Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
30°
cotação atual R$
ESPECIAL

O Pará é o poder! Veja a lista de novos clipes paraenses que você precisa conhecer

sábado, 25/04/2020, 09:22 - Atualizado em 25/04/2020, 09:20 - Autor: Lucas Gonçalves (especial para o DOL)


| Montagem de Emerson Coe/DOL

Você costuma acompanhar as produções dos artistas de sua cidade? Belém possui uma variedade de artistas que apresentam suas experiências através da música e representam os espaços e contextos das ruas e dos bairros da cidade em videoclipes.

Essas produções locais são feitas paralelamente às grandes produções do eixo Rio-São Paulo, que segue detendo grande parte de consumidores do país devido à grande ocupação nas grandes mídias, efeito da colonialidade global (você mesmo pode ter a impressão de que o que é produzido pelo eixo é mais "valioso").

É importante entendermos onde nos encontramos nessa colonialidade global e perceber o nosso papel, pois nossa cidade é rica de conteúdo artístico, crítico e representatividade. Nossos artistas paraenses apresentam perspectivas decoloniais através de culturas populares, mesmo se utilizando de referências estrangeiras, mas que são adaptadas ao nosso meio. Os  conteúdos produzidos por músicos locais deveriam ter uma abertura maior para o consumo, afinal, nem tudo o que é bom vem de fora.

Enquanto seguem em busca de maior protagonismo, cantores e bandas vão construindo narrativas e as apresentando em suas músicas e videoclipes, apesar das dificuldades. "A grande dificuldade é a falta de recurso financeiro, que custa bastante caro, e mesmo quando conseguimos esse recurso o não retorno desse dinheiro é preocupante. Acaba se tornando um gasto e não um investimento, afinal viver de música na nossa cidade é muito difícil." relata o rapper Daniel ADR, que recentemente lançou o clipe "Saudade", com a parceria de Reinier e Emischramm. Confira:

- Daniel ADR, Reinier - Saudade ft. Emischramm

As bandas Lauvaite Penoso e Pajaro também lançaram clipes neste ano, assim como a cantora Keila. Os clipes apresentam peculiaridades de Belém, como as aparelhagens, os espaços e seus movimentos.

- Lauvaite Penoso - Som de Aparelhagem

- Pajaro - Beira-Mar

- Keila - Loka

A cena do rap paraense também está presente nas produções de videoclipes locais e a periferia está diretamente ligada neste contexto. Nomes como Xico Doido, Daniel ADR e MagoDuNorte falam da periferia em suas músicas, o que é importante para ressignificar este espaço que geralmente é visto de forma pejorativa.

Eles não somente constroem narrativas para combater este estigma negativo existente, como também falam de suas experiências e percepções cotidianas, como o Cachalote, Anna Suav e Drin.

Daniel ADR ressalta a importância de se produzir clipes: "clipe é um peça fundamental para qualquer artista. Com uma música boa conseguimos uma atenção sonora, o clipe agrega a questão visual, o que faz o público dar uma atenção maior". Confira alguns videoclipes lançados em 2020:

- MagoDuNorte - "Caos"

- Cachalote ft. Anna Suav - Rumos

- Daniel ADR - Asas De Ícaro

- Aula #5 Drin - Flores De Plástico

- Xico Doido & Selektah Nubeat - Vida Corre

Mesmo com a pandemia do Covid-19 que afeta o mundo, os artistas buscam alternativas para dar continuidade em suas produções. Temos como exemplo a rapper Nic Dias, que está produzindo seu clipe "Baby Prince$$".

Divulgação
 

A ideia é fazê-lo sem sair de casa, respeitando isolamento social. Ele será feito em forma de "challenge" (desafio), no qual as mulheres que queiram participar devem enviar um vídeo reproduzindo a coreografia que está nas redes sociais da Nic Dias. O videoclipe será lançado no dia 15 de maio.

Texto especial para o DOL de Lucas Gonçalves, jornalista e pesquisador sobre decolonialidade e videoclipes na Amazônia.

Edição de Enderson Oliveira, coordenador de conteúdo no DOL.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS