Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
29°
cotação atual R$
VERTICAL

O carimbó encontra o rock no novo trabalho de Inesita

A musicista lança som novo que segue o encontro da potência do rock com elementos regionais

quarta-feira, 16/12/2020, 17:41 - Atualizado em 16/12/2020, 17:41 - Autor: Com informações de divulgação


| Divulgação

Inspirada pelo misto de sentimentos que o ano de 2020 trouxe para o mundo, especialmente para os brasileiros, Inesita, musicista e compositora paraense, lança o single “Vertical” como forma de exprimir as angústias de viver uma crise de saúde pública e uma crise política ao mesmo tempo.

Praticamente instrumental, com coro que entoa uma prece por bons tempos, o single foi gravado durante a pandemia e segue o fluxo dos álbuns anteriores lançados pela artista, “Normal de Pedra” (2017) e “Cinza” (2018), misturando diferentes ritmos regionais mas com a potência do rock.

A música fica disponível em todas as plataformas de streaming nesta sexta, 18 de dezembro.

Inesita apresentou seu lado compositora ao mundo em 2017 e já chegou chamando atenção na música paraense.

Com o primeiro EP, “Normal de Pedra”, foi vencedora das Seletivas Se Rasgum daquele ano e conquistou seu lugar em festivais como o Floresta Sonora e a Mostra Protótipo.

Depois de ampliar seus horizontes e se fortalecer com o EP profundo “Cinza”,  agora foi o momento de colocar corpo e alma numa música experimental que fala sobre seguir em frente.

“Resolvi experimentar nesse single a música instrumental porque, na realidade, é o natural. Digo que é natural porque eu sou instrumentista. Meu lance, minha liga, é tocar mesmo. Aí nasceu ‘Vertical’ que fala de força, que pede pra gente avançar. E foi como essa música surgiu. Eu tava pra baixo por conta desse ano massacrante, desse desgoverno, injustiças, preconceitos, enfim... decidi lançar o single e foi o que me puxou pra cima, vertical mesmo”, conta a artista.

Há mais de 10 anos, a musicista vem fazendo parte da música paraense tocando com vários artistas, como Sammliz, Liége, Leo Chermont e Elder Effe, mas foi depois do fim de sua banda, “A República Imperial”, que decidiu lançar projeto solo.

Tinha várias composições em mãos, a insegurança de se colocar como cantora, mas a força da conexão com a música falou mais alto. O que o mundo ganhou foi um trabalho que é essencialmente experimental e nada óbvio, por promover uma mistura que se destaca na cena paraense de música independente.

“Eu sempre amei rock, era o que eu ouvia na maior parte do tempo, era o que eu pesquisava com afinco e paixão, principalmente sons dos anos 60 e 70. Com o passar do tempo, quando saí da minha toca e fui pra rua, os curimbós e os ritmos paraenses entraram na minha vida e eles entraram de forma arrebatadora, mostrando toda a riqueza e a força da música daqui. A gente se sente, realmente, pisando no nosso solo, a gente passa a entender o som, a gente passa a entender a nossa terra e, consequentemente, a gente passa a se entender. Depois dessa explosão de trovão que são os tambores daqui, é impossível não colocar na minha música. É pegar influências, jogar no liquidificador e bater tudo”, explica Inesita.

Vertical chega nas plataformas de streaming de música na próxima sexta-feira, 18 de dezembro, a partir da meia noite. Você pode acompanhar o trabalho de Inesita no Instagram.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS