Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
25°
cotação atual R$

Esporte / Esporte Pará

VÉSPERA DE RE-PA

Remo faz ajuste secreto para enfrentar rival na Copa Verde

sábado, 05/10/2019, 09:36 - Atualizado em 05/10/2019, 09:53 - Autor: Matheus Miranda/Diário do Pará


Djalma é uma das peças que podem aparecer como novidade no time.
Djalma é uma das peças que podem aparecer como novidade no time. | Irene Almeida/Diário do Pará

A decisão da comissão técnica do Clube do Remo em guardar a sete chaves o sistema tático, opções de jogo e especialmente a composição da onzena titular, causou certo alvoroço entre a torcida remista. Isso porque a presença ou ausência de determinados atletas pode criar um ambiente otimista ou não para a disputa do último clássico Re-Pa oficial deste ano, que será realizado amanhã à tarde, no estádio Mangueirão. E para despistar o rival, algumas peças que apareceram recentemente à disposição, fizeram parte da movimentação durante a semana e, de quebra, ganharam visibilidade como alternativas para o duelo.

Ciente de que a essa altura da temporada não haverá surpresa entre os titãs no duelo deste domingo, já que as equipes têm se se estudado ao longo de todo o ano, o técnico Eudes Pedro tentou explicar os motivos de uma possível troca do sistema 4-2-4 para o 4-4-2. “É um jogo de alto nível e que nenhuma das equipes vai querer perder e acabar o ano. O nosso grupo está comprometido e isso nos dá a possibilidade de preparar os detalhes, que é o que vai levar à vitória”, disse.

Dessa maneira, alguns profissionais entraram na mira por uma vaga, dentre os quais, Guilherme Garré e Djalma são os que mais se destacam. No caso do meia-atacante, a possibilidade da sua participação envolve fatores que deixaram a desejar na equipe que entrou logo de início no Re-Pa passado. Ou seja, a visão com a posse de bola e uma opção de profundidade, visto que Garré busca jogadas individuais. Enquanto isso, Djalma é a peça que reúne os recursos necessários para a ala-direita: marcação e saída de bola.

Apesar das virtudes dos profissionais, a falta de ritmo de jogo pesa contra na balança, algo que fortalece os nomes de Rony e Zotti. “Tenho algumas dúvidas, pode ser que seja uma estratégia ou outra. Mas isso não vai nos impedir de sermos ofensivos e buscar a todo o momento vencer”, destacou Eudes Pedro.

Já o volante Yuri quer somar, também, a sua primeira vitória em partidas diretas frente ao Paysandu. “É um jogo importante para todos nós que sabemos como pode influenciar nessa reta final de temporada. É um incômodo, sim. Mas não desistimos, temos a chance de poder fazer um bom jogo e vencer. Só depende de nós”, destacou.

Re-Pa solidário com a doação de órgãos

A solidariedade entra em campo no Re-Pa, neste domingo (6). Os times do Remo e Paysandu vão levar uma faixa sobre a importância da doação de órgãos. Dados da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos apontam que cerca de 30 mil pacientes aguardam na lista de espera por órgãos como rim, fígado, coração, pulmão, pâncreas e córnea e mais de 20% dos pacientes morrem sem conseguir doação.

Para ser doador não é necessário deixar nada por escrito, apenas informar a família sobre o desejo de doar. Após o óbito, a família é a única responsável a autorizar a doação dos órgãos vitais ficando aptos para serem transplantados. Entretanto, existem órgãos que podem ser doados ainda em vida àqueles considerados duplos como: rins, pulmões, parte do fígado, do pâncreas e da medula óssea , ou seja, aqueles que não prejudicarem as aptidões vitais do doador após o transplante.

Cada doador beneficia em média cinco pessoas. E a falta de aprovação da família é a principal barreira para a não doação. A semifinal da Copa Verde será marcada pela solidariedade e união a favor da vida. Com o intuito de conscientizar suas torcidas e o público em geral sobre a importância da doação de órgãos, os times do Remo e Paysandu, rivais em campo, se uniram em prol da causa. A campanha nacional é mobilizada em Belém e Ananindeua pelas clínicas Top Nefro e Gold Nefro.

Atletas saem do estaleiro e estão à disposição

Apesar da dúvida pra o jogo de amanhã a respeito da relação do zagueiro Fredson, que tem passado por transição após lesão no pé sofrida no clássico da semana passada, o Remo tem mais motivos para celebrar do que lamentar quando o assunto é jogador no departamento médico. Os atletas que vinham se cuidando no DM estão todos à disposição da comissão técnica, como é o caso do zagueiro Rafael Jansen, que passou a ser cotado justamente pela provável ausência de Fredson, além do volante Djalma, que alterna o papel de ala, um dos ofícios que tem encucado o técnico Eudes Pedro.

Experiente no clássico, que disputou inúmeras vezes por ambas as agremiações, Djalma comentou a possibilidade de voltar a fazer parte dos planos do grupo justamente pra uma partida grandiosa. “Quem é daqui sabe do peso, do que significado do Re-Pa ainda mais para quem almeja conquistar um título importante. Financeiramente falando é muito importante para o clube, mas para nós atletas também, porque pode fazer com que a gente encerre o ano bem. Se o Eudes precisar e optar por mim, eu vou estar pronto para fazer o meu melhor dentro de campo”, destacou o volante.

Fique ligado! 

Paysandu e Remo se enfrentam neste domingo, às 16h, no Mangueirão, pelo duelo de volta.

“Calma que vai dar tudo certo” é o lema

Gustavo Ramos aposta que as oportunidades vão aparecer, basta ter paciência para trabalhar as jogadas.
Gustavo Ramos aposta que as oportunidades vão aparecer, basta ter paciência para trabalhar as jogadas. Fernando Araújo/Diário do Pará
 

O triunfo no Re-Pa de amanhã, às 16h, no Mangueirão, é o único resultado cabível para o Clube do Ramo. Somente a vitória credencia o Leão Azul a participar da final da Copa Verde e buscar o título inédito do torneio, além de tirar a forra em cima do maior rival neste ano, já que até o momento sofreu dois sacodes e outros dois empates, nas quatro partidas realizadas em 2019.

Dessa maneira, além da compactação e reforço do sistema defensivo, o faro do atacante matador precisa se fazer presente para que, na hora certa, o time possa se dar bem em cima das jogadas criadas, algo que tem sido constantemente trabalhado ao longo dessa semana.

“Temos que aproveitar as oportunidades que aparecem no jogo. Um pouco mais de calma, de concentração. É um jogo que vai ser decidido nos mínimos detalhes. Se conseguirmos aproveitar, temos grandes chances de sair vitoriosos desse clássico, que é algo que todos nós queremos”, disse o atacante Gustavo Ramos, artilheiro do time.

Sem ser forminha

Mas, o jogador não pretende ser escasso nos gramados. Em busca da vitória, quem tiver a oportunidade de marcar vai ajudar o time do mesmo jeito. “Claro que é o desejo de todo o atacante, mas se tiver que dar o passe, a assistência, vamos procurar o melhor companheiro passando par ir atrás da vitória”, pontuou.

Rony

Destaque no jogo passado, o lateral-direito Rony, cria da base remista e que pode entrar logo de cara neste Re-Pa, comentou que, se entrar, vai fazer o possível para ser um jogador especial. “Eu espero isso, acho que todos os dias. Eu gosto desse futebol ousado e de ir pra cima. Podem esperar isso”, cravou.

Provável time azulino

Vinícius, Cesinha (Rony), Marcão, Mimica e Ronaell; Yuri, Ramires, Zotti, e Eduardo Ramos; Gustavo Ramos e Neto Baiano. 

Técnico: Eudes Pedro.



Djalma é uma das peças que podem aparecer como novidade no time.
Djalma é uma das peças que podem aparecer como novidade no time. | Irene Almeida/Diário do Pará
Gustavo Ramos aposta que as oportunidades vão aparecer, basta ter paciência para trabalhar as jogadas.
Djalma é uma das peças que podem aparecer como novidade no time. | Irene Almeida/Diário do Pará

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS