Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
23°
cotação atual R$

Esporte / Esporte Pará

BOA IMPRESSÃO

Novo reforço bicolor é só elogios para o técnico Itamar Schülle

Victor Souza se apresenta a busca titularidade no Paysandu

quarta-feira, 17/02/2021, 08:19 - Atualizado em 17/02/2021, 08:49 - Autor: Tylon Maués / Diário do Pará


Goleiro Victor Souza, novo reforço do Papão
Goleiro Victor Souza, novo reforço do Papão | Jorge Luiz / Paysandu SC

A delegação do Paysandu chegou a Barcarena na noite de ontem para um período de dez dias de treinamentos. A pré-temporada bicolor termina dia 26, dois dias antes da abertura do Campeonato Paraense diante do Castanhal, na Curuzu. Entre as novidades do elenco, o goleiro Victor Souza deu sua primeira entrevista oficial como novo jogador bicolor.

O arqueiro comentou sobre a oportunidade no clube, fez elogios à nova casa e aos novos companheiros de posição, em especial ao comandante. A importância de Itamar Schülle em sua carreira foi algo muito citado por Victor, lembrando que foi ele quem lhe deu a primeira grande oportunidade em sua carreira. “É um paizão que se preocupa em todos os setores”.

De acordo com Victor, a presença do treinador pesou tanto que ele deixou de lado propostas de clubes da Série B para vir a Belém, mesmo sabendo que recentemente o Paysandu promoveu a titular um goleiro da base e que se saiu bem na reta final do Campeonato Brasileiro. “Ninguém assina para ser titular, mas vim em busca de meu espaço”, afirma.

O contato que teve pela primeira vez com a torcida do Paysandu parece ter tido um impacto na escolha, também. Ele conta que, em 2019, quando o Cuiabá-MT veio a Belém decidir a Copa Verde contra a equipe bicolor, ficou impressionado ao ver a cidade vestida de azul e branco e que isso ficou marcado em sua memória. Mesmo sem poder jogar para um estádio cheio nesse momento, essa relação pesou também na escolha.

A seguir, alguns trechos da entrevista coletiva do novo bicolor.

PAYSANDU

“É um clube gigantesco. O Paysandu é um dos maiores do Brasil, maior do Norte do País. Estou muito feliz com a oportunidade. E tenho confiança que faremos um ano abençoado. Quem conhece futebol sabe das conquistas do Paysandu e da grandeza da sua torcida. A Série que disputa atualmente não condiz com a história que o clube tem”.

DESAFIO

“É um sonho realizado defender um grande clube, é um desafio, um dos maiores da minha carreira. Tenho certeza que se fizer um grande trabalho, assim como foi nos últimos dois clubes, posso me tornar um ídolo aqui dentro do clube. Vim para isso, me dedicando ao máximo”.

NEGOCIAÇÃO

“Tive propostas de Série B, do Paulistão, que é um mercado muito bom. Mas, desde que recebi a proposta do Paysandu eu fiquei muito feliz, pensei no crescimento da carreira, do peso da camisa. Quem sabe chegar na Série A pelo Paysandu que é o meu grande objetivo?”.

ITAMAR SCHÜLLE

“É um grande profissional, um grande ser humano, um paizão. Ele se envolve em todos os setores, também no extracampo, querendo saber como o jogador está na sua vida pessoal, com a família. Eu estava no Tombense-MG quando ele me deu a grande oportunidade da minha vida, cheguei no Cuiabá-MT, fiz um bom ano e o clube subiu, mudou de patamar. O mais difícil conquistamos em 2018 e 2019. Eu ajudei ele e ele me ajudou muito mais e juntos vamos buscar novos objetivos”.

FIEL BICOLOR

“Aquela final da Copa Verde (2019) foi épica. Em todo caminho até o Mangueirão encontramos um mar azul acompanhando e nós sentimos a emoção da torcida adversária, a gente se arrepiava com aquela adrenalina, mesmo jogando no Cuiabá-MT. Quando entrei em campo agradeci a Deus por estar naquele lugar e naquele momento. A torcida mais apaixonada que joguei contra foi a do Paysandu”.

TITULARIDADE

“Ninguém é contratado para ser titular. Temos um grupo de goleiros muito bons. Somos uma família e fui recebido muito bem, um pessoal alegre e que trabalha muito. Quem ganha com isso é o professor Itamar. Respeito o grande goleiro que é o Paulo, assim como o Gabriel Leite”.

RECUPERAÇÃO

“Vivia um grande momento no CRB-AL. Estava em sexto lugar (na Série B), brigando pelo acesso. Estava confiante, fazendo grandes defesas e com muita confiança. Infelizmente essas coisas acontecem e eu me cuido muito para não ter lesão. Fiz a cirurgia e fiz de tudo para voltar o quanto antes. Já não brigávamos por mais nada no campeonato quando voltei. Procurei uma especialista de mão e fiz de tudo para voltar 100% e pude retornar muito bem, fisicamente e psicologicamente”.


Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS