Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
28°
cotação atual R$
TENDÊNCIA

Conheça os criadores paraenses de Podcast

sexta-feira, 08/11/2019, 21:50 - Atualizado em 08/11/2019, 21:52 - Autor: Julyanne Forte


| iStock

Você já ouviu falar em Podcast? Essa mídia é um arquivo digital de áudio, transmitido através da internet, que começou a ser produzida em 2004 no mundo e no Brasil.

Com uma linguagem descontraída, leve e objetiva, os podcasts falam sobre assuntos variados, desde de uma conversa entre amigos, dicas de marketing, até uma análise de cervejas nacionais, por exemplo. O público? Mais diversificado ainda. Tem conteúdo para todos os gostos e idades.

Inicialmente, esse tipo de mídia era disponibilizado apenas em Ipods e Iphones, considerados itens de luxo no Brasil, o que dificultava o acesso da maioria das pessoas. Porém, com o surgimento de aplicativos streaming de música, como o Spotify e o Deezer, os podcasts se tornaram mais acessíveis. 

Em Belém, a mídia cresceu de forma significativa em 2019 e continua em expansão. “As pessoas estão começando a se organizar, estão criando coletivo de podcasters, que é justamente para trocar informações e fortalecer o movimento. Aqui em Belém, por exemplo, já tem coletivo de podcast que organiza evento e isso está se espalhando pelo mundo todo”, conta a paraense Cintia Pudim, criadora do Pudimcast.

Ana Clara, um das locutoras do podcast paraense A Casa do Raio que o Parta, acredita que o público que consome podcast vem aumentando em Belém e está absorvendo a tendência aos poucos. “Temos procurado atentar mais para a movimentação dos realizadores de podcast aqui da cidade para entender melhor esse momento. Estamos também em processo de aprendizado dessa linguagem”, diz a podcaster.

Desde 2013, o paraense Fábio de Andrade ouve e produz o podcast "Último Episódio". No início, os assuntos eram focados na literatura, especificamente voltados para leitores. Atualmente, o locutor trabalha com uma proposta mais abrangente, sobre cultura, filmes, entre outros assuntos, sem deixar a vertente literária de lado.

Fábio acredita que o público de Belém precisa conhecer mais sobre essa mídia. “O ponto principal, a partir de agora, é apresentar o podcast de uma forma mais didática”.

Pudimcast

Divulgação
 

De acordo com Cintia, o conteúdo do pudim é, resumidamente, sobre tecnologia, comportamento e curiosidades, tudo regado de muito bom humor. “O conteúdo do Pudim é muito das coisas que eu gosto, que eu tenho interesse. Eu acho até meio difícil definir o público, porque eu conheço ouvintes que vão dos 15 aos 60 anos”, afirma.

A criadora do Pudim fala sobre a facilidade que o podcast traz às pessoas que consomem esse tipo de mídia. “Como nós estamos em um dia a dia muito corrido, o podcast surge como uma alternativa para a distribuição de conteúdo. Talvez, se eu tivesse um canal no YouTube não fosse atingir tantas pessoas como eu atinjo no meu podcast. Eu não preciso que a pessoa fique olhando para a mim, ela tem só a minha voz”, explica Cíntia.

A podcaster (como são chamadas quem faz ou grava podcasts) acredita que essa mídia é mais acessível e não exige de equipamentos sofisticados para produzir. “Como o podcast é mais acessível, as vezes você faz só com um celular e internet, é muito mais fácil para as pessoas entrarem nesse mundo”, diz Cíntia.

A criadora do Pudim fala que o podcast resgata um pouco do rádio, da proximidade com o ouvinte “só que agora é só o seu podcaster favorito falando no seu ouvido, é lindo isso”, finaliza, entusiasmada.

Casa do Raio que o Parta

Divulgação
 

Criado por cinco amigos radialistas: Ana Clara, Leo Bitar, Lucas Padilha, Raul Bentes e Sammliz, o podcast é um dos produtos do Coletivo Parquet, que também foi fundado pelo grupo. 

Segundo o material de divulgação do grupo, a primeira produção do Coletivo foi o programa Casa do Raio que o Parta, que estreou em maio de 2019. “É um bate-papo com um tema por semana, contando com a participação de convidados de diferentes campos e música ao vivo em algumas edições”, informou o material.

Além do arquivo de áudio, toda a produção do programa vai ao ar todas as terças-feiras, 21h30, por transmissão ao vivo no Instagram. Às quintas, entra no ar a edição completa, no formato de podcast, com conteúdo extra gravado após a transmissão.

“A nossa ideia em propor esses dois formatos, era para facilitar o acesso do público, pegar públicos diferentes para esses momentos e também ter esse ponto de conteúdo especial para edição do podcast. A gente acredita que as redes têm contribuído nessa comunicação com o público e seguimos apostando no formato”, explica Ana Clara.

Dados

De acordo com uma pesquisa inédita feita pelo Ibope, originalmente publicada no site da revista Piauí, 40% de internautas brasileiros já escutaram um podcast. Os homens representam 45% dos que já ouviram ao menos uma vez e as mulheres 36%.

Os ouvintes fiéis, que escutam podcast diariamente, totalizam 19% dos usuários da internet. O celular é o principal equipamento para o consumo dessa mídia, seguido por computador e tablet, informa a pesquisa.

Um levantamento feito pela plataforma Deezer indica que os programas de áudio sob demanda cresceram 67% no país em 2019. O estudo foi feito com dados de serviços de streaming como Spotify, Apple iTunes e Google Podcasts. 

A própria Deezer, que distribui programas em áudio, também usou dados próprio no levantamento e viu o consumo da mídia crescer 177% em sua plataforma durante os últimos 12 meses.

 

PARA CONHECER MAIS

A fanpage Podcasters Paraenses

Kaomacast

PODFalando

Curimba, meu filho!

Nem te Conto

Recomenda Aí 

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS