Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
25°
cotação atual R$

Esporte / Esporte Pará

MERCADO DA BOLA

Paraense é disputado por Atlético-MG e Fluminense e pode deixar o Vasco

domingo, 05/01/2020, 10:52 - Atualizado em 05/01/2020, 11:00 - Autor: FOLHAPRESS


Rossi chegou no Vasco no início de 2019.
Rossi chegou no Vasco no início de 2019. | Rafael Robeiro/Vasco

Se por um lado o Vasco ainda está tímido no que compete a contratações -tendo anunciado somente o atacante argentino Germán Cano, ex-Independiente de Medellín (COL)-, por outro o clube tem "abastecido" o mercado da bola com sua política de "enxugamento" de elenco.

Até o momento, o Vasco já emprestou quatro jogadores, tem o quinto empréstimo encaminhado e decidiu por não renovar ou não aproveitar outros tantos. Há ainda os jogadores que estão nos planos, mas que, com o fim do contrato, têm boas chances de não permanecer.

Um deles é o atacante Rossi, que conseguiu rescindir seu contrato com o Shenzhen, da China, mas, livre no mercado e valorizado, o jogador desperta o interesse de diversos clubes, como Atlético-MG e Fluminense.

Até o momento, o Vasco já emprestou o atacante Caio Monteiro e o meia Guilherme Costa para o Boavista (RJ); o volante Bruno Cosendey para o CRB; e o goleiro Halls (do sub-20) para o Náutico. Há ainda o caso bem encaminhado do meia Dudu, que deve ser emprestado para o Paraná.

Alguns jogadores que tiveram seus contratos encerrados em dezembro também não o renovarão, sendo que alguns até já assinaram com outros clubes, caso do meia Valdívia, anunciado pelo Avaí. O volante Bruno Ritter está a caminho de um time árabe.

O atacante Clayton e o lateral esquerdo Danilo Barcelos foram devolvidos ao Atlético-MG, o lateral direito Raul Cáceres voltou ao Cerro Porteño (PAR) e o goleiro Sidão retornou ao Goiás. O volante Richard está nos planos do técnico Abel Braga mas, a princípio, será aproveitado pelo treinador Tiago Nunes, do Corinthians, clube que detém seus direitos.

Há ainda os casos dos jogadores que tiveram seus contratos encerrados e cuja permanência o Vasco quer, mas cujas negociações estão complicadas. Com o zagueiro Oswaldo Henríquez, por exemplo, as tratativas estão praticamente esgotadas, após o colombiano fazer uma pedida considerada alta e a diretoria não conseguir chegar a um consenso.

Seu compatriota Fredy Guarín é tratado como prioridade pelo Vasco, mas o meia não aceita negociar enquanto os salários atrasados não forem quitados.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS