Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
25°
cotação atual R$

Esporte / Esporte Pará

PREPARAÇÃO

Com portões abertos ao público, o Papão encara o Sport Belém em amistoso

quarta-feira, 06/11/2019, 09:32 - Atualizado em 06/11/2019, 09:32 - Autor: Nildo Lima


Técnico do Paysandu quer reforçar suas certezas quanto ao time e vai avaliar seus jogadores hoje
Técnico do Paysandu quer reforçar suas certezas quanto ao time e vai avaliar seus jogadores hoje | Jorge Luiz/PSC

Faltando exatamente 14 dias para a estreia do time na decisão da Copa Verde, contra o Cuiabá-MT, com a partida de ida acontecendo na Arena Pantanal, na cidade de Cuiabá, o Paysandu faz hoje, às 19h, o seu segundo amistoso de preparação para a final do torneio. Assim como no último domingo, quando venceu a Tuna Luso, por 2 a 0, o confronto acontecerá na Curuzu, mas desta feita de portões liberados ao público, o chamado 0800. Será mais uma oportunidade para o técnico Hélio dos Anjos fazer ajustes e recuperar o ritmo de jogo do time, que até a partida com a Lusa estava sem atuar há 27 dias.

Dos Anjos já tem mais ou menos definida a formação da equipe que deverá mandar a campo no primeiro confronto com o Dourado. A composição bicolor, tudo indica, será praticamente a mesma do amistoso passado. O treinador, no entanto, deverá fazer algumas mudanças pontuais no grupo. Existe a possibilidade de ele lançar mão do atacante Hygor Silva e até mesmo do meia-atacante Tomas Bastos, este em pelo menos parte do amistoso, já que o jogador está em condições físicas inadequadas.

A ideia de Dos Anjos é já ir dando ritmo de jogo a Bastos, jogador com o qual ele pretende contar no primeiro jogo da final da Copa Verde. “Mas não vou forçar a barra”, anunciou o treinador, que só deverá utilizar o atleta caso ele esteja 100% recuperado da lesão na coxa direita e em boas condições físicas até o dia da partida. Dos Anjos segue sem contar com o volante Wellington Reis e Anderson Uchôa, que ainda sente o pé direito, enquanto o primeiro está contundido na coxa esquerda.

Ontem, o treino dos bicolores foi menos puxado que os dos dias anteriores. O treinador parece ter resolvido colocar o “pé no freio” a fim de não desgastar tanto os seus comandados. O treinador só deve anunciar a sua equipe hoje, momentos antes da partida. Mas, além de Tomas Bastos, para o decorrer do amistoso, e Hygor Silva, a expectativa é de que o treinador mantenha entre os titulares o volante Yure, garoto promovido da base e que foi o único a participar dos dois tempos do amistoso contra a Lusa.

Assim como na partida passada, Dos Anjos deverá utilizar não só os jogadores do elenco principal do clube, mas também, no segundo tempo, a garotada da base, entremeada com os profissionais que não forem utilizados na primeira etapa da partida. O comandante bicolor acredita ser de grande importância ir testando os jovens atletas para que mais lá na frente, ou seja, em 2020, ganhe mais opções para escalar o time em competições oficiais.

DO LADO DO DRAGÃO

- Enquanto o Papão espera pela chegada do primeiro jogo da final da Copa Verde, seu adversário aguarda pela sequência da Segundinha do Parazão 2020. É desta maneira que o técnico rubro-negro Zé Carlos vê o amistoso de hoje à noite entre as equipes. O treinador acredita que tanto o Sport como o Papão poderão tirar proveito do jogo.

- Zé Carlos acredita que o fato de o Sport ter garantido sua classificação na Segundinha na última rodada, vencendo o único jogo em sua trajetória na competição não tira os méritos do grupo. “Nosso time venceu quando precisava vencer”, alegou. “Foi uma classificação da maneira que a gente precisava, ganhando o jogo final da primeira fase”, declarou. Quanto ao amistoso, ele comentou: “É uma partida que vai nos ajudar e também ao Paysandu. Tanto eu aqui no Sport quanto o Hélio lá no Paysandu poderemos avaliar nossos grupos”.

- O Dragão decidirá sua sorte na Segunda Divisão enfrentando o Cametá, em jogos de ida e volta, sendo o primeiro em Belém e o segundo, óbvio, na casa do adversário. Zé Carlos acredita não ser coisa de outro mundo ter de decidir fora de casa. “Às vezes uma equipe joga mal dentro de casa e consegue ser melhor atuando fora. O ideal mesmo é jogar bem as duas partidas”, salientou Zé Carlos.

Diário do Pará
 


Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS