Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
28°
cotação atual R$

Esporte / Esporte Pará

CONFUSÃO

Presidente bicolor quer entrar na justiça contra FPF e modelo do Parazão

terça-feira, 03/12/2019, 08:33 - Atualizado em 03/12/2019, 08:37 - Autor: Nildo Lima


Gluck Paul falou grosso contra a FPF
Gluck Paul falou grosso contra a FPF | Jorge Luiz/PSC

A tabela do Parazão 2020, anunciada na semana passada pela Federação Paraense de Futebol (FPF), poderá ser toda ela anulada. O presidente Ricardo Gluck Paul informou, nesta segunda-feira (02), que o cronograma de jogos da competição não agradou em nada ao Paysandu, que deverá ingressar na justiça para tentar anular o documento. Em seu depoimento, o dirigente revelou os motivos da insatisfação bicolor, entre eles o maior número de jogos do maior adversário do Papão, o Clube do Remo. Gluck Paul chegou a ameaçar de fazer o Re-Pa da primeira fase da disputa com a presença apenas de torcedores bicolores no estádio.

Segundo o dirigente, a insatisfação com a tabela da competição, apresentada na última sexta-feira (29/11) durante o Congresso Técnico do campeonato, pelo Departamento Técnico da FPF, é quase geral entre os clubes. “O Bragantino, por exemplo, faz 4 jogos seguidos fora de casa, um absurdo, e não vai receber nem Paysandu e nem Remo em Bragança, o que para o Bragantino é um tiro de morte”, apontou Gluck Paul. “O Águia faz 5 jogos fora de casa, 4 em Belém”, ilustrou o presidente.

Em seu desabafo, Gluck Paul acusou a FPF de jogar a responsabilidade pela mudança da fórmula de disputa do Estadual nas costas da CBF. “Na reunião nos foi informado, pela Federação, que as 13 datas era uma imposição da CBF”, contou. “Foi dito que essas 13 datas era a única forma disponível para a gente”, ratificou. “No domingo, ontem (anteontem) a gente descobriu que na verdade a CBF em momento algum impôs nada à federação”, acrescentou o presidente.

De acordo com Gluck Paul a CBF não fez nenhuma imposição, mas apenas sugestão. “A CBF mandou um ofício sugerindo que as federações com 10 times e que disputassem as Copas do Brasil e Verde fizessem com 13 datas. É uma sugestão. Tenho certeza que muitas federações não vão aceitar a sugestão, mas aqui se aceita tudo”, disparou. O dirigente revelou que está recorrendo à justiça para tentar uma nova reunião a fim de mudar a fórmula de disputa do Estadual.

“Estou entrando com uma medida para tentar anular o Congresso Técnico pra rediscutir o assunto do modelo do campeonato, que a gente não aceita”, afirmou. Sobre a questão do Re-Pa, Gluck Paul declarou: “Na tabela como está o Re-Pa está com o mando do Paysandu. Já informei que posso fazer o Re-Pa com torcida única, só do Paysandu, caso a tabela não seja mudada”, avisou. “Se eu dividir a renda do Re-Pa o Remo terá uma renda a mais e isso eu não vou permitir”, finalizou o presidente.

Reunião na FPF definiu o modelo de 2020, mas tudo pode mudar. Caso vai à justiça

O presidente do Paysandu, Ricardo Gluck Paul informou que, caso consiga, na justiça, anular o Congresso Técnico do Parazão, que definiu a tabela do campeonato de 2020, irá insistir junto com alguns outros clubes pela manutenção da fórmula de disputa quem vem sendo adotada há alguns anos na competição. “Nós preferíamos o formato antigo, com dois grupos de 5 clubes, com turno e returno”, declarou. Segundo ele, a ideia chegou a ser levantada na reunião passada entre os representantes dos clubes e da Federação Paraense de Futebol (FPF), mas inteiramente refutada.

“Eles (representantes da FPF) não aceitaram e disseram que nem iriam colocar em votação pelo fato de as 13 datas terem sido uma imposição da CBF, o que se descobriu agora que não é verdade. O que a CBF fez foi apenas uma sugestão”, afirmou o presidente. Gluck Paul não revelou o número exato de clubes que estariam ao lado do Papão na luta para mudar a fórmula de disputa da competição. Mas ele deu a entender que Bragantino e Águia, principalmente, seriam parceiros do Paysandu na empreitada.

Diferente do que andou sendo noticiado, não há nenhum outro Congresso Técnico do campeonato marcado pela FPF. Uma segunda reunião só acontecerá caso a justiça venha a determinar a anulação do primeiro encontro, como pretende o Paysandu. Caso isso não venha a ocorrer, a tabela do Estadual seguirá sendo a que foi decidida na última sexta-feira, na sede da FPF. O modelo, em função da diminuição de datas, diminui drasticamente o número de jogos do campeonato, com apenas um e não dois Re-Pa’s, como na fórmula antiga, na fase classificatória.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS