Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
23°
cotação atual R$

Esporte / Esporte Pará

Esporte Pará

Chapa de Manoel Ribeiro está sob ameaça no Remo

quarta-feira, 17/10/2018, 08:44 - Atualizado em 17/10/2018, 11:18 - Autor:


A reeleição de Manoel Ribeiro ao posto de presidente do Clube do Remo pode estar ameaçada. Após o pedido duplo de impugnação por parte do associado Antônio Alexandre Câmara Monteiro, na última quinta-feira (11) e segunda-feira (15), solicitando o impedimento do Marechal e do seu candidato a vice-presidente Hilton Benigno, a Junta Eleitoral da agremiação acatou a solicitação depois de análise dos documentos. Das três chapas inscritas para o pleito de novembro, a da situação foi à única que sofreu negativa. A lista oficial foi divulgada no começo da noite de ontem, no site oficial do clube.



A informação caiu como uma bomba pelo lado azulino, uma vez que o próprio presidente da comissão eleitoral, João Moscoso; e o presidente da Assembleia Geral, Robério Abdon D’Oliveira, tinham previamente dito que os argumentos, em um primeiro momento, não seriam suficientes para a anulação da chapa.


MOTIVOS


No caso de Manoel Ribeiro, as motivações vão além do seu trabalho à frente da instituição.


Conforme a papelada protocolada pelo impugnante, Manoel Ribeiro foi condenado em duas oportunidades distintas pelo Tribunal de Contas da União (TCU), por ter causado prejuízo aos cofres públicos da União Federal, conforme o Diário Oficial da União (DOU). O ocorrido teria acontecido na época em que o Marechal esteve à frente da 2ª unidade de Infraestrutura Terrestre do DNIT. As condenações, de acordo com o documento, ocorreram em 30 de janeiro de 2013; e 20 de novembro do mesmo ano. Sendo assim, com tal retrospecto, o candidato não poderia concorrer ao cargo máximo da instituição remista.


Ao Bola, ciente da impugnação, Manoel Ribeiro foi ligeiro nas palavras. “Isso tudo é uma palhaçada. Estão com medo antes da votação, é um bando de mentira. Uma mentira pior que a outra. Vamos entrar com o recurso e vamos provar o contrário”, prometeu.


Já sobre o vice da chapa, Hilton Benigno, a justificativa é o número excessivo de faltas na época em que esteve no Conselho Deliberativo (Condel), algo que causou a eliminação dele do corpo de conselheiros. De acordo com Hilton, de fato as faltas ocorreram. “Realmente precisei me ausentar de algumas reuniões, não nego isso. Mas isso ocorreu porque no trajeto eu fui nomeado comandante da PM. Eu avisava que não tinha como conciliar. Além do mais, o nosso estatuto está claro que a participação ao Codir não será impedimento, porque fiz parte do outro conselho. Encaro de forma serena o pedido do associado e vamos entrar com o recurso”, disse. 


Aqui você vai encontrar materiais esportivos de todas as marcas. Camisas de grandes clubes nacionais e internacionais. Acesse e confira!


PARA ENTENDER


-  A chapa 10, composta por Manoel Ribeiro e Hilton Benigno, concorrentes do pleito azulino aos cargos de presidente e vice, respectivamente, foi impugnada ontem à noite pela Junta Eleitoral da agremiação. A impugnação atende reclamação do associado Antonio Alexandre Câmara Monteiro, que solicitou a invalidade da inscrição da chapa. 


- Ribeiro e Benigno têm 48h para entrar com recurso, a partir da impugnação. Além deles, nove dos 94 inscritos para concorrer a uma vaga no Condel também foram impugnados. O tempo para defesa é o mesmo. As duas chapas inscritas para fazer parte da Assembleia Geral foram aprovadas.


(Matheus Miranda/Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS