Diário Online

Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
29°
cotação atual R$
EM BUSCA DO BI

Paysandu estreia no Parazão em confronto equilibrado contra o Castanhal

Paysandu dá o pontapé inicial na disputa do Parazão 2021, hoje pela manhã, diante do Castanhal, na Curuzu, Com pouco tempo de preparação, a expectativa é de um jogo equilibrado contra o Japiim

domingo, 28/02/2021, 08:25 - Atualizado em 28/02/2021, 09:02 - Autor: Tylon Maués


Imagem ilustrativa da notícia Paysandu estreia no Parazão em confronto equilibrado contra o Castanhal
| Reprodução/Instagram

Atual campeão estadual, o Paysandu inicia hoje sua caminhada em busca do bi do Campeonato Paraense. A missão já começa espinhosa, encarando aquele que é provavelmente o time que melhor se preparou para a competição. O Castanhal contratou alguns dos principais destaques do Parazão do ano que passou, pois sonha mais alto. O time aurinegro disputará em 2021 a Copa do Brasil e a Série D do Campeonato Brasileiro. Papão e Japiim da Estrada se enfrentam a partir das 10h30, na Curuzu.

“O adversário é competitivo, forte e com jogadores experientes. É um time que conhecemos as peças”, comentou o técnico bicolor Itamar Schülle, confirmando o que se deve esperar do Castanhal. Mais do que isso, o Paysandu foi o time com menor tempo de preparação para a competição, considerando-se que o Clube do Remo nem chegou a ter um intervalo de descanso, já que até a última quarta-feira disputava a Copa Verde.

O elenco foi quase todo reformulado, com a saída de 20 jogadores e a chegada de nove novos contratados, mais a subida de alguns garotos das categorias de base. Como alguns jogadores chegaram agora e alguns não têm condições físicas ou legais para estar em campo, o time ainda não tem lateral-direito e nem meia para botar em campo, o que vai gerar algumas improvisações na equipe titular de logo mais.

“Melhoramos bastante. O grupo trabalhou muito a parte física com crescimento técnico. No dia a dia é nítida a evolução, mas são poucos dias de treinos. Foram dez dias, com folgas necessárias para evitar lesões. Até a estreia serão 16 trabalhos de campo. É pouco, mas foi bem produtivo, principalmente pelo empenho de cada atleta que está aqui. Aos poucos essa equipe vai chegar aonde queremos”, comentou Itamar Schülle.

O treinador sabe que o Paysandu está sob olhares mais severos por parte de sua torcida, mas que espera por uma maior compreensão por parte da Fiel nesse momento de início de preparação visando a temporada. É de se esperar que o início de 2021, com poucos treinos até aqui, seja acompanhado de dificuldades a serem transpostas no decorrer do ano.

“O torcedor do Paysandu é exigente e não poderia ser diferente, mas também é um torcedor inteligente. Ele sabe que estamos bem atrás das outras equipes. Nosso adversário de domingo está treinando há mais de um mês e nós não temos nem quantidade de atletas para fazer um treino em conjunto”, disse. “Estamos montando um elenco, estamos usando jogadores de base para dar a eles mais experiência. O torcedor sabe compreender a situação pela qual passa o Paysandu”, completou o técnico do Papão.

Schülle estará à beira do campo pela primeira vez pelo Papão

Desde que chegou ao Paysandu, no dia 1º de fevereiro, o técnico Itamar Schülle ainda não comandou o time em nenhuma partida, seja oficial ou em amistoso. As partidas finais do Papão na Copa Verde tiveram ainda Aylton Costa no comando da equipe. Ou seja, ele também fará sua estreia no cargo e pede paciência da torcida, salientando o nível de preparação da equipe, garantindo que está preparado também para as críticas e os possíveis elogios que possam vir após o jogo de hoje.

“A vida é pautada pelos elogios e pelas críticas. Nunca encontrei alguém no futebol, que sempre tenha sido aplaudido. Numa hora as vaias aparecem”, disse. “Temos que ser ponderados, saber que a crítica tem que ser assimilada e - se for construtiva e não pessoal - a gente usa como base de análise. Até os elogios não podem ser superdimensionados”, completou Schülle.

Os pouco mais de dez dias ao lado desse elenco foram divididos entre treinamentos e a busca por mais jogadores para completar o elenco. Uma dupla jornada comum a começos de ano, mas que tem sido especialmente difícil com a desorganização geral do calendário nacional em virtude da pandemia de Covid-19. “Faz parte do nosso trabalho. Temos que dar os treinos diariamente, planejar, organizar. Acordo às 6 horas e vou dormir depois da meia-noite vendo jogos, analisando atletas, conversando com a diretoria para que consigamos contratar dentro da nossa realidade e que possam nos ajudar”.

Itamar Schülle comentou também sobre o inusitado de uma partida pela manhã, que é outro desafio que tem que ser transposto e com a necessidade de uma adaptação por parte dos jogadores. “É um horário diferente para o futebol, mas temos que estar prontos às 10h30 para começarmos bem a competição”.

E MAIS...

- Com muitas caras novas no elenco, alguns dos principais destaques do Papão para logo mais são os rostos conhecidos da torcida, como o zagueiro Perema e o atacante Nicolas. Quem tem experiência na competição estadual sabe o que a disputa reserva e as peculiaridades desse começo de ano no Pará.

- “A dificuldade pode ser o clima. Chove muito nessa época e os campos ficam muito pesados, isso pode trazer dificuldades”, comenta o lateral-esquerdo Diego Matos, que vai para seu quarto ano como profissional no Paysandu e que sabe que os olhares do clube estão voltados para bem mais adiante, para a Série B. Ainda assim, ele garante que o time bicolor entra na disputa para tentar o bicampeonato. “O Paysandu entra para vencer o estadual. Depois a gente pensa em nosso principal objetivo do ano, o acesso”.

- Para Perema, o desafio imediato é conseguir acompanhar o ritmo físico do adversário, logo mais. Honesto, ele diz que o peso dos poucos dias de preparação e mais a possível alta temperatura de hoje de manhã serão desafios a mais para serem encarados. “Possivelmente não estarei totalmente pronto. Teremos que saber jogar essa estreia, ainda mais num horário como esse. Quando não está muito quente está chovendo forte”, confirmou o zagueiro bicolor.

- O Castanhal teve um 2020 muito bom, chegando à terceira colocação do Campeonato Paraense, o que lhe valeu uma temporada cheia em 2021, com as vagas na Série D do Campeonato Brasileiro, na Copa Verde e na Copa do Brasil. Isso fez com que o Japiim da Estrada se reforçasse com alguns dos principais destaques do Parazão do ano passado, além da manutenção da comissão técnica comandada por Artur Oliveira.

- Além de quem ficou, o Castanhal levou para o Maximino Porpino jogadores como o goleiro Axel e o atacante Fidélis, que estavam no Bragantino; o atacante Quadrado, que se destacou pelo Itupiranga e que teve uma breve passagem pelo futebol do Iraque; o atacante Debu, que foi muito bem no Paragominas e depois vestiu a camisa do Paysandu; o meia Alexandre Santana, que jogou a Série D pelo Treze-PB, entre outros.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS