Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
30°
cotação atual R$

Esporte / Esporte Brasil

BOLETIM DE OCORRÊNCIA

"Brega, bicha": assessor acusa Ana Paula do vôlei de homofobia

terça-feira, 23/06/2020, 23:40 - Atualizado em 23/06/2020, 23:40 - Autor: FOLHAPRESS


| Reprodução

O assessor de imprensa Alexandre Alvim, 33, registrou no domingo (21) um boletim de ocorrência contra a ex-jogadora de vôlei Ana Paula Henkel, 48. Ele acusa a ex-atleta, que hoje mora nos Estados Unidos, de homofobia.

Segundo Alvim, Ana Paula mandou uma mensagem direta para ele no Instagram, na madrugada de domingo, dizendo que ele é muito brega e bicha. Ela estaria respondendo a um Stories em que ele postou a música "Black Parade", da cantora Beyoncé e que fala da luta contra o racismo.

Isabel detona Ana Paula: "um desserviço no combate ao racismo”

De acordo com print encaminhado por Alvim à reportagem, Ana Paula teria escrito para ele: "A bicha se acha linda. Você é muito brega. Puta que pariu! Hahahahaha se olha no espelho. Você é muito brega bicha",

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo informou que o caso foi registrado como injúria na Delegacia Eletrônica e encaminhado para a Delegacia de Atibaia, onde mora Alvim. "A vítima foi orientada quanto ao prazo para representação do crime", disse a SSP.

Procurada, Ana Paula não se manifestou até a publicação deste texto.

Alvim diz acreditar que a ex-jogadora se posicionou contra ele por causa de uma crítica que o assessor fez de uma postagem dela, do dia 3 de junho. Na ocasião, Ana Paula provocou polêmica ao publicar no Twitter: "12% negros, 62% dos roubos, 56% dos assassinatos. Faça as contas". Ela fez a publicação após retuitar um vídeo em que uma americana negra contesta o movimento antirracista que se espalhou pelos EUA após a morte de George Floyd.

De acordo com Alvim, ele mandou uma mensagem direta para ela no Instagram, dizendo que a ex-jogadora fez uma comparação preconceituosa, racista e distorceu números. "Citei a ironia que era a geração dela sempre perder e ter apanhado fora da quadra para uma seleção preta [de Cuba], e que na posição dela, tínhamos as duas maiores centrais da história, pretas e icônicas do vôlei: Regla Torres e Magaly Carvajal", afirmou. Ele faz referência à briga que ocorreu após a vitória de Cuba sobre o Brasil, na semifinal das Olimpíadas de Atlanta, em 1996, quando Ana Paula afirma ter sido agredida nos vestiários.

Segundo o assessor, a ex-jogadora apagou a mensagem dele na sequência. "Muita gente me criticou por expor a situação por ela ser uma conservadora, dizendo que estou dando mais espaço para ela, mas acho que a comunidade LGBTQ+ já ficou calada muito tempo, chegou a hora de expor quando a gente é ofendido, por isso decidi fazer o B.O. e também por uma questão de proteção", afirmou Alvim.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS