Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
25°
cotação atual R$

Esporte / Esporte Pará

AGENDA APERTADA 

Remo ainda tem que se preocupar com a Copa Verde

sábado, 03/08/2019, 10:55 - Atualizado em 03/08/2019, 11:11 - Autor: Matheus Miranda de Oliveira


Djalma fez o ‘mea culpa’ do time no jogo de quinta, mas ressaltou que nada está perdido.
Djalma fez o ‘mea culpa’ do time no jogo de quinta, mas ressaltou que nada está perdido. | Samara Miranda/Ascom Remo

O futuro positivo do Clube do Remo, criado para esta reta final da fase classificatória da Série C, especialmente após a vitória por 2 a 0 em cima do lanterna da chave, o Atlético-AC, caiu por terra depois do time desperdiçar, mais uma vez, a chance de somar pontos em casa ao ter sido derrotado pelo Tombense-MG, na quinta-feira (1º).

O revés de 2 a 0, que poderia ter sido maior caso o adversário não tivesse freado o ritmo, como consequência, coloca o Leão na corda bamba quanto sua classificação, já que, daqui para frente, é só pedreira no caminho rumo ao mata-mata, uma vez que os adversários das três rodadas restantes da Série C tentarão arrancar pontos do time paraense em busca da consolidação no G4. E para piorar mais a situação, o time ainda tem pela frente a sua estreia na Copa Verde, algo que pode servir como termômetro para uma possível reação no Nacional.

Pela tabela oficial publicada pela CBF, o próximo compromisso remista é diante do Sobradinho-DF, fora de casa, no próximo dia 13 - inicialmente o jogo seria no próximo dia 6, mas foi alterado pela CBF, ontem. O duelo, que será após o embate diante do Volta Redonda-RJ, nos parâmetros recentes da equipe, tem um grande peso.

Mesmo de pouca expressão, a equipe candanga vai com força total em busca do resultado, já que o certame é o que tem garantido calendário devido sua eliminação na Série D. Além disso, mesmo contra equipes teoricamente mais frágeis, o tradicional Leão não tem honrado a sua história ao servir como presa fácil, vide a derrota para o Tombense.

Apesar de não possui tanta relevância como nas edições passadas, uma derrota na estreia da Copa Verde pode inflamar ainda mais o ambiente azulino, que hoje vive cercado de críticas e até pedido de demissões, tanto no grupo de jogadores quanto na comissão técnica.

Dessa maneira, apesar de ter que se dividir com outra competição, a preparação irá refletir intensamente na Série C, principal objetivo azulino. Pois, caso não ocorra uma melhora, tudo levará a crer que o avanço do time estará ainda mais ameaçado, já que o Voltaço, hoje, possui a melhor campanha do returno, com quatro vitorias e um empate. Para os jogadores da equipe, que não esconderam a péssima atuação na partida desta semana, não há outra solução fora recuperar a pontuação longe de casa, seja pela Copa Verde ou Nacional.

“Eu creio que fizemos uma das piores partidas nossas, senão a pior. Ao meu ver, erros de marcação, não conseguimos marcar, acertar o último passe. Até que jogamos um pouquinho no primeiro tempo, mas no segundo tomamos o gol e desequilibrou o time que nem conseguiu sair de trás, essa é que é a verdade”, disse o volante Djalma, sobre o resultado com o Tombense.

“Nós temos um grupo grande para a outra competição. Não sei se o Márcio (Fernandes, técnico) vai mesclar a equipe. Mas temos um grupo grande, de qualidade. Não creio que vá atrapalhar, mas o mais é que tenhamos a consciência da dificuldade que vai ser, tanto pela Copa verde quanto contra o Volta Redonda. E isso só vai terminar quando atingirmos o nosso objetivo, que são os 3 pontos. Essa reflexão fica para todos nós”, acrescentou Djalma.

Jogos do Leão - Agenda via CBF

Volta Redonda x Remo

– Série C (09/08)

Sobradinho x Remo

– Copa Verde (13/08)

Remo x São José

– Série C (16/08)

Remo x Sobradinho

– Copa Verde (21/08)

Paysandu x Remo

– Série C (25/08)


Virar a página, o lema batido

Azulinos precisam corrigir erros e jogar com “sangue nos olhos” para buscar a classificação na Série C.
Azulinos precisam corrigir erros e jogar com “sangue nos olhos” para buscar a classificação na Série C. Samara Miranda/Ascom Remo
 

Exceto pela vitória do Clube do Remo diante do Atlético-AC, pela Série C, a frase “página virada” tem se tornado um lema entre os jogadores azulino a cada pós-jogo, em virtude dos péssimos resultados em campo.

Antes contentes pela invencibilidade no returno, agora o time possui um dos piores retrospectos da virada de turno, com três empates, uma derrota e apenas uma vitória. Mas, os jogadores estão doidos para aposentar o lema batido, só que para isso, é necessário muito mais do que palavras.

“É se reerguer. Infelizmente aconteceu. Perdemos quando não podíamos. Mas nada impede da gente buscar essa pontuação fora de casa como já fizemos. Temos que ir correr atrás do prejuízo”, ponderou o volante Ramires.

Quem espera também reverter essa mau momento às vésperas do encerramento da fase classificatória é o treinador Márcio Fernandes. Antes com moral pelo título Estadual e pela arrancada na competição nacional, hoje, o comandante vive com intensas críticas pela sua condução de trabalho, sobretudo pelo baixo nível de evolução do time remista desde que perdeu a sua invencibilidade no campeonato.

Com a desconfiança de uma parcela da torcida que destaca que a sua batata está assando, Márcio Fernandes almeja acabar com a desconfiança dos azulinos o quanto antes. “Agora é parar, pensarmos bem o que a gente pode melhorar para que a gente tenha condições. Ainda não tem nada perdido, depende da gente. Agora, temos que jogar muito mais do que jogamos”, diz.

Garré em tratamento

Substituído ainda no começo do primeiro tempo do jogo contra a Tombense, algo que para muitos foi fundamental pela queda tática/técnica da equipe, o meia-atacante Guilherme Garré iniciou ontem a sua terapia após sofrer uma entorse no tornozelo. O jogador devera ser reavaliado na próxima semana.

Djalma fez o ‘mea culpa’ do time no jogo de quinta, mas ressaltou que nada está perdido.
Djalma fez o ‘mea culpa’ do time no jogo de quinta, mas ressaltou que nada está perdido. | Samara Miranda/Ascom Remo
Azulinos precisam corrigir erros e jogar com “sangue nos olhos” para buscar a classificação na Série C.
Djalma fez o ‘mea culpa’ do time no jogo de quinta, mas ressaltou que nada está perdido. | Samara Miranda/Ascom Remo

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS