Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
25°
cotação atual R$
Games

Cinco jogos inspirados por Twin Peaks

segunda-feira, 22/05/2017, 15:07 - Atualizado em 22/05/2017, 15:07 - Autor:


Nada como um mistério em uma pequena cidade, uma sala vermelha bizarra e uma bela xícara de café. Twin Peaks, a obra-prima de David Lynch, é nada menos que uma das produções mais influentes e relevantes da TV americana. E claro que os videogames não deixaram de se inspirar nessa obra tão importante. De Bioshock a Zelda, de Sillent Hill a Life is Strange, todo mundo tentou pegar um pouquinho dessa essência enigmática:

Deadly Premonition

Deadly Premonition é o mais perto que jamais chegaremos de ter um Twin Peaks: The Game. O jogo foi inicialmente apresentado como Rainy Woods na Tokyo Game Show de 2007 e, por incrível que pareça, as primeiras reações foram críticas quanto ao jogo ser “parecido demais com a série dos anos 90”, o que levou os desenvolvedores a segurarem a mão das referências. Eles chegaram a mudar o nome do protagonista, que era parecido demais com Dale Cooper, o personagem principal de Twin Peaks — a ideia era chamá-lo de David Young Henning.

Mesmo com essas críticas, o jogo do SWERY65 continua sendo Twin Peaks de A a Z. Tem uma garota assassinada, uma cidade pacata, um policial que ama café e até uma sala vermelha onde coisas bizarras acontecem. Existe até um site que mostra todas as semelhanças visuais e relacionadas a história entre as duas obras.

comparacao

O jogo tem um agente do FBI que fala sozinho, visões sobrenaturais, uma mulher que segura um objeto todo tempo — no jogo uma panela, na série um pedaço de madeira — até o bar onde tem sempre uma mulher cantando é igual. Claro, que Deadly Premonition é muito mais que uma mistura de referências a David Lynch, mas Twin Peaks me ensinou a não dar todas as respostas.

Virginia

Virginia foi apresentado e vendido com base nas suas homenagens. A própria carta de apresentação do jogo à imprensa diz:

Influenciado por seriados clássicos da década de 90 como Twin Peaks e Arquivo X, VIRGINIA é um jogo interativo de mistério, com estilo cinematográfico e uma história que mistura o inescapável, o absurdo e o mundano.

Até a trilha sonora composta por Lyndon Holland tenta evocar o espírito de Angelo Badalamenti, o compositor das músicas da série. O jogo tem homenagens ao Bang Bang Bar e também tem policias analisando um caso de assassinato em uma cidade pacata.

chrome_2017-05-22_12-31-52

Mesmo com tudo isso, Virginia ainda tem um história de amor original e um desfecho de mistério bem diferente das séries. O jogo é curto, com aproximadamente 3h30 de duração, e está disponível em todas as plataformas.

Life is Strange

Uma jovem desaparecida, poderes sobrenaturais, uma pequena cidade no norte. A descrição cabe tanto para Life is Strange, quanto para Twin Peaks.

Um dos jogos mais aclamados dos últimos anos bebe bastante da fonte da série. No jogo, Max explora pistas e investiga o desaparecimento de uma garota chamada Rachel Amber. Os acontecimentos de Life is Strange se assemelham com a primeira temporada, onde o foco é o assassinato de Laura Palmer.

Os desenvolvedores não escondem a inspiração, tanto que em um espelho está escrito “Fire Walk with Me” (título do filme que antecede os eventos da série) e uma placa do carro com TWNPKS.

Resultado de imagem para Twin Peaks Life is Strange

Alan Wake

O thriller psicológico da Remedy Games tem florestas sombrias, grandes vales e uma cidadezinha com um café que é uma grande homenagem ao Double R Diner, com personagens peculiares e tudo.

2010-10-11-twinpeaks-lamplady

O escritor do jogo, que narra as aventuras de um escritor — Sam Lake — confirmou a conexão entre o jogo e o seriado em uma reportagem de 2005 da Eurogamer.

Alan é um escritor de sucesso que perdeu totalmente sua inspiração. Por isso, sua esposa leva ele para uma pequena cidade chamada Bright Falls a fim de recuperar a inspiração do marido.  Lá o protagonista conhece pessoas e acontecimentos bizarros e, após um acidente de carro, ele fica sozinho e encontra criaturas perigosas. Felizmente ele descobre que a luz de sua lanterna pode derrotar estes inimigos.

The Legend of Zelda: A Link’s Awakening

Essa te pegou te surpresa né? Os filmes surreais de David Lynch geralmente não são associados com os jogos da Nintendo, mas o primeiro The Legend of Zelda, e consequentemente toda a série, foi muito inspirada por Twin Peaks. Em uma edição do Iwata Asks, um programa de bate-papo entre desenvolvedores,  o diretor do jogo Takashi Tezuka admitiu a inspiração.

Ele diz:

Eu estava falando de moldar Link’s Awakening com aquele sentimento que Twin Peaks tem. Naquela época, a série era muito popular. O drama era todo sobre um número pequeno de personagens em uma cidadezinha. Então, quando chegou a hora de fazer o jogo, eu queria fazer algo que seria pequeno e pacato no escopo, mas seria profundo e teria características distintas.

A influencia de Lynch em Zelda não está em referências como alguém segurando algo, ou uma sala vermelha, mas sim na filosofia do design do jogo que utiliza elementos do diretor como pequenos personagens sem explicação, poderes místicos e algo meio etéreo relacionado a sonhos.


Claro que estes são só cinco dos vários jogos que foram inspirados por essa incrível série. Podemos citar como menções honrosas Thimbleweed Park, Silent Hills (P.T.), Persona 4, Sillent Hill, Kentucky Route Zero, Max Payne, Mizzurna Falls e muitos, muitos outros.

Twin Peaks teve duas temporadas e o retorno da série é transmitido no Brasil pela Netflix. Toda segunda feira um novo episódio da série. O episódio duplo de retorno já está disponível.

Fonte: Jovem Nerd

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS