Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
25°
cotação atual R$

Esporte / Esporte Brasil

NOVOS CRITÉRIOS

Crivella volta atrás e suspende só jogos de Botafogo e Fluminense

sábado, 20/06/2020, 20:44 - Atualizado em 20/06/2020, 21:04 - Autor: FOLHAPRESS


| Lucas Merçon/Fluminense

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), voltou atrás no decreto que determinava a suspensão de competições esportivas na cidade, mesmo com portões fechados, até o dia 25 de junho.

Sem explicar as razões para a mudança horas depois da publicação e os novos critérios adotados, a prefeitura informou que apenas jogos de Botafogo e Fluminense não poderão acontecer nesse período.

Anteriormente, a suspensão forçaria a paralisação das partidas do campeonato estadual de futebol, retomado na última quinta (18) com o jogo entre Bangu e Flamengo, no Maracanã, após o próprio Crivella ter autorizado a realização do confronto dois dias antes de sua realização.

O Vasco tem jogo da Taça Rio marcado para a tarde deste domingo (21), contra o Macaé, em São Januário. Com a nova determinação do prefeito, ele poderá ocorrer como previsto, com portões fechados.

Já Fluminense e Botafogo tinham partidas agendadas para segunda-feira (22). As equipes, no entanto, contestavam judicialmente a tabela da federação estadual (Ferj), já que nem haviam voltado a treinar e são contrárias ao retorno do futebol antes de julho.

Agora, a Ferj deverá remarcar as partidas da dupla para uma data posterior a 25 de junho.

O decreto inicial de Crivella, publicação em edição extra do Diário Oficial do Município, neste sábado (20), baseava a suspensão das competições na "necessidade de adequação de protocolos sanitários apresentados pelas federações esportivas ao protocolo sanitário municipal".

Também previa que "os centros de treinamento de futebol profissional estabelecidos no município serão inspecionados pelo órgão sanitário municipal antes do reinício das competições oficiais".

Nesta sexta (19), após a partida do Flamengo, o Ministério Público do Rio de Janeiro encaminhou ofício à Ferj pedindo esclarecimentos sobre mudanças no protocolo de segurança sanitária adotado antes da partida entre Bangu e Flamengo.

O MPRJ diz ter sido informado pelo Cremerj (Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro) que o Flamengo não cumpriu diretrizes do protocolo, ao não ter realizado a concentração do time 48 horas antes da partida.

O Ministério Público questionou a fiscalização feita pela Ferj e solicitou que a federação esclareça os fatos. Também diz que é necessário dar transparência ao protocolo, divulgando o mesmo cinco dias úteis antes dos jogos, para não descumprir o estatuto do torcedor. A entidade o fez na véspera do jogo.

Em sua defesa, a federação aponta que incluiu no protocolo um teste rápido com material coletado de nasofaringe, alegando que o exame tem eficácia comprovada pela sua comissão médica, formada por representantes de clubes, e pode substituir o exame PCR por ter resultado imediato, retirando a obrigação da concentração.

A análise do tema vem sendo feito pela 2ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva e Defesa do Consumidor e do Contribuinte da Capital.

O protocolo Jogo Seguro foi aprovado pelas secretarias de saúde estadual e municipal e estabelece medidas para garantir o retorno das atividades esportivas de forma segura na segunda fase de flexibilização das medidas restritivas impostas na cidade do Rio.

O torneio voltou no mesmo dia em que o estado fluminense passou da marca de 8.400 mortes por Covid-19, registrando o terceiro maior número de óbitos (274) em 24 horas desde o início da pandemia. Em campo, o Flamengo venceu o Bangu por 3 a 0 em um Maracanã vazio, com proibição de público.

O plano da prefeitura carioca prevê seis fases no total, implementadas a cada 15 dias caso os índices elencados estejam dentro dos padrões, como números de óbitos, leitos e atendimentos. Na fase atual, iniciada na terça (16), estão liberados alguns comércios como lojas de decoração, hotéis, shoppings e centros comerciais populares como mercadões.

Praias e parques continuam abertos apenas para atividades físicas individuais, e restaurantes e bares seguem funcionando só com entrega, retirada e drive-thru. Nesta semana Crivella sinalizou que academias talvez possam reabir antes do esperado, em menos de dez dias.​

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS