Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
28°
cotação atual R$

Esporte / Esporte Pará

AMBIENTE BOM

Rotatividade bicolor é apontada como fator de motivação 

Elenco do Paysandu vive um raro momento de calmaria na Série C com melhor desempenho nas últimas rodadas. Dentro da Curuzu, rotatividade no time tem sido apontada como fator de motivação

sábado, 14/11/2020, 08:34 - Atualizado em 14/11/2020, 09:52 - Autor: Tylon Maués


Alan Calbergue é um dos que podem ganhar chance no jogo com o Imperatriz
Alan Calbergue é um dos que podem ganhar chance no jogo com o Imperatriz | Jorge Luis Totti/PSC

Um dos jogadores mais regulares do elenco bicolor, o volante Anderson Uchôa vê o Paysandu de outro jeito de umas rodadas para cá. Apesar de quase todos os jogadores afirmarem que a motivação e o foco dentro da Curuzu nunca foram diferentes, nunca estiveram em baixa, é quase uníssono o discurso dos atletas de que a volta a uma boa fase deixou o ar mais leve no Leônidas Castro. Quatro jogos sem derrotas, uma nítida melhora no desempenho e chances reais de classificação levaram ao Papão a uma condição quase nunca vivida nessa primeira fase da Série C do Campeonato Brasileiro.

“A gente vem de quatro partidas sem derrotas, duas vitórias e dois empates, todos os jogos pontuando. É normal que a nossa confiança esteja lá em cima. A gente sabe que a confiança vem com as vitórias”, confirmou Uchôa.

O meio-campista ressaltou a rotatividade dentro do elenco dada pelo técnico João Brigatti. Para segunda-feira (16), diante do Imperatriz-MA, o elenco terá novidades. Depois de três partidas atuando no Campeonato Brasileiro de Aspirantes, o meia Alan Calbergue ficou em Belém para treinar no elenco principal e deve pintar na delegação que viaja amanhã para o interior maranhense.

Remo perde para o Santa Cruz e deixa escapar classificação antecipada

O mesmo vale para o zagueiro Yan. Com Micael e Perema suspensos pelo terceiro amarelo, a dupla de zaga para segunda-feira será Carlão e Wesley Matos – formação que não jogou junta esse ano – e o banco precisará de um especialista. Ontem, Lucão e Marquinhos estiveram em ação pelos aspirantes “A motivação melhorou porque os jogadores que não estavam sendo utilizados começaram a entrar. Isso só dá motivação para todos os atletas e o Brigatti deixa bem claro para todos treinarem forte porque na hora que precisar, é cada um entrar e dar o seu melhor”, comentou Uchôa, que garante que não há a menor dúvida entre todos na Curuzu que o nível do time será mantido mesmo com as mudanças – o lateral-esquerdo Bruno Collaço também será ausência.

“Quem tem jogado tem dado conta do recado. Eu já joguei com PH, Serginho, Wellington (Reis), todos com um passe muito bom e de forte marcação. Quem entrar vai dar de tudo para ajudar e tem a confiança do elenco”, avisa Uchôa.

Papão deixa escapar vitória em Curitiba (PR)

O Paysandu esteve bem perto de voltar ao G4 do Grupo A do Campeonato Brasileiro de Aspirantes, mas deixou escapar uma vitória certa nos minutos finais do confronto contra o Paraná-PR, em Curitiba (PR). O Papão saiu na frente com um gol do centroavante Flávio no início do segundo tempo e segurou bem o resultado, mas praticamente nos acréscimos o time local fez dois gols e virou com Helbert e Leonardo Pettenon.

Com o resultado, o Papão permanece na sexta colocação do grupo com nove pontos. Já o Paraná entrou no G4 do Grupo B, com o total de oito pontos. Na próxima quinta-feira, dia 19, o Paysandu recebe o CRB-AL na última rodada da primeira fase da competição e tem que vencer e torcer para Santos-SP e Vila Nova-GO perderem seus respectivos jogos para se classificar.

Meia-atacante Marlon é o novo contratado do Paysandu

Após o jogo de ontem, sobrou reclamação contra a arbitragem por parte do time bicolor. “No final, infelizmente, levamos gols em dois lances bem duvidosos. É complicado dizer, mas nos dois lances eles pareciam um pouco adiantados e fomos prejudicados”, comentou o goleiro André Grandi.

Campo ruim preocupa elenco

A cada rodada as chances de classificação de cada time vêm sendo atualizada pelos sites especializados, em especial o Chance de Gol. O Paysandu foi um dos times que mais oscilou. Esteve embaixo, foi bem para cima, caiu novamente e, atualmente, está de boa, com a “faca e o queijo” para buscar a classificação. Assim foi com outras equipes que vêm tendo campanhas irregulares como Manaus-AM, Ferroviário-CE, entre outros. O único time que manteve sempre a (ir)regularidade, mais até que o líder disparado Santa Cruz-PE, foi Imperatriz-MA.

Lanterna desde a primeira rodada, sem nunca ter esboçado uma saída da zona de rebaixamento, o próximo adversário bicolor é dado como uma presa fácil para uma protocolar vitória do Paysandu. Essa situação é contestada pelos jogadores, que pregam o maior cuidado possível diante de um adversário que não aspira mais nada e atua sem responsabilidade alguma.

“Não vai ser fácil. Não é só porque o Imperatriz tem um ponto, está na zona (de rebaixamento), que vai ser um jogo fácil. Temos que entrar ligados igual em todos os jogos, focados e determinados para buscar os três pontos. Mas jogo fácil não vai ser”, deixou claro Uchôa.

O volante alviazul ressaltou algumas das dificuldades a serem encontradas em Imperatriz (MA), como o castigado gramado do estádio Frei Epifânio D’Abadia. Uchôa garante que ninguém será pego de surpresa na semana que vem. “O Brigatti passou para a gente que é um campo ruim lá. É uma coisa a mais para a gente entrar ligado, para não dar brecha para o adversário. Sabemos que esses jogos assim são perigosos”, avisa. “Se a gente quer brigar por uma coisa mais na frente na competição, temos que vencer o Imperatriz na segunda-feira, conquistar os três pontos e depois vamos pensando jogo a jogo, dentro de casa”.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS