ser o principal concorrente do Papão na acirrada briga para evitar o rebaixamento à Série C do ano que vem.


Os bicolores deverão acompanhar a partida, seja pelo rádio, televisão ou internet, de calculadora nas mãos, torcendo por uma vitória, claro, do Londrina, equipe que, faltando duas rodadas para o fim da Série B, ainda busca o acesso à Série A do Brasileiro. A equipe da região Sul é sexta colocada na classificação, com 55 pontos, apenas dois a menos que o Goiás-GO, último colocado do G4 e que só entra em campo amanhã, quando enfrentará o Boa Esporte-MG, já rebaixado, em Varginha, Minas Gerais.


Mas, o que mais importa mesmo à Fiel, sem dúvida, é a situação do CRB. Os alagoanos ocupam a 17ª colocação, com 42 pontos, apenas um a menos que o Papão, que é o primeiro time fora da zona de morte, com 43 pontos, na 16ª colocação. Um simples empate entre Londrina e CRB já será decisivo para mandar de volta o Paysandu à última parte da classificação, visto que o Galo se igualaria a pontuação do Papão, mas levaria vantagem no segundo critério de desempate (no primeiro as equipes estão empatadas com 10 vitórias, cada), no caso, o saldo de gols, que aponta a vantagem dos alagoanos: -6 a -8.


O Londrina entra em campo carregando o favoritismo para vencer do jogo, de acordo com as projeções do site Chance de Gol. São 54 % de possibilidades de vitória do time da casa, contra 18.8 % do visitante, com 27.2 % para o empate. Além da “secação” em cima do CRB, os bicolores também estarão atentos aos jogos do Criciúma-SC e do Oeste-SP, outros concorrentes, mas em menor grau, na briga para evitar a queda.


O técnico João Brigatti e os jogadores do Papão prometem torcedor pelo Tubarão. “Tenho certeza que os concorrentes estavam ‘secando’ a gente e agora é a nossa vez de ‘secar’ eles. CRB, Criciúma, Oeste, todos os que estão envolvidos nessa parte do rebaixamento”, afirmou o apoiador Pedro Carmona. “Vamos torcedor contra. Não tem jeito. Alguém tem de perder”, avisou o jogador, assim que desembarcou em Belém na volta do time de Florianópolis.


Time nunca deixou de acreditar


A confiança na recuperação do time, que já era dado como rebaixado, chegando a ter, nos sites especializados, pouco mais de 90% de possibilidade de disputar a Série C de 2019, de acordo com o atacante Magno, foi o que mais pesou para que o Papão esteja hoje com menos de 50% de chance de ser rebaixado. Segundo ele, o elenco “nunca deixou de confiar na recuperação do time” e o resultado está sendo mostrado ao torcedor.


“É uma questão de acreditar. Sabíamos que é difícil, mas confiamos que a gente daria a volta por cima e estamos conseguindo isso”, disse. O jogador ressaltou, porém, que nada está decidido ainda e que o jogo do dia 24, contra o Atlético-GO, será decisivo. “Agora temos um jogo-chave no qual podemos garantir a nossa permanência na Série B”, salientou. “É o último jogo da temporada. É um jogo que vale muito não só pra gente, mas pra todo mundo, para a torcida, a diretoria e o planejamento do Paysandu. Então sabemos que é um jogo de extrema importância”, ratificou.


Da mesma maneira que os demais jogadores do elenco, Magno prometeu dar uma “secada” no CRB-AL, hoje, contra o Londrina-PR. “Assim como eles (concorrentes) ‘secaram’ a gente, é normal que a gente acompanhe os jogos deles, dando uma ‘secada’ no concorrente”, observou. De acordo com o jogador, o grupo bicolor está fazendo por onde permanecer na Segundona na próxima temporada. “Acho que todos nós somos merecedores da permanência do Paysandu na Série B”, analisou.


Carmona tem se redimido com a Fiel


Depois de conviver com muitas críticas, o meia Pedro Carmona tem tudo para encerrar junto com o Paysandu a participação na Série B deste ano em alta cotação. O atleta tem sido um dos principais nomes do time bicolor na luta para evitar o descenso da equipe à Série C de 2019. Foram dele as assistências que determinaram as suadas vitórias conseguidas, na reta final das partidas, contra o Oeste-SP, em Belém, e Figueirense-SC, em Florianópolis, colocando a bola na cabeça dos zagueiros Diego Ivo e Fernando Timbó.


“Em uma semana pude ver o nosso goleiro duas vezes na área do adversário. Acho que isso nunca mais vai acontecer novamente”, comentou Carmona, na chegada do time a Belém, procedente da capital de Santa Catarina, na última quarta-feira. O meio-campista se disse satisfeito pela volta por cima que vem sendo dada pelo Papão no campeonato. “Estou contente pela nossa reação, mas ainda falta mais um jogo, mais uma batalha. Tem tudo para dar certo, mas com os pés no chão”, disse.


Além das assistências decisivas saídas dos pés do apoiador, Carmona ainda balançou a rede dos adversários nos últimos jogos, marcando contra o Oeste-SP e Figueirense-SC, este o quarto gol do jogador na Série B. No total, Carmona já fez oito gols com a camisa do time em 36 partidas, a maioria deles sem jogar os 90 minutos.


“Decisão” na Série B será disputada na Curuzu


“O jogo será na Curuzu. Está decidido.” A afirmação foi feita, ontem, pelo vice de gestão e futuro presidente do Paysandu, Ricardo Gluck Paul, se referindo à partida do dia 24, contra o Atlético-GO, pela última rodada da Série B do Brasileiro. Havia a especulação de que a partida fosse transferida para o Mangueirão, que comporta um maior número de torcedores, cujo peso poderá ser da maior importância para a permanência do Papão na Segundona em 2019. Mas, a decisão, conforme informou Gluck Paul, já foi tomada pela diretoria bicolor.


De acordo com o vice do Papão, a decisão foi tomada sem que houvesse a necessidade de algum tipo de encontro entre os cartolas do clube. “Todos os nossos jogos estão sendo na Curuzu, então já havia uma decisão”, declarou o dirigente, informando, ainda, que os contatos entre os integrantes da diretoria se deram por meio do celular. “Usamos o WhatsApp para conversarmos entre a gente”, explicou. Gluck Paul admitiu, no contato com o Bola, que o clube ainda não tomou nenhuma decisão sobre alguma promoção para atrair um grande público ao jogo.


“É o presidente (Tony Couceiro) quem vai decidir alguma coisa, provavelmente no final de semana”, detalhou o vice. A expectativa é de que a Curuzu receba um grande público, superior aos que foram registrados nos últimos jogos do time em sua própria casa. “Nós precisamos muito do apoio da torcida para conseguir a vitória. No último jogo temos que lotar”, ressaltou Couceiro.


(Nildo Lima/Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS