Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
28°
cotação atual R$
AGLOMERAÇÃO

Chris Flores detona Jorge e Mateus e se explica depois

quarta-feira, 29/07/2020, 20:16 - Atualizado em 29/07/2020, 20:16 - Autor: FOLHAPRESS


| reprodução

Chris Flores, 42, explicou nesta quarta-feira (29) o desabafo que fez durante o programa Triturando, do SBT, na tarde de ontem, quando chamou de "egoístas, irresponsáveis e nojentos" um grupo de pessoas que se aglomeraram no Lago Paranoá, em Brasília (DF), onde também ocorria um show da dupla Jorge e Mateus.

"Me exaltei, falei palavras fortes mas falaria novamente tudo que eu disse", afirmou à reportagem a apresentadora e jornalista. "Minha moral eu tenho e assino em baixo em tudo que disse. Mas eu estava falando sobre a aglomeração, sim eu perdi um amigo ontem, estou muito tocada com essa história."

Ela se refere ao também apresentador e jornalista Rodrigo Rodrigues, que morreu ontem aos 45 anos após ser diagnosticado com Covid-19 e ser acometido por uma trombose venosa cerebral. "Meus sentimentos a família do jornalista Rodrigo Rodrigues, um grande amigo, uma grande pessoa", disse ainda no programa de ontem. "[Ele] morreu trabalhando, tinha que trabalhar. O que vocês estão comemorando? Mais de mil mortes por dia? Chega, gente pequena, gente nojenta!"

Chris, no entanto, deixou claro que suas críticas não foram direcionadas à dupla Jorge e Mateus, que fazia show no momento em que se formou a aglomeração. "Em nenhum momento aqui foi dito que a culpa é da dupla, eu não disse isso", explicou. "Conheço os meninos, gosto deles, eles estavam trabalhando. Eu torço muito por eles."

Os cantores também comentaram o fato por meio de nota enviada pela assessoria de imprensa deles à reportagem. Eles afirmam que o show, ao contrário do que as imagens dão a entender, não foi feito para as embarcações onde as pessoas se aglomeraram.

"Este evento ocorreu dentro de um complexo hoteleiro, com a platéia em seus quartos, sem acesso as áreas comuns e sem trânsito de pessoas", afirma o texto. "Aqueles que estavam em embarcações no Lago Paranoá não tinham qualquer tipo de acesso a apresentação da live, inclusive visual."

"Jorge e Mateus somente concordaram com a contratação para a realização da live após a comprovação e garantia dos organizadores de que haveria o cumprimento das normas de segurança em relação a saúde de todos e mediante apresentação de todos os documentos dos órgãos da administração pública que autorizasse a realização do evento –o que foi feito", prosseguem.

"Nenhum dos artistas concordam com aglomerações e também não tinham conhecimento do que estava ocorrendo neste lago, sendo competência exclusiva do poder público manifestar-se a respeito", avaliam. "Por fim, lamentamos profundamente por todas as vidas perdidas para a Covid-19, inclusive de familiares e de pessoas próximas a nós, e não estamos medindo esforços para tentar, de alguma forma, contribuir com todos aqueles que estão sofrendo com os reflexos dessa doença."


*

Leia a íntegra do comunicado:

"A dupla Jorge e Mateus informa que foi contratada pela empresa R2B de Brasília para apresentação em um projeto denominado "Live Na Praia".

Este evento ocorreu dentro de um complexo hoteleiro, com a platéia em seus quartos, sem acesso as áreas comuns e sem trânsito de pessoas.

Ressalta-se que Jorge e Mateus somente concordaram com a contratação para a realização da live após a comprovação e garantia dos organizadores de que haveria o cumprimento das normas de segurança em relação a saúde de todos e mediante apresentação de todos os documentos dos órgãos da administração pública que autorizasse a realização do evento - o que foi feito.

A apresentação foi EXCLUSIVA para o complexo hoteleiro, sendo que aqueles que estavam em embarcações no lago Paranoá não tinham qualquer tipo de acesso a apresentação da live, inclusive visual.

Entretanto, as imagens do lago vem sendo veiculadas num contexto em associação à imagem da dupla Jorge e Mateus, o que leva a falsa impressão de que o show estava sendo realizado para as embarcações presentes no lago Paranoá, o que já foi dito que não ocorreu. Salientamos ainda, que nenhum dos artistas concordam com aglomerações e também não tinham conhecimento do que estava ocorrendo neste lago, sendo competência exclusiva do poder público manifestar-se a respeito.

Por fim, lamentamos profundamente por todas as vidas perdidas para a Covid-19, inclusive de familiares e de pessoas próximas a nós, e não estamos medindo esforços para tentar, de alguma forma, contribuir com todos aqueles que estão sofrendo com os reflexos dessa doença."

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS