Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
25°
cotação atual R$

Esporte / Esporte Pará

TÁ PERTO

Diretoria só espera aval da CBF para reabrir o Baenão

terça-feira, 09/07/2019, 07:55 - Atualizado em 09/07/2019, 12:21 - Autor: Matheus Miranda de Oliveira


Estádio passou por vistória técnica da CBF, ontem, e extraoficialmente está em condições de receber jogos
Estádio passou por vistória técnica da CBF, ontem, e extraoficialmente está em condições de receber jogos | Maycon Nunes

O estádio Evandro Almeida, o Baenão, está com os dias contados para a sua tão aguardada reabertura para atividades do futebol profissional. Após o conflito de agenda na semana passada, ontem pela manhã, o local recebeu a visita de um engenheiro da CBF para vistoria técnica, com missão única em analisar e homologar os documentos da praça esportiva com base nos laudos recebidos pelo órgão, requeridos previamente. Embora fechada à imprensa e sem um posicionamento, ainda, oficial da agremiação, de acordo com uma fonte interna, o alçapão azulino teve o respaldo do profissional quanto à liberação e está apto para jogos, no que diz respeito a sua inspeção.

Isso porque ainda resta ao estádio o laudo relativo às condições do gramado para a realização das partidas e que somente uma equipe específica da própria CBF é que fica com essa incumbência. A diretoria segue confiante em reabrir o local, inclusive, trabalha com a hipótese de receber os jogos deste final de semana, contra o Luverdense, no Baenão, em dois horários: 10h ou 15h. Na tabela, no entanto, o confronto segue agendado para o Mangueirão, às 17h. A inspeção final deve ocorrer hoje. “Estamos esperando um sinal positivo, foi feito tudo previsto em responsabilidade do clube. Agora esperamos a decisão da CBF”, disse o presidente Fábio Bentes.

Sede social tem leilão marcado

Os fantasmas de gestões passadas voltaram a assustar o Clube do Remo, no dia de ontem. A Justiça Federal deu permissão para que a empresa Norte Leilões agendasse leilão da Sede Social da Avenida Nazaré para o dia 17 deste mês, estimado em R$ 15 milhões.

O motivo vem de débitos tributários, que estão em atraso na casa dos R$ 100 mil. Vale lembrar que em setembro de 2017 a mesma empresa realizou a mesma ação com respaldo do Ministério da Fazenda, para que a agremiação pudesse sanar as pendências financeiras.

De acordo com o diretor jurídico do Remo, Pietro Alves Pimenta, a agremiação entrará com recursos para impedir o leilão, além de quitar a pendencia. “O débito é um pouco mais de R$ 100 mil. Vamos trabalhar para sustar (suspender). São parcelas de alguns meses que estão pendentes, mas que o clube vai honrar com essas parcelas”, ponderou.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS