Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
25°
cotação atual R$

Esporte / Esporte Pará

É AGORA OU NUNCA!

Time bicolor não vê empecilhos para conquistar um resultado positivo diante do Volta Redonda

quinta-feira, 18/07/2019, 08:53 - Atualizado em 18/07/2019, 18:05 - Autor: Onildo de Melo Lima


Não tem desculpa que justifique, na opinião do lateral-esquerdo Bruno Collaço, a perda dos três pontos ou parte deles no jogo que o Paysandu fará na segunda-feira (22), contra o Volta Redonda-RJ, pela Série C do Brasileiro, no Mangueirão. O jogador afirmou, ontem, que chegou a hora do Papão repetir em casa as boas apresentações que tem feito como visitante, condição em que detém o melhor aproveitamento da disputa, mas com vitória. Collaço ressaltou que diante do Juventude-RS, na rodada passada, a equipe bicolor foi superior, mas não soube tirar proveito para voltar para Belém como líder do Grupo B da Terceirona.

O defensor destacou que todos os ventos sopram favoráveis ao Paysandu, em que pese as qualidades do adversário, que não perde há três rodadas. “A gente tem a faca e o queijo nas mãos, jogo em casa, com o apoio do nosso torcedor e campo bom. Não tem o que reclamar, não tem desculpa. Cabe a nós imprimir um ritmo forte e traduzir isso em resultado”, afirmou. O jogador recomendou que o elenco tem de chamar para si a responsabilidade e fazer com que o resultado focado pelo time e esperado pela Fiel se concretize.

“É com a gente. Não tem muito o que falar. É trabalhar durante a semana”, disse Collaço, que afirmou não ter preferência em jogar na Curuzu ou no Mangueirão, embora esse seja um questionamento, segundo o atleta, que ocorre com frequência entre os jogadores. “Acho que a gente fez jogos interessantes tanto aqui na Curuzu como lá (no Mangueirão), então é muito particular”, disse. “A gente até conversa muito sobre isso. Têm alguns que preferem lá e outros preferem aqui”, revelou.

APOIO DA FIEL

Na visão do lateral, o que pode mesmo fazer a diferença em favor do Papão é o torcedor e o empenho do time dentro de campo. “Na verdade, se a torcida comparecer e no empurrar, como sempre faz, não vai ser muito diferente o campo de jogo em si. Acho que atmosfera é que vai fazer mesmo a diferença, com a gente correspondendo dentro de campo”, discursou o atleta. Ele lembrou que a equipe bicolor vem numa crescente, embora os resultados não tenham acontecido em algumas partidas, como na última delas em Caxias do Sul.

“A gente vem numa crescente em desempenho, independente de resultado, acho que a gente vem crescendo coletivamente”, avaliou Collaço, ressaltando a importância de o time fazer o dever de casa não só contra o Voltaço, mas também no jogo seguinte, contra o Boa Esporte-MG, na segunda-feira (29). “São dois jogos importantíssimos que daqui a pouco podem fazer a gente deslumbrar até 90% de nossa classificação”, apontou.

Pode chegar na Curuzu, torcida bicolor

Os portões da Curuzu voltarão a ser abertos ao torcedor do Paysandu no domingo (21), quando a equipe bicolor fará o seu último treino com vistas ao jogo do dia seguinte, contra o Volta Redonda-RJ, no Mangueirão, pela 13ª rodada da Série C do Brasileiro. A direção do clube informou, ontem, que a atividade do elenco poderá ser acompanhada pelo público a partir das 9h, sem qualquer gasto por parte dos torcedores. Mais uma vez, a diretoria em conjunto com a comissão técnica tenta trazer a Fiel para o lado do time num momento importante da equipe dentro do campeonato.

Mas, antes mesmo desse afago da diretoria, o torcedor vem demonstrando interesse em incentivar o Papão diante do Voltaço, no primeiro dos dois jogos que o time fará seguidamente em Belém - o outro será na segunda-feira (29), contra o Boa Esporte-MG. Se o primeiro lote de ingressos de arquibancada com preço promocional de R$ 15 se esgotou em uma “tapa”, o segundo com valor um pouco mais alto - R$ 20 - também estaria, segundo a direção do clube, tendo boa aceitação por parte da Fiel.

A ideia dos dirigentes e, principalmente, do técnico Hélio dos Anjos é ter o Mangueirão apinhado de torcedores bicolores, como forma de pressionar o adversário carioca. O visitante não está acostumado a ter grande público a seu favor e poderá sentir a pressão vinda das arquibancadas e cadeiras do estádio local. O Voltaço, no entanto, vem a Belém cheio de moral, acumulando, nas últimas rodadas do campeonato três vitórias seguidas, duas fora de casa, contra o Atlético-AC (2 a 1) e Tombense-MG (2 a 0) e uma em seus domínios, contra o Boa Esporte-MG (1 a 0).

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS