Diário Online

Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
28°
cotação atual R$
SÓ UM DETALHE...

"Paysandu criou mais, mas não aproveitou", diz Schülle

Para o técnico do Papão, o time bicolor criou mais chances de gol do que o Remo, mas não conseguiu aproveitá-las

segunda-feira, 05/04/2021, 09:56 - Atualizado em 05/04/2021, 09:56 - Autor: Tylon Maués/ Diário do Pará


Nicolas guardou duas bolas, mas não foi suficiente para o Paysandu
Nicolas guardou duas bolas, mas não foi suficiente para o Paysandu | Wagner Santana/ Diário do Pará

Diz-se que os clássicos são decididos nos detalhes. E foi justamente nas filigranas do Re-Pa de ontem que o técnico bicolor viu a balança pender para o lado azulino. Itamar Schülle lamentou demais as chances perdidas pela sua equipe, além da óbvia maior competência do outro lado em transformar em gols as oportunidades que apareceram. “São os detalhes do futebol. Esses momentos de derrota têm que servir para aprendermos. Fomos derrotados em um clássico, o que é ruim, mas não há nada perdido e não vamos mudar o foco do trabalho”, confirmou o treinador do Papão, que foi mais adiante.

“Foi um jogo de chances criadas de ambos os lados. Nós também tivemos chances claras de gols e não aproveitamos. O adversário finalizou até menos, mas com maior objetividade. Infelizmente as chances que criamos não conseguimos torná-las em gol, o que faz uma diferença gritante”, disse. “Não adianta criar mais e não aproveitar. São situações que servem para nossas observações para a sequência dos jogos”, completou Schülle.

O treinador salientou o que considerou uma gangorra no começo do jogo, com o Paysandu – de fato – perdendo a chance de desempatar depois que fez seu primeiro gol. Por causa do segundo e terceiro gol remistas é que Schülle decidiu voltar a montar o Papão com três homens de frente. “Empatamos, tivemos duas chances de virar e não aproveitamos. Depois tomamos dois gols em seguida. Não poderia deixar como estava e tive que optar por tirar um dos volantes para colocar mais um jogador de frente, ter alguém com uma bola parada forte e pelos chutes de média distância”.

Sobre as alterações feitas antes do jogo, Schülle garantiu que era necessário pôr para jogar alguns dos atletas que vinham fazendo bons treinamentos e precisavam ser testados em campo, fosse contra o maior rival ou não. “Temos que ver algumas coisas em jogo, mesmo que seja em um clássico. Quando se está com um grupo em formação a gente tem que colocar os jogadores. O Alisson já foi campeão da Série D, da Série C, e vinha tendo um aproveitamento muito bom nos treinos e optei pela entrada dele”.


Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS