Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
29°
cotação atual R$

Esporte / Esporte Pará

NO REXPA DO SÉCULO DEU LEÃO

Longe do gramado, perto do covid: torcedores acompanham acesso do Leão como podem

Leão bate Paysandu por 1 a 0 perante um Mangueirão vazio. Torcedores ignoraram pandemia e lotaram bares e lojas de conveniência.

domingo, 10/01/2021, 22:23 - Atualizado em 11/01/2021, 02:33 - Autor: Igor Wilson


Centenas de torcedores lotaram uma loja de conveniência no Entroncamento. Nenhum protocolo de segurança sendo seguido.
Centenas de torcedores lotaram uma loja de conveniência no Entroncamento. Nenhum protocolo de segurança sendo seguido. | Igor Wilson/DoL

O dia 10 de janeiro com certeza ficará na história do futebol paraense. Foi neste domingo nublado e em clima de pandemia que o Remo viveu um dos dias mais especiais dos seus 105 anos de história. E quis o destino que fosse perante um Mangueirão vazio que o Leão garantisse o acesso à série B do Campeonato Brasileiro de 2021, algo que não acontecia há quase 14 anos (a última vez foi em 2007). A forma como foi não poderia ser mais especial: vencendo e complicando seu arquirrival Paysandu, que agora precisa de uma combinação de resultados na próxima rodada para também subir de divisão. 

Contrastando com o ambiente fantasmagórico do Mangueirão e seus entornos, os bares e lojas de conveniência certamente também viveram um dia histórico. O torcedor precisou se virar para ver o  clássico de número 749 e com isso lotou o que estivesse aberto pela cidade. Para os acostumados a ver os clássicos no estádio, o jeito foi acompanhar a partida em um ambiente que, pelo menos, fizesse lembrar a alegria do Mangueirão. Se o torcedor não pode ir ao Mangueirão, que o Mangueirão fosse até ele. E foi o que aconteceu. Os bandeirões tremulando, os cantos sendo entoados a todo vapor, a cerveja e o churrasco no ponto. Tudo isso afagou o torcedor que não pôde ir ao estádio. Protocolo de segurança contra covid-19 não estava nos planos dos adeptos, principalmente dos torcedores azulinos, que esticaram a noite um pouco mais. 

 

Mangueirão sem gente deixou ambiente fantasmagórico nos entornos do estádio. Pouco trânsito e circulação de pessoas.
Mangueirão sem gente deixou ambiente fantasmagórico nos entornos do estádio. Pouco trânsito e circulação de pessoas. Igor Wilson/DOL
 

 

Trânsito nas proximidades do Mangueirão, geralmente complicado em dia de clássico, foi calmo e tranquilo. Muitos nem perceberam que era dia de reXpa.
Trânsito nas proximidades do Mangueirão, geralmente complicado em dia de clássico, foi calmo e tranquilo. Muitos nem perceberam que era dia de reXpa. Igor Wilson/DoL
 

Dentro de campo o jogo pegou fogo desde o apito inicial até o final. As equipes entraram em campo mostrando nervosismo. A partida parecia um jogo de xadrez. Um erro poderia ser o suficiente para estragar toda uma temporada e ainda entregar o acesso ao rival. Os jogadores estavam com medo de errar. Os times tocavam a bola rápido e sem arriscar muito até o meio do primeiro tempo. Os torcedores não descolavam os olhos da tela da televisão. Era o ReXPa do século de verdade, aquele que valia simplesmente a subida para a tão sonhada série B do Campeonato Brasileiro. A tensão estava em cada passe, cada jogada. 

 

Centenas de torcedores lotaram uma loja de conveniência no Entroncamento. Nenhum protocolo de segurança sendo seguido.
Centenas de torcedores lotaram uma loja de conveniência no Entroncamento. Nenhum protocolo de segurança sendo seguido. Igor Wilson/DoL
 

 

Bares em Icoaraci estiveram lotados.
Bares em Icoaraci estiveram lotados. Igor Wilson/Dol
 

O Remo conseguiu ser mais contundente no jogo e conseguiu oferecer mais perigo aos zagueiros do Paysandu. Foi em uma jogada de bola parada que saiu o primeiro e único gol da partida. O goleiro Paulo Ricardo rebotou para frente uma cobrança de falta. O rebote fez o tempo parar para os torcedores. Remistas e bicolores, juntos e misturados pelos estabelecimentos da cidade, ficaram com o coração na mão nos milésimos de segundo que o lance durou. Enquanto a bola vagava sozinha pela área bicolor, o poder da mente dos torcedores azulinos falou mais alto. Salatiel se adiantou aos zagueiros e não perdoou. Foi o gol da vitória. O nome do atacante nordestino, contratado no final de 2020, entra para a história dos clássicos. Ele fez o gol que era aguardado pelos torcedores há 13 anos.

 

O gol esperado por 13 longos anos.
O gol esperado por 13 longos anos. Ascom/Remo
 

No final do jogo e com a vitória do Ypiranga sobre o Londrina (resultado que levava o Remo antecipadamente para a segunda divisão), os gritos que estavam reprimidos na garganta há anos saíram. Durante este período o calvário azulino foi grande. Os anos de série D e série C ficam para trás. As lágrimas vão descendo dos rostos de alguns remistas mais emocionados. Não estar na arquibancada doeu, mas o time treinado por Paulo Bonamigo honrou a todos, como se todos estivessem ali, nas arquibancadas onde a torcida azulina sempre fica. A noite é de festa para estes torcedores. Seja nos bares da periferia ou em avenidas das Doca, todos comemoraram esse dia, estranho, mas histórico. A próxima série B do Campeonato Brasileiro terá pelo menos um clube paraense, e este clube é o Remo. 

 

Torcedores se aglomeraram nas Docas momentos após a partida.
Torcedores se aglomeraram nas Docas momentos após a partida. Via Whatsapp
 


O gol esperado por 13 longos anos.
Centenas de torcedores lotaram uma loja de conveniência no Entroncamento. Nenhum protocolo de segurança sendo seguido. | Igor Wilson/DoL
Bares em Icoaraci estiveram lotados.
Centenas de torcedores lotaram uma loja de conveniência no Entroncamento. Nenhum protocolo de segurança sendo seguido. | Igor Wilson/DoL
Trânsito nas proximidades do Mangueirão, geralmente complicado em dia de clássico, foi calmo e tranquilo. Muitos nem perceberam que era dia de reXpa.
Centenas de torcedores lotaram uma loja de conveniência no Entroncamento. Nenhum protocolo de segurança sendo seguido. | Igor Wilson/DoL
Mangueirão sem gente deixou ambiente fantasmagórico nos entornos do estádio. Pouco trânsito e circulação de pessoas.
Centenas de torcedores lotaram uma loja de conveniência no Entroncamento. Nenhum protocolo de segurança sendo seguido. | Igor Wilson/DoL
Centenas de torcedores lotaram uma loja de conveniência no Entroncamento. Nenhum protocolo de segurança sendo seguido.
Centenas de torcedores lotaram uma loja de conveniência no Entroncamento. Nenhum protocolo de segurança sendo seguido. | Igor Wilson/DoL
Torcedores se aglomeraram nas Docas momentos após a partida.
Centenas de torcedores lotaram uma loja de conveniência no Entroncamento. Nenhum protocolo de segurança sendo seguido. | Igor Wilson/DoL

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS