Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
27°
cotação atual R$

Esporte / Esporte Pará

META

Uma vitória para o Clube do Remo ficar em paz

quarta-feira, 16/09/2020, 11:26 - Atualizado em 16/09/2020, 11:26 - Autor: Bruna Dias


Para Marlon, cobrança tem que ser assimilada para o time engrenar na Série C
Para Marlon, cobrança tem que ser assimilada para o time engrenar na Série C | Fotos: Samara Miranda/Remo

Enquanto a torcida azulina fica na bronca com a sequência ruim de jogos sem vitória do Leão Azul, com apresentações não tão convincentes, os jogadores do Clube do Remo visualizam tal fase como lição, sobretudo após a derrota no final de semana passado, por 1 a 0, para o Santa Cruz-PE. “Serviu de aprendizado. Porque a gente sabe a gente fez dois jogos muito bons, mas infelizmente o resultado não veio. Agora é procurar acertar e somar os três pontos contra o Botafogo-PB”, analisou o lateral-esquerdo Marlon.

Diferentemente dos compromissos passados, onde atuou em Campina Grande (PB) e Recife (PE) contra o Treze e Santa Cruz, o time azulino irá engatar quatros jogos consecutivos como mandante. Um deles, contra o maior rival, em jogo válido pela nona rodada. Sobre a possibilidade de capitalizar rendimento positivo e na conquista da pontuação máxima, Marlon demonstrou pé no chão ao observar os jogos seguintes do time, em casa. “Tem que pensar jogo a jogo. Não adianta pensar lá na frente se a gente tem um jogo importante. Agora é focar no Botafogo-PB que será muito difícil. Vamos procurar trabalhar e se impor para conseguir o resultado positivo”, destacou.

Com o rival em uma situação inferior à do Leão na tabela, posicionado na oitava colocação com seis pontos, e uma vitória conquistada somente em seis jogos, o ala remista entende que o equilíbrio, ainda assim, será grande nos gramados. O motivo: a oscilação do próprio Remo, apesar do mesmo apontar evolução do time. “A gente sabe que vem passando por uma situação um pouco difícil. Já estamos alguns jogos sem vencer. É se doar ao máximo pra conseguir o resultado positivo, porque a gente sabe que vai dar uma tranquilidade muito grande pra gente trabalhar”, reiterou.

Um dos jogadores da terra a fazer parte do elenco, Marlon entende muito bem a cobrança da torcida local. Até por isso, o jogador enaltece o papel do torcedor nesse momento de reabilitação que o time procura. “Jogar em time grande tem cobrança. A gente sabia, quem veio pra cá sabia de uma cobrança muito forte. A equipe do Remo é grande e que convive com vitória. A gente está procurando trabalhar tranquilo, e quando a vitória vir eles (torcedores) vão estar junto da gente”, comentou.

É aprender a lição e voltar a vencer

No último compromisso do Clube do Remo pela Série C do Brasileiro, realizado no domingo (13), fora de casa, o time perdeu o único fator que ainda garantia uma válvula de escape contra toda a pressão e cobrança realizada pela torcida até o momento, que era a campanha invicta na competição. A derrota de 1 a 0 para o Santa Cruz-PE, agora, aumentou o tom das críticas, já que o time perdeu a ‘gordura’ que o mantinha no G4 da tabela, ficando com nove pontos, apenas um de diferença sobre o quinto colocado, primeiro fora da zona verde, que é a Jacuipense-BA, com oito.

Cientes de que o erro já não é mais admissível em campo, tanto pelo quesito competitivo quanto pela colocação da tabela, os jogadores esperam quebrar a má fase de seis jogos seguidos sem vencer, sendo quatro deles na Terceirona, ao tentar assimilar da forma mais rápida possível o baque do revés anterior.

“A gente tem que levar coisas boas desse jogo (derrota para o Santa Cruz). O goleiro deles teve mérito. A gente criou chances de fazer gols, então acho que temos que levar coisas boas”, avaliou o volante Lucas Siqueira, já prevendo resultados melhores com a sequência de partidas em casa. “Não foi o placar que a gente queria, mas temos quatro jogos em Belém para voltar a vencer e a ficar bem na tabela para não sair do G4”, espera.

Titular absoluto na onzena comandada por Mazola Júnior, Lucas Siqueira ainda demonstrou personalidade pela derrota sofrida do time, até então único invicto no certame nacional. Nas palavras do profissional, esse é o momento ideal para o time compreender toda a situação pós-estadual e continuidade na Série C para voltar mais forte. “Uma hora (derrota) isso iria acontecer. Não iríamos ganhar todos os jogos. A gente vem numa sequência muito grande de jogos e isso sem dúvida influenciou no rendimento da equipe. A gente vai ter tudo pra melhorar o nosso desempenho, a voltar a vencer e a ficar no G4”, destacou o jogador.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS