Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
28°
cotação atual R$

Esporte / Esporte Pará

APOSTA

Jovens da base bicolor se destacam e vão fazer parte do elenco profissional em 2020

domingo, 10/11/2019, 09:08 - Atualizado em 10/11/2019, 11:37 - Autor: Nildo Lima


| Jorge Luiz/Paysandu

A promessa é antiga, mas quase nunca cumprida. Cada novo treinador que “desembarca” na Curuzu traz sempre na bagagem o discurso pronto e batido de valorização do atleta formado na base do clube. Poucos garotos, no entanto, têm conseguido transpor essa “porta da esperança” que abre caminho para a carreira profissional, sonho alimentado por cada um desses atletas. O técnico Hélio dos Anjos, porém, parece disposto a quebrar de vez com esse paradigma, o que é visto, óbvio, com bons olhos por todos aqueles que almejam um dia atingir o estrelato maior no futebol brasileiro ou, melhor ainda, no do exterior.

Neste final de temporada, pelo menos cinco dos muitos jogadores surgidos na base do Paysandu estão ganhando, como presente antecipado de Papai Noel, a chance de sonhar com a titularidade na equipe principal do Papão em 2020. Ainda no sub-20 do clube, com alguma escassa experiência em treinos com os profissionais, os atletas Kerve (zagueiro), Flávio e Marco Antônio (atacantes) assinaram o primeiro contrato de profissional por recomendação de Dos Anjos. Além deles, o volante Yure e o atacante Bruce, também saídos da base, tiveram seus vínculos renovados.

Os jovens atletas, com idade variando entre 18 e 21 anos, seguirão defendendo a base do Papão, mas com possibilidades bem maiores de treinarem com frequência no elenco principal do clube, o que aumentam as chances de cada um ter a sua vez no time principal. No caso de Yure, de 21 anos, e Bruce, de 19 anos, a novidade maior ficou mesmo por conta da renovação contratual, visto que eles já participam de treinos e até jogos do time profissional do clube, assim como Aslen, de 21 anos, atacante também vindo da base.

O zagueiro Kerve, de 20 anos, e os atacantes Flávio e Marco Antônio, de 18 e 19 anos, respectivamente, são menos experientes nos treinos com os profissionais, mas agora, após a assinatura de contrato, eles passam a ter o direito de sonharem ainda mais em deslanchar na carreira. A primeira chance chegou bem antes do início de 2020, com a participação do trio no amistoso contra a Tuna Luso. Partida em que Dos Anjos também utilizou Yure e Bruce, além do próprio Aslen e o meia Lucas Geovanni, também do sub-20.

O amistoso com a Lusa, assim como o disputado contra o Sport Belém, quando Dos Anjos voltou a utilizar alguns dos garotos, parece ter entusiasmado ainda mais o treinador em sua determinação de valorizar a garotada do clube. “Fico empolgado em ver esses garotos da base jogando. Minha vida começou lá, na base”, declarou Dos Anjos, cheio de empolgação.

1º CONTRATO

Cada um à sua maneira, os três novos contratados do Paysandu, o zagueiro Kerve e os atacantes Marco Antônio e Flávio comemoram a primeira assinatura de contrato como jogador profissional. O aumento da responsabilidade e a certeza de uma cobrança ainda maior não abala o sonho acalentado por cada um deles em se tornar jogadores profissionais, sonho que no caso do defensor se concretizou de forma surpreendente. “Foi tudo muito rápido, eu não esperava subir assim para o profissional”, contou Kerve, que é cearense nascido em Fortaleza.

Até mesmo a chegada do zagueiro ao sub-20 do Paysandu aconteceu de forma surpreendente. “Eu estava em casa e aí recebi uma mensagem para fazer um teste para o sub-20, falei com a minha mãe e ela me deu força. Graças a Deus está dando tudo certo”, contou. Sobre o contrato que ele e os dois companheiros ganharam, Kerve comentou: “É muito importante essa moral que eles estão dando para a gente” afirmou.

Não menos satisfeito, Flávio não abre mão de agarrar a oportunidade com unhas e dentes e, sobretudo, muitos gols. “A expectativa é muito boa para o ano que vem, espero fazer bons treinos e esperar as oportunidades aparecerem. Vou abraçar da melhor maneira”, avisa o atacante, que está há seis meses na Curuzu, depois de ter passado pela Tuna Luso e pelo Coimbra-MG. O outro atacante, Marco Antônio, cujo início foi no futsal do clube também não esconde o contentamento por ter se tornado profissional. “Estou muito feliz. Era um sonho de criança ser um jogador profissional, principalmente em clube grande como o Paysandu e poder assinar o contrato”, revelou.

TEMPO AO TEMPO

Embora os três atletas vindos da base tenham dado um passo importante para a concretização de se tornarem realmente profissionais, Kerve, Flávio e Marco Antônio, assim como o volante Yure e o atacante Bruce, que tiveram seus vínculos renovados, ainda têm muita estrada a percorrer. Uma caminhada quase sempre crivada de obstáculos para quem é jogador da casa. A maior dessas dificuldades parece ser superar os concorrentes da posição, quase sempre importados de outros centros, e assim cair no gosto do torcedor.

De início não dá para ir logo sonhando em se tornar um ídolo da torcida num piscar de olhos. O próprio técnico Hélio dos Anjos recomenda cautela. “É preciso ter calma com esses garotos, que precisam ir sendo preparados aos poucos”, ensina Dos Anjos, com vasta rodagem no futebol e larga experiência na revelação de atletas. Apesar de toda a precaução do treinador, ele sinaliza com a possibilidade de em breve utilizar este ou aquele atleta vindo da base na equipe principal do Papão.

“É importante pra mim neste momento criar opção de jogadores jovens”, diz Dos Anjos, injetando ainda mais empolgação na garotada. “Em breve vamos ter, com toda a certeza, jogadores da base envolvidos com o profissional”, anuncia. Ao mesmo tempo em que acredita enriquecer o seu trabalho à frente do elenco ao promover a garotada, o treinador colabora com o clube. “São esses garotos que vão evitar do clube ser obrigado a fazer tantas contratações”, salienta Dos Anjos, conhecedor das dificuldades financeiras enfrentadas pela atual gestão bicolor.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS