Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
31°
cotação atual R$

Esporte / Esporte Pará

CAMPEÃS!

Esmac goleia Paysandu e mantém hegemonia no Parazão feminino

Time mostrou toda sua força e goleou o Paysandu na grande decisão por 4 a 0, conquistando o quinto título consecutivo e o sexto da sua história, igualando a marca do Independente como recordista

quarta-feira, 18/11/2020, 08:54 - Atualizado em 18/11/2020, 11:56 - Autor: Tylon Maués


As campeãs sobraram em campo e tiveram o belo trabalho reconhecido
As campeãs sobraram em campo e tiveram o belo trabalho reconhecido | Wagner Santana

Ao vencer o Paysandu com uma goleada de 4 a 0 ontem à tarde, no Mangueirão, a Esmac chegou ao quinto título paraense consecutivo, o sexto em sua história, igualando-se ao Independente como o maior campeão estadual. O Madre Celeste precisou apenas do primeiro tempo para fazer o placar que lhe valeu a conquista. A Esmac garantiu também a vaga na Série B do Brasileirão do ano que vem, competição que está disputando atualmente. Se conseguir o acesso para a primeira divisão, o Papão herda a vaga para a Segundona.

A Esmac venceu por goleada duas vezes o Papão na competição. Após o 4 a 1 da primeira fase, ontem a vitória foi mais impiedosa. O time campeão paraense tem uma característica que se destaca sobre as rivais e nesta terça-feira ficou mais evidente: a força física. A equipe da faculdade alia a mesma qualidade dos melhores times, mas tem no porte físico das jogadoras uma superioridade substancial.

Ontem, por exemplo, o jogo iniciou com 30 minutos de atraso por causa da forte chuva que caiu sobre Belém às 15h30. Com o gramado pesado, as bicolores mal conseguiam permanecer em pé, sem dar continuidade às jogadas do ataque e sofrendo demais na defesa. Já as jogadoras da Esmac conseguiram se aproveitar da vantagem que tinham e fizeram três gols com facilidade.

Raquel e Lôra Capanema marcaram para o time campeão, que ainda contou com um gol contra de Jeane. A superioridade era tanta que ao fim do primeiro tempo não se imaginava uma recuperação do Papão. Nos 45 minutos finais, com o gramado seco, o Papão conseguiu equilibrar as ações, mas com uma desvantagem significativa o time não teve como buscar um empate. Aos 36 minutos da etapa final, a Esmac fechou o placar com um gol de Cássia.

Depois do segundo gol da meia-atacante Cássia, o jogo passou a ser uma espera pelo tempo passar para que as jogadoras soltassem o grito de campeão pelo quinto ano consecutivo. Nesse tempo, o Madre Celeste ainda teve tempo para ter um gol anulado e desperdiçar pelo menos duas oportunidades cara a cara com a goleira alviazul Natália.

REPERCUSSÃO

- Após a decisão de ontem, de um lado a comemoração e a exaltação de um trabalho bem feito. Do outro, a resignação diante da superioridade do adversário. “(O título) É fruto de um trabalho com excelentes atletas e grandes profissionais, acadêmicas, com ótimos profissionais na retaguarda. O resultado aparece com um jogo forte, tático e com uma preparação física invejável”, observou o técnico Mercy Nunes. O comandante da Esmac ainda elogiou o projeto do futebol feminino feito pela Faculdade Madre Celeste. “É um trabalho da instituição que dá oportunidade a jovens com talento. Um hexacampeonato não é para qualquer um”.

- Pelo lado bicolor, Aline Costa exaltou a entrega de suas jogadoras, reconhecendo a maior estrutura do adversário de ontem. “As meninas foram guerreiras e já são campeãs só de chegar à final. Encontramos uma equipe que tem toda uma estrutura, tem todo um apoio. E as nossas guerreiras lutaram sem condições de trabalho. Lutamos até o fim”, disse a treinadora, que clamou por mais apoio ao esporte. “Não só a gente, mas o futebol feminino em geral precisa de apoio. É levantar a cabeça e saber que a derrota de hoje vai ser uma vitamina para amanhã. Faltou algo e elas (jogadoras) sabem o que é”.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS