Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
30°
cotação atual R$
VIDA ONLINE

Artistas buscam alternativas para continuar interagindo com o público durante isolamento 

terça-feira, 17/03/2020, 08:50 - Atualizado em 17/03/2020, 09:01 - Autor: Wal Sarges/Diário do Pará


Marisa Brito, que reside em São Paulo, passou todas as suas aulas de canto presenciais para online.
Marisa Brito, que reside em São Paulo, passou todas as suas aulas de canto presenciais para online. | Divulgação

Lives com shows e alternativas de trabalho on-line são as formas encontradas por artistas paraenses para se manter em atividade em cidades onde residem, como no caso de Rio de Janeiro e São Paulo, que já apresentam casos da Covid-19, por meio de transmissão comunitária. As medidas de contenção da doença, com distanciamento social e, nisso, a proibição de realização de shows, afetou diretamente a classe artística que depende do público para sustentar sua produção.

O cantor e compositor Felipe Cordeiro conta que o jeito que encontrou para continuar próximo ao seu público foi fazendo shows on-line na sua página do Instagram. “Para tentar ser criativo e não surtar, além de trocar uma vibe positiva com as pessoas e não ficar só reclamando, resolvi fazer uma live domingo no meu Instagram, formato que talvez eu vá manter e acho que na quinta-feira já tem outra marcada. Vou fazer essas lives numa espécie de pocket-show com o único intuito de trocar energia positiva, de aglomerar as pessoas virtualmente, e se manter emocionalmente bem”, justifica o músico, que não é o único a buscar alternativas ao isolamento. “Acho que tem muita gente sendo criativa. Na Itália, eu vi que alguns artistas começaram a fazer shows das varandas das casas. Eu pretendo intensificar essas transmissões on-line”, antecipa o músico.

Felipe, que reside em São Paulo, diz que alguns shows seus já foram cancelados por conta das proibições na realização de eventos. “Até semana passada, as coisas estavam preocupantes, mas tudo estava indo com normalidade até serem cancelados os shows pelo mundo. E essas medidas chegaram aqui no Brasil. Então, eu mesmo já tive dois shows cancelados, um em Lisboa no próximo dia 25, em Portugal, e outro que faria em Maceió, Alagoas. Consegui ainda fazer um show na última sexta-feira, 13, aqui em São Paulo”, diz.

AULAS DE CANTO

A cantora e compositora Marisa Brito, que também vive em São Paulo, conta que sua rotina tem seguido as recomendações das autoridades. “Aqui em São Paulo eu estou trancada em casa, mas tive que sair porque o meu gato está fazendo tratamento de saúde e para isso estou tomando todas as precauções nesse trajeto. Percebi durante o percurso que o trânsito estava mais calmo para uma segunda-feira, mas ainda vejo muita gente despreocupada, achando que as medidas de segurança são uma teoria da conspiração, invenção ou exagero”, lamenta a cantora.

Quanto aos artistas, o que resta é buscar alternativas que a tecnologia pode proporcionar. “O mercado musical, por causa da força da internet, já vem mudando a forma de se vender e de se projetar. Com essa situação do coronavírus, a gente tem a internet a nosso favor. Então, a gente vai ter que se apropriar disso e vender produtos artísticos de forma on-line”, defende.

Este ambiente de trabalho virtual não é novidade para Marisa. “No meu caso, como sou professora, faço preparação vocal, já sou acostumada a trabalhar de forma on-line, tanto é que atendo gente no mundo inteiro, tenho alunos na Alemanha, em Portugal, em outras cidades do Brasil, até mesmo em São Paulo. Eu tinha alunos presenciais, mas já troquei para on-line. Então, pelo menos durante as próximas duas semanas, vou ficar só dando aula e fazendo atendimento pela internet”, resigna-se.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS