Diário Online

Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$
JÁ ERA!

Cigano é demitido pelo UFC após sequência de derrotas

Ex-campeão dos pesados deixa organização após quase 13 anos

terça-feira, 09/03/2021, 07:25 - Atualizado em 09/03/2021, 08:13 - Autor: Com informações Superesportes


Cigano vive fase ruim na carreira
Cigano vive fase ruim na carreira | Reprodução Facebook Júnior dos Santos Cigano

A 'guilhotina' do UFC, que nos últimos meses promoveu uma 'limpa' e dispensou lutadores de várias categorias, não poupou nem um ex-campeão. O catarinense Junior Cigano, dono do cinturão dos pesos pesados entre 2011 e 2012, foi demitido pela organização, na qual chegou em 2008. 

A informação foi divulgada pelo site do Combate, que também revelou a demissão de outro peso pesado importante no MMA, o holandês Alistair Overeem, ex-campeão do extinto Strikeforce, evento incorporado ao UFC em 2012. O brasileiro se manifestou nas redes sociais e agradeceu à organização pela oportunidade de ter vivido bons momentos no octógono. 

"Quero agradecer o UFC pelos meus 12 anos junto a organização. Passei pelos lutadores mais cascudos para conquistar minha chance ao cinturão. Conquistar e defender o cinturão foi uma das grandes honras da minha vida. Obrigado a cada adversário, cada fã, e cada crítico. Vou traçar meu novo começo, e estou empolgado para iniciar uma nova fase", escreveu o brasileiro, de 37 anos, em seu perfil no Instagram.

Cigano chegou ao UFC em 2008 e logo se transformou em promessa, com nove vitórias seguidas, incluindo o nocaute sobre Cain Velásquez, em novembro de 2011, que garantiu ao brasileiro o cinturão dos pesados. Ele defendeu o título contra Frank Mir e o deixou escapar em revanche contra o próprio Velásquez, um de seus grandes adversários na carreira. 

O lutador voltou a disputar o cinturão contra Cain Velásquez, em 2013, mas foi nocauteado. A partir dali, o brasileiro viveu altos e baixos, até sofrer quatro derrotas consecutivas, todas por nocaute técnico, para Francis Ngannou, Curtis Blaydes, Jairzinho Rozenstruik e Ciryl Gané. A sequência negativa foi determinante para o fim da passagem do ex-campeão pelo UFC. 

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS