Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
29°
cotação atual R$
REENCONTRO

2ª Mostra de Teatro Nilza Maria apresenta produções paraenses

Haverá apresentações ao vivo e online

quinta-feira, 22/10/2020, 18:11 - Atualizado em 22/10/2020, 18:11 - Autor: Wal Sarges/Diário do Pará


| Divulgação

O espetáculo “Abraço”, montagem do Grupo Cuíra que traz em cena os atores Cláudio Barradas e Zê Charone, será apresentado neste domingo, 25, às 20h, no Theatro da Paz. A montagem é uma das onze que chegam ao público a partir deste sábado, 24, pela 2ª Mostra de Teatro Nilza Maria, que neste ano homenageia o teatrólogo e ator Cláudio Barradas, que também é padre. A programação, organizada pela Secretaria de Estado de Cultura (Secult) inclui espetáculos on-line e presenciais, até 1º de novembro. 

No palco do Theatro da Paz, “Abraço” traz duas pessoas, um homem e uma mulher, ambos sem nome. O homem é “Ele” (Cláudio Barradas) e a mulher, “Ela” (Zê Charone). A inspiração veio de um personagem da vida real, que trabalhava em uma rádio no setor de esportes. Ele era expansivo e alegre,mas depois de um tempo, parou de sorrir, de se aproximar das pessoas e até de se cuidar. Com esposa e uma filha, o negócio que ele tinha entrou em falência, e ninguém sabia o porquê. Ele se trancou em seu apartamento, começou a beber, a mulher o abandonou, levando a filha consigo e ele entrou em depressão. 

MOSTRA 

Batizada de Nilza Maria, um dos mais célebres nomes do teatro paraense que faleceu em maio deste ano, a mostra foi criada ainda para celebrar o Dia Mundial do Teatro, comemorado em 27 de março, mas precisou ser adiada em função da pandemia do coronavírus.

Desta vez, as encenações teatrais no Teatro Waldemar Henrique e no Theatro da Paz terão transmissões virtuais sendo feitas pela página do YouTube da Secult. Apenas no Teatro Gasômetro, será permitida gratuitamente a entrada de até 100 pessoas. Este ano, cada selecionado recebeu o cachê de R$ 5,5 mil, uma novidade em relação ao ano de 2019, quando o valor era de R$ 1,5 mil por projeto. 

O diretor de Teatro da Secult, Adriano Barroso, conta que foi preciso criar um plano urgente para sanar a ausência de uma programação presencial da mostra. “A Secretaria de Cultura está muito preocupada com toda essa cadeia da cultura. Então, decidimos colocar a mostra agora em outubro e experimentar também uma mostra virtual, com apresentações no Teatro Waldemar Henrique, no Theatro da Paz, que serão exibidas na página do Youtube da Secult. Apenas no Teatro Gasômetro, as apresentações ocorrem de forma presencial porque as encenações são de manhã e o espaço é mais amplo, por isso, iremos receber público, com espetáculos gratuitos. Acho que essa é uma das grandes mudanças da mostra desse ano e da gente também entrar no formato do teatro filmado para o virtual”, explica.

PAINEL DIVERSO

Este ano, a mostra está bem mais diversificada, diz Adriano Barroso. “Tem teatro com bonecos, teatro infantil, adulto, clowns, solo. Acredito que esse é um momento bem legal para que o público tenha uma amostragem do que é um movimento teatral aqui na região metropolitana de Belém. Além de grandes diretores e atores em cena, a mostra traz essa diversidade. Fizemos um edital e chamamos professores-doutores para fazer o julgamento desse edital e acredito que a curadoria foi muito feliz. É um momento em que a gente pode celebrar junto o teatro, em que a arte precisa de verdade se sobrepor a toda essa situação pandêmica que a gente está vivendo. A mostra dá a oportunidade de assistir em casa à programação, no conforto do lar”, diz. 

Barroso destaca ainda a homenagem feita à atriz Nilza Maria, que faleceu em maio deste ano. “É um ano difícil para todos nós, por tudo o que está acontecendo e pelas perdas que tivemos. A ida de Nilza foi sentida por todos nós, porque além dela estar cravada no coração de cada ator, de cada atriz e de cada fã do teatro paraense, ela também tinha uma importância muito grande na sua presença. Ano passado, na primeira Mostra Nilza Maria, ela foi homenageada e foi um momento muito bonito. Ficamos muito gratos por fazer essa homenagem em vida a ela. Este ano, realmente, a mostra ganha essa força de deixá-la viva, a luz que ela deixou sempre acesa para que as novas gerações entendam, falem e busquem quem foi e quem é Nilza Maria. Então, não poderíamos deixar de fazer a mostra, porque também é uma homenagem à nossa grande dama do teatro”, pontua. 

Pela importância de homenagear os grandes expoentes do teatro paraense em vida, o grande homenageado é Claudio Barradas, que completou 90 anos de idade, em janeiro, e 70 anos dedicados ao teatro. “Ele é merecedor de todos os louros, de todos os nossos aplausos. Achamos por bem prestar essa homenagem e dentro de uma mostra que traz o nome de um ícone, que é a Nilza. Essa mostra vem comemorar sete décadas de dedicação e ensino do Barradas a diversas gerações que partiram junto com ele na empreitada do teatro”, enaltece Barroso, que também destaca que foram premiados diversos espaços de resistência do teatro paraense. “Teve gente que abriu suas próprias casas para não deixar o movimento do teatro morrer na Região metropolitana de Belém”, completa.

Divulgação
 


CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA

Os Inigualáveis Hermanos Silva e o Circo Provisório - Grupo Folhas de Papel

Quando: Sábado, 24, 10h

Onde: Teatro Estação Gasômetro


Ce Deus Eco Nois - Ana Marceliano e Ruber Sarmento

 Quando: Domingo, 25,10h

Onde: Teatro Estação Gasômetro

 

Abraço – Grupo Cuíra

Quando: Domingo, 25, 20h

Onde: Theatro da Paz

 

Esperando Godot - Troupe Vira Rumos

Quando: Segunda-feira, 26, 20h

Onde: Teatro Waldemar Henrique

 

Lúgubre - Cia Paraense de Potoqueiros

Quando: Terça-feira, 27, 20h

Onde: Teatro Waldemar Henrique


A Vida, Que Sempre Morre, Que Se PerdEm Que Se Perca? 

Grupo Gruta 

Quando: Quarta-feira, 28, 20h 

Onde: Teatro Waldemar Henrique

 

O Despejo - Cia. Thaetro

Quando: Quinta-feira, 29, 20h

Onde: Teatro Waldemar Henrique

 

Reprises- Palhaços Trovadores

Quando: Sexta-feira, 30, 20h

Onde: Theatro da Paz

 

Escola de Passarinhos - Cleber Cajun

Quando: Sábado, 31, 10h

Onde: Teatro Estação Gasômetro


Solos do Marajó - Usina

Quando: Sábado, 31,20h

Onde: Theatro da Paz

 

Rir é o Melhor Remédio - Notáveis Clowns

Quando: Domingo,

1º/11, 10h

Onde: Teatro Estação Gasômetro

 

Pinóquio - In Bust

Quando: Domingo, 1º/11, 20h

Loca: Teatro Waldemar Henrique

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS