Diário Online

Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$
EXPOSIÇÃO

Latino abre o jogo e fala sobre vício: ‘Perdi mais de R$ 10 milhões’

Cantor abriu o jogo sobre este drama em sua vida pessoal.

quarta-feira, 03/03/2021, 08:33 - Atualizado em 03/03/2021, 08:33 - Autor: Com informações de MSN


Imagem ilustrativa da notícia Latino abre o jogo e fala sobre vício: ‘Perdi mais de R$ 10 milhões’
| Reprodução

O cantor Latino está lançando a sua biografia e pretende transformar sua história de vida em série em 2022. Em conversa com a Quem, o cantor relembrou alguns momentos dos seus 30 anos de carreira.

Latino lançou seu primeiro disco Marcas de Amor, em 1994, e fez sua estreia nacional na televisão ao lado da Rainha dos Baixinhos. “Nessa mesma época, tive a sorte da Xuxa chamar o Marlboro para ser o DJ do programa dela. Foi no Xuxa Hits que tive a minha primeira aparição nacional. Tenho muita gratidão pela Xuxa,Marlene Mattos e pelo Marlboro também. Meu disco vendeu um milhão de cópias. Me apresentei mais de 40 vezes na Xuxa. Aí, a carreira realmente aconteceu e fui a todos os programas de TV”, contou.

Como a maioria dos artistas, o cantor viveu altos e baixos na carreira, e depois de conquistar as paradas, saiu de cena por alguns motivos. “Fiquei afastado e plantando a sementinha da Kelly Key, até ela estourar no mercardo. Depois fiz a Luka. Aí, em seguida tive uma separação conturbada, muitas decepções com as mães dos meus filhos e fiquei em depressão. Para piorar, perdi mais de R$ 10 milhões apostando em corrida de cavalo. Era viciado. Tudo que ganhei nos primeiros 10 anos de carreira, perdi”, relembrou o cantor.

Com o apoio de amigos, o cantor voltou às paradas de sucesso com os hits ‘Festa no Apê’ e ‘Renata’. “Reiniciei a carreira do zero, praticamente. Depois trouxe o Kuduro para o Brasil, com o Daddy Kall, e foi um fenômeno, entrando até na trilha sonora da novela Avenida Brasil. O artista precisa ficar ligado nas coisas que estão acontecendo no mundo. Essa busca tem que ser constante. Hoje, o mercado está muito misturado. A gente vê rap com funk, trap com forró. A galera está fazendo exatamente o que eu fazia lá atrás. O artista não pode ficar na mesmice”, disse.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS