Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
30°
cotação atual R$
Games

Zelda: Breath of the Wild elevou o nível do gênero mundo aberto, diz designer de Witcher 3

quarta-feira, 07/06/2017, 15:35 - Atualizado em 07/06/2017, 15:35 - Autor:


Desde que foi lançado, The Legend of Zelda: Breath of the Wild tem sido elogiado por trazer diversos elementos novos ao gênero de jogos de mundo aberto, que podem acabar influenciando novos títulos no futuro. Uma opinião inclusive compartilhada por diversos desenvolvedores.

Em uma entrevista para a GamesIndustry.biz, que pesquisou sobre a influência do jogo no futuro da indústria, dois desenvolvedores de jogos de mundo aberto deram sua opinião sobre o título, elogiando sua ousadia e conteúdo.

Damien Monnier, antigo designer sênior de The Witcher 3: Wild Hunt na CD Projekt Red e atual designer chefe na Techlnand, acredita que Breath of the Wild estabeleceu um novo nível para o padrão esperado em jogos de mundo aberto, elogiando as escolhas de design do jogo:

Breath of the Wild conseguiu trazer clássicas mecânicas de jogos de mundo aberto ao mesmo tempo que não se apoiou em nenhuma delas para guiar o jogador pelo seu mundo. Você vai e explora porque quer saber o que está lá, não porque um ícone diz para você fazer isso.

Minhas expectativas, e eu digo para mim como um fã de Zelda, mudou com certeza – eles aumentaram o nível exigido quando se trata de criar um mundo e essa sensação de imersão completa quando você joga. Enquanto seu mundo inclui atividades clássicas de mundo aberto, colecionáveis e inimigos cheios de loot, definitivamente não parece exagerado e permite que o foco seja na exploração. Você quer explorar essa terra mesmo que não esteja em uma missão ou seja pedido para coletar alguma coisa. Sabe, se você remover todos os NPCs, quests e inimigos, eu ainda teria prazer em explorar esse lindo mundo.

Outro desenvolvedor que deu sua opinião foi Benjamin Plich, designer chefe para Assassin’s Creed: Unity e For Honor, atualmente game designer chefe na Reflector Entertainment, que mostrou uma visão semelhante.

Breath of the Wild mostrou algo que a maioria dos designers já sabe, mas que é difícil conseguir… [estes jogos estão] evoluindo de mundos abertos clássicos para um modelo de jogo aberto – uma progressão aberta seguindo cada uma das motivações intrínsecas do jogador, uma curva de desafio e economia que se adapta, estruturas narrativas abertas e assim por diante.

Em nosso review destacamos justamente estes elementos e como a Nintendo foi capaz de trazer uma experiência completamente nova e melhorada para um gênero que já tinha jogos de nível muito alto, como The Elder Scrolls V: Skyrim e The Witcher 3.

The Legend of Zelda: Breath of the Wild está disponível para Wii U e Nintendo Switch.

Fonte: Jovem Nerd

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS