Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$
EXCLUSIVA

DOL entrevista: Nando Reis estará em Belém com turnê inédita. Confira o bate-papo!

terça-feira, 10/12/2019, 20:57 - Atualizado em 10/12/2019, 20:57 - Autor: Julyanne Forte e Paloma Lobato


| Reprodução/Instagram

O cantor, compositor, multi-instrumentista e produtor musical Nando Reis está de volta à capital paraense. No próximo sábado (14), os fãs do artista terão a chance de reencontrar com um dos maiores ídolos da MPB. Com a turnê "Amor sem preconceito", o cantor trará canções inéditas de seu novo álbum, além de clássicos de Roberto Carlos.  

Em um bate-papo exclusivo com o DOL, o cantor falou sobre o retorno à capital paraense. Confira: 

1- Quais são as canções de sua autoria que não podem ficar de fora do seu set list nos shows? 

Felizmente, eu tenho muitas canções que são da predileção do meu público e minhas, evidentemente, que se mantem no set list há muitos anos, dessas que as pessoas sempre querem ouvir. Imagino que quem vá ao show pela primeira vez, queira ouvir também, como: Segundo o Sol, Relicário, All Star Azul, Luz dos Olhos, Ao Seu Lado... Essas são algumas das músicas que estarão presentes também aí no show.


2- Como você se sente podendo voltar a Belém e sentir, literalmente, o calor do público paraense? 

Eu adoro tocar em Belém. É uma das cidades que primeiro me recebeu quando iniciei minha carreira solo, e havia uma dificuldade de tocar fora do pequeno circuito Rio-São Paulo. O público não migra para o artista solo. Então, com Belém, eu tenho uma relação de longa data e fiz shows memoráveis aí. Além de que eu sou encantado, apaixonado mesmo pela região, pelo rio. Acho Belém uma cidade linda. Tenho por Belém, um grande amor, um grande carinho. Estou louco para encontrar esse público de novo. 

3- Já aconteceu alguma situação inusitada?

A situação mais inusitada foi há muitos anos atrás, ainda nos Titãs. Nessa época, a nossa plateia era basicamente de homens, camiseta preta, um pessoal mais próximo do punk, do heavy metal.... e lembro que saiu lá de trás um cara gigante, gigante! Dava para ver ele atravessando a multidão com uma espécie de pedestal na mão, Na hora que ele chegou, a gente achou que ele fosse agredir e ele, simplesmente, chegou na frente do palco e se ajoelhou nos pés do Paulo Miklos. Era um super fã. Foi uma cena inesquecível.


4- Sua música atravessa gerações. Qual o segredo para continuar atraindo o público durante todos esses anos de carreira?

Eu não sei se é um segredo. É uma característica da minha música, embora as composições sendo escritas na primeira pessoa do singular e, a maioria delas, partindo de experiências pessoais, eu acho que aquilo que eu trato e abordo são sentimento universais e descritas da minha própria maneira, com a minha poética, a minha linguagem singular, que eu acredito que tenha os seus apreciadores. Eu me comunico com gente de todas as gerações, da minha idade, gente de 40, 30, 20, adolescentes... isso é gratificante demais. É muito bom.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS