Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$

Esporte / Esporte Pará

CLIMA DE DECISÃO

Papão precisa vencer Boa Esporte para conseguir voltar ao G4 da Série C

segunda-feira, 29/07/2019, 09:51 - Atualizado em 29/07/2019, 09:59 - Autor: Onildo de Melo Lima


|

Um jogo-chave para o Paysandu seguir alimentando o sonho de avançar à segunda fase da Série C do Brasileiro acontecerá, hoje, a partir das 20h, no Mangueirão, contra o Boa Esporte-MG, pela 14ª rodada da competição nacional. O Papão, que tem sido ridículo jogando em casa, não pode, mais uma vez, decepcionar a Fiel. É vencer ou vencer. Do contrário, as chances do time chegar às quartas de final ficarão bem mais distantes, levando o torcedor bicolor a deixar de acreditar de vez na volta da equipe à Série B, da qual foi “degolado” na temporada de 2018, como 17º colocado entre os 20 clubes.

A partida com os mineiros é uma espécie de basta à incompetência do time bicolor em jogos dentro de casa, nos quais tem contado com o apoio da Fiel, como ocorreu na partida contra o Volta Redonda-RJ, na rodada passada, quando em pleno o mês de julho mais de 10 mil torcedores pagantes estiveram no Mangueirão. A saída do estádio não foi das mais animadas, visto que o empate, por 0 a 0, manteve o Papão fora do cobiçado G4, o que o simpatizante bicolor espera que não volte a ocorrer hoje à noite. Até porque, com o empate do Juventude, diante do São José, ontem, uma simples vitória garante o Papão no grupo dos quatro melhores.

“Seria o fim da picada, ou melhor, do sonho, empatar e, pior ainda, perder para o Boa”, diz o torcedor Anastácio Godinho Santos Magalhães, de 27 anos, que promete ir ao jogo, tendo inclusive comprado o seu ingresso de arquibancada antecipadamente. “Até o apito inicial da partida vou continuar acreditando na classificação, mas se o time não corresponder perco a esperança e deixo de prestigiar o Paysandu nos jogos seguintes”, ameaça o torcedor, morador do bairro do Tapanã.

O Paysandu, de fato, tem sido um verdadeiro fiasco jogando em seus domínios. Até aqui a equipe disputou um total de 6 jogos como mandante, nos quais obteve uma vitória e quatro empates, sofrendo uma derrota. Saliente-se que o jogo contra o Clube do Remo, óbvio, também foi em Belém, mas com o mando de campo do maior rival. Dos 18 pontos em jogo nas partidas como mandante, o Papão só obteve 7 pontos, um déficit, portanto, de 11 pontos, o que faz com que o time apresente o pior rendimento nessa condição entre os 20 cubes participantes do campeonato (Grupos A e B), com 38,9% de aproveitamento.

A produção bicolor jogando em casa é igual a do pior time do campeonato, o Atlético-AC, virtualmente rebaixado à Série D de 2020. O time acreano, lanterna do Grupo B, com 8 pontos, também tem 38,9% de aproveitamento jogando em Rio Branco. Portanto, o Papão, que é o 5º colocado, com 19 pontos, precisa mostrar que em sua casa quem manda é ele.

 


Adversário ainda acredita na classificação

Nada está perdido. Se antes do jogo contra o Juventude-RS, na rodada passada, esse era o pensamento do técnico do Boa Esporte-MG, Nedo Xavier, e de seus jogadores, com a vitória, por 2 a 0, sobre a equipe de Caxias do Sul, aí é que o grupo mineiro passou a ter motivo de sobra para continuar acreditando na classificação do Coruja, apelido do clube, à etapa seguinte da Série C. O resultado não só melhorou a posição do Boa na classificação, saltando da 8ª para a 7ª colocação, como ainda injetou ânimo para encarar o Papão, fora de Varginha. A equipe mineira vem a Belém disposta a pregar uma peça ao adversário, assim como fez no jogo de ida, quando derrotou com autoridade o mesmo adversário, por 2 a 0, acabando com um jejum de dois meses sem vitória. O resultado, àquela altura, tirou o time da região Sudeste da lanterna do Grupo B. A ordem de Nedo Xavier a seus comandados é aproveitar o embalo do bom momento para encurtar a diferença que separa sua equipe do último colocado do G4.

E para tentar a vitória fora de casa, o Boa tem em sua delegação o meia-atacante Raphael Luz, mais nova aquisição do clube e que poderá estrear contra a sua ex equipe, o Paysandu, pelo qual passou em 2016, sem deixar, diga-se, a melhor das impressões. O jogador de 30 anos disputou a Série D do Brasileiro pela Ferroviária-SP, eliminada pelo Cianorte-MT na segunda fase da competição. Ainda nesta temporada, ele vestiu a camisa do São Bernardo-SP na disputa da Série A2 do Paulistão. Entre 2017 e 2018, teve uma passagem sólida pelo Oeste-SP.

 


|
|
|

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS