Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
23°
cotação atual R$

Esporte / Esporte Pará

BRONCA

Caso da lixeira no Re-Pa vai parar na justiça e dirigente dispara. "Estão contra o Paysandu'

terça-feira, 11/02/2020, 20:26 - Atualizado em 11/02/2020, 20:25 - Autor: Diego Beckman


| Reprodução

O episódio envolvendo um segurança do Remo atirando uma lixeira em direção aos torcedores do Paysandu vem sendo tratado com cuidado pelos dois clubes. Mas o Paysandu promete ir até a Justiça em torno do caso.

A diretoria bicolor esteve reunida e admite entrar com uma ação judicial contra o Remo e também a Federação Paraense de Futebol (FPF), pela omissão da entidade em torno da situação, ocorrida no último domingo (9), durante o clássico Re-Pa pelo Campeonato Paraense.

Fique por dentro do Parazão 2020. Acompanhe as quintas-feiras o DOL Rádio Esporte.

“Vamos exigir punição dos envolvidos. O Remo é o mandante do jogo e um funcionário do clube agrediu a torcida visitante, sem que o clube não se manifestasse em nota sobre o caso. Considero isso falta grave”, explicou o presidente do Paysandu, Ricardo Gluck Paul.

“A FPF não se posicionar em torno do assunto chega a ser omissa. A impressão que dá é que estão torcendo para que o assunto seja esquecido. Parece que todos estão contra a instituição Paysandu", completou Gluck Paul.

Até o momento, nenhum dirigente do Remo ou o clube se posicionou em nota oficial sobre a atitude do funcionário envolvido na polêmica.

POR OUTRO LADO

Em contato com a reportagem do DOL, a diretoria do Clube do Remo informou que já está tomando medidas cabíveis e que está à disposição das autoridades competentes.

Já a Federação Paraense de Futebol (FPF) disse que irá se pronunciar após ser notificada da ação.

O CASO

Um vídeo circulou nas redes sociais no último domingo (9), após o clássico aonde um segurança do Remo atira uma lixeira em direção a torcida do Paysandu, no lado das cadeiras após o jogo. O caso ganhou repercussão e revolta dos torcedores.

PUNIÇÃO

De acordo com o Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), o clube que deixar de tomar providências em torno de atirar objetos em direção ao gramado ou torcida adversária, a equipe poderá ser punida com perda de mando de campo e pagamento de multa.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS