Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
30°
cotação atual R$

Esporte / Esporte Pará

GUIA

Veja as principais mudanças no futebol a partir desta temporada

segunda-feira, 29/06/2020, 10:11 - Atualizado em 29/06/2020, 10:11 - Autor: Tati Dias


| Reprodução/Dol

Nas últimas seis décadas, o futebol passou por significativas transformações. Regras foram alteradas “para dar mais dinamismo e clareza” ao espetáculo. Em março deste ano, novas modificações foram feitas pela International Football Association Board (IFAB), órgão que regula as regras da modalidade, por recomendação da Fifa. O novo texto tem 12 mudanças, que vão desde a interpretação de mão na bola a cobrança de pênalti, e já serão adotadas no retorno do Campeonato Paraense 2020.

O presidente da Comissão de Arbitragem do Pará, Lúcio Ipojucan, acredita que a constante evolução do futebol, assim como em outros esportes, veio para deixar o espetáculo fluir com mais clareza e dinamismo. “É benéfico mudar. O Futebol evolui, os jogadores evoluem, a tecnologia, e as regras também tem que evoluir para acompanhar o processo. E as novas medidas não vieram para complicar, vieram para aclarar mais e detalhar as regras que não estavam totalmente definidas. Vieram para ficar de uma forma mais fácil para todos entenderem".

O preparador de goleiros do Clube do Remo, Juninho Macaé, acredita que as mudanças chegam para dar mais intensidade nas partidas e comemora a regra sobre a cobrança de pênaltis. “Até que enfim uma regra para beneficiar os goleiros, geralmente as mudanças são para ter gol e nunca beneficiar os goleiros. A volta da cobrança do pênalti já é uma punição, se repetir a cobrança, o cartão amarelo é justo”, disse.

O artilheiro do Papão, Nicolas, falou especificamente sobre a nova regra de ‘mão na bola’ - quando o toque de mão involuntário no ataque só deverá ser assinalado caso leve imediatamente a um gol ou a uma ‘situação manifesta de gol’. “Essa mudança veio para agregar e melhorar. Acredito que muitos lances que antes eram interrompidos pelo juiz. A partir de agora, a ‘possível falta’ não será marcada e, com isso, teremos a continuidade da jogada. Isso ajuda a melhorar o espetáculo e dá uma condição melhor de jogo".

Outra regra que chamou a atenção foi a das substituições. Cada equipe poderá fazer até cinco alterações em uma partida. A medida, temporária, será adotada, em princípio, nas temporadas 2020/2021 dos campeonatos. O novo modelo foi comemorado pelo técnico do Castanhal, Arthur. Segundo ele, preservar a integridade física dos jogadores é fundamental neste momento. "Vai ser uma experiência nova, vai depender muito do que o jogo vai proporcionar, de como os atletas vão voltar fisicamente. E a preocupação com eles é essencial. Eu acho que se as substituições forem precisas, seja por lesão ou cansaço, é primordial termos mais duas opções de troca de jogador”, disse.

ENTENDA AS MUDANÇAS

Novas considerações na cobrança de pênalti

Ilustração: Emerson Coe/ Dol
 

Pela ordem, se o o goleiro se adiantar, mas o jogador mandar a bola pra fora ou na trave, a cobrança não deve ser repetida; se o goleiro se adiantar e a cobrança for repetida (em caso de defesa), ele receberá um cartão amarelo; Se um jogador receber um cartão amarelo no jogo e outro numa disputa de pênaltis, isso deve contar como dois amarelos, mas sem expulsão; se o goleiro e o cobrador cometerem infrações ao mesmo tempo, só o cobrador será punido.

VAR decidido na tevê no campo

Em caso de lances subjetivos, a revisão deve ser feita pelo árbitro principal do jogo no monitor à beira do campo. Nem sempre vinha acontecendo isso, mesmo em lances de expulsão, por exemplo.

Ilustração: Emerson Coe/ Dol
 

Bola na mão parcialmente “liberada”

No último ano, havia entrado em vigor a regra que tornava falta qualquer toque na bola com o braço em jogadas ofensivas. Agora, ainda considerando as jogadas ofensivas, isso vale apenas em caso de chance imediata de gol, dando ao árbitro a subjetividade na decisão – como poucos passes ou uma jogada rápida, por exemplo; me parece um retrocesso. Outra mudança importante foi a clareza sobre o que significa “mão” na infração: todo o braço abaixo da manga.

Ilustração: Emerson Coe/ Dol
 

Os desvios da defesa em lances de impedimento

O toque de mão na bola por parte de um defensor, de forma deliberada, será considerada para a análise sobre o lance de impedimento – fora da área, pois dentro é pênalti, claro. A leitura é que o desvio em lances legais (com o pé ou de cabeça, por exemplo) tenham o mesmo efeito, validando a posição do jogador ofensivo. Segue confuso.

 Prosseguimento rápido do jogo, sem cartão

Se o árbitro permitir uma cobrança de falta rápida ou der vantagem em uma infração que “interfira ou interrompa um ataque promissor”, o cartão amarelo não será aplicado ao infrator.

Ilustração: Emerson Coe/ Dol
 

Sem tolerância na bola ao chão

O jogador que não respeitar a regra de 4 metros de distância na “bola ao chão” deve receber cartão amarelo. 

Ilustração: Emerson Coe/ Dol
 

Inibindo o recuo imediato ao goleiro

Se o goleiro cobrar um tiro de meta ou uma falta para um jogador de sua equipe e este, imediatamente, recuar a bola de cabeça ou de peito ao próprio arqueiro, o árbitro deve mandar repetir a cobrança. Caso a ação seja repetida, cartão amarelo.

Ilustração: Emerson Coe/ Dol
 

Substituição (temporária)

Cada equipe terá o direito a ter cinco substituições por partida. As substituições não utilizadas serão transportadas para a prorrogação.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS