Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
28°
cotação atual R$

Esporte / Esporte Pará

Esporte Pará

Leandro Carvalho e seu histórico de indisciplina

quarta-feira, 28/06/2017, 09:41 - Atualizado em 28/06/2017, 09:43 - Autor:


Espécie de “pedra preciosa” burilada na base do Paysandu, onde chegou ainda garoto, levado pelos pais, que viam no filho talento para se transformar, no futuro, em um grande craque, o atacante Leandro Carvalho, 22 anos, aos poucos vai minando sua carreira, com tantos atos de indisciplina, seguindo o exemplo de tantas outras grandes promessas do futebol que se perderam no meio da fama. O comportamento, nada exemplar do atacante, parece cada vez mais prestes a detonar uma “bomba relógio”, que acabe por jogar pelos ares a carreira do jogador.


 Encostado no elenco do Papão, por ter cometido uma série de atos indisciplinares nos últimos meses, Carvalho tem o futuro incerto na Curuzu. O jogador chegou a ser pretendido pelo maior rival bicolor, o Remo, mas o mais provável é que ele seja emprestado a uma equipe de Portugal, que seria o Paços de Ferreira. Caso a negociação seja viabilizada pelo empresário do atacante, o ex-jogador Flávio Goiano, a cria bicolor levará para o futebol do exterior um currículo pontuado por insubordinação.


 DOR DE CABEÇA


 De março pra cá, segundo uma fonte bicolor, Carvalho já deu muita dor de cabeça aos dirigentes do Papão. O presidente Sérgio Serra foi o único que bancou a permanência do jogador, que esgotou a paciência do gerente de Futebol, Fernando Leite, do executivo de Futebol, André Mazzuco, e até mesmo do ex-técnico Marcelo Chamusca. Os demais diretores também não suportam mais a sequência de atos irresponsáveis cometidos pelo atacante, tampouco os outros jogadores do elenco, que repudiam tais atitudes. De início, ele até parecia ter abandonado o antigo comportamento. Tudo ilusão.


 Do simples atraso para o almoço ao lado dos companheiros, até a ausência em treinos do elenco, a ficha de Carvalho registra os mais diversos tipos de indisciplina. E o comportamento não se restringe ao dia a dia na Curuzu. Em 2016, ele chegou a ser emprestado ao Carajás, mas em um mês, segundo o ex-presidente do Papão e arrendatário do time do Outeiro, Luiz Omar Pinheiro, o jogador faltou a mais de 20 treinos. Na Tuna, onde disputaria a Segundinha, o atacante fez pior: faltou a própria apresentação.


‘Conselho todo mundo já deu’, diz Augusto Recife


 Um dos jogadores mais experientes do elenco do Paysandu, com passagens por dez clubes, entre eles Flamengo-RJ, Internacional-RS e Cruzeiro-MG; o volante Augusto Recife, 33 anos, tem maturidade para falar de cátedra sobre a situação de Leandro Carvalho, companheiro de trabalho na Curuzu.


 “O Leandro tem um potencial enorme, tendo tudo para ganhar o mundo e ser conhecido mundialmente”, elogiou Recife, ao ser questionado, na última terça-feira (27), sobre o fato do companheiro vir treinando separado do restante do elenco. “O Leandro não depende de mim, Augusto Recife, e nem dos outros jogadores, mas sim dele querer. Não só eu, mas outros jogadores também já aconselharam muito ele”, contou. “Ele tem vários exemplos não só daqui da cidade de Belém. Não falo só na carreira do futebol, de jogador profissional, mas até de outras áreas. Pessoas que já tiveram oportunidades e não souberam aproveitar. Ele está tendo a oportunidade, mas cabe a ele o querer e o desejo”, apontou. “Conselho todo mundo já deu”, concluiu.



Empresário nega saída e diz que críticas são exageradas


- De acordo com o empresário do atleta, Flávio Goiano, a situação criada em cima do jogador, não tem fundamento. “Nada disso procede. Não tem proposta nenhuma, ninguém nos procurou. O atleta é do clube e, caso ele não esteja sendo escalado, é um opção do treinador”, disse. “Enquanto não chegar nada para o clube ou para nós, é especulação”, detalhou o empresário.


- Sobre as críticas ao comportamento de Leandro nos bastidores, Goiano classifica como “exagero”, decorrente do passado do atleta que é “um dos principais nomes do time na temporada”, disse. “Tudo já foi resolvido internamente”, assegura. 


- O empresário preferiu não liberar Leandro para falar com a reportagem.


LEANDRO CARVALHO - ROSÁRIO DE PROBLEMAS


 - Faltou ao treino do elenco, após o Re-Pa do dia 26 de março, valendo pelo Parazão 2017. 


 - O jogador estava em tratamento no Departamento de Saúde do clube e, de repente, chegou a Curuzu com um dos pés inchado, sem apresentar justificativa convincente.


- O jogador havia sido convidado, com antecedência, para uma entrevista ao Bola na Torre (programa da RBATV), mas não compareceu à emissora por estar em Santa Bárbara. Justificou a ausência em uma mensagem de áudio.


- O atleta é recordista de multa entre os jogadores do clube. A punição vai da menor insubordinação, como chegar atrasado ao almoço, até a mais relevante, que é não comparecer a treinamento.


- Faltou a um treino, após a derrota pro Guarani-SP, alegando que foi comunicado por mensagem, mas esse é um procedimento padrão e sempre funcionou assim. Ele foi o único ausente, apesar de ter visualizado a mensagem às 21h15 do dia anterior.


- Em 2016, emprestado à Tuna Luso, deu uma de Tim Maia, e no dia de sua apresentação não deu a cara na Vila Olímpica, levando o clube a desistir de tê-lo em seu elenco.


- Também no ano passado, foi cedido ao Carajás, na época arrendado pelo ex-presidente bicolor Luiz Omar Pinheiro, mas em um mês, segundo informou o dirigente, faltou a mais de 20 dias ao trabalho. 


(Algumas informações foram apuradas com fontes ligadas ao Paysandu que não quiseram se identificar)



Novo técnico sabe o histórico


Nem bem “desembarcou” na Curuzu, o novo técnico do Paysandu, Marquinhos Santos, apresentado à imprensa na última segunda-feira (26), já encontrou logo de cara um bom motivo para bater cabeça: a permanência ou não do atacante Leandro Carvalho no elenco do clube. O comandante bicolor revelou que já acompanhava a trajetória do atleta, à distância. O treinador, assim como seus antecessores no cargo e que conviveram com Carvalho, rasgou elogios ao talento do atleta. “Tem potencial imenso, qualidade muito boa de jogo”, avaliou. Mas, em contrapartida, foi realista ao falar sobre o aspecto disciplinar. “O Leandro foi alçado ao profissional muito cedo e nesses três anos de profissional acabou cometendo alguns equívocos, erros disciplinares”, constatou.


Marquinhos vê futuro nebuloso para Carvalho, caso ele não mude. “Se este atleta não amadurecer, corrigir os erros socialmente, dificilmente alcançará o sucesso na sua carreira.”, sentenciou, num discurso diferente apenas nas palavras, mas bem parecido no teor proferido por outros treinadores.


IMAGEM ARRANHADA - EX-TÉCNICOS X CARVALHO


- Os últimos treinadores que passaram pelo Paysandu, incluindo Marcelo Chamusca, o mais recente deles, deixaram o clube levando uma imagem nada positiva de Leandro. 


- O treinador Dado Cavalcanti, que esteve à frente do Papão em 2015 e 2016, chegou a determinar o afastamento do atleta do elenco.


- Antes de Dado, Mazola Júnior também excluiu o jogador do elenco, após este faltar a tratamento médico e, depois, a treinamento. 


- Este ano, Chamusca, logo em sua chegada à Curuzu, foi informado sobre a situação do atleta, mas acabou acreditando que poderia dar uma guinada na carreira do jogador na base da conversa, que não foram poucas, mas também teve problemas.


(Nildo Lima/Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS