Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$
ESPECIAL

Garantido homenageia Nossa Senhora de Nazaré e conquista 32º título no Festival Folclórico de Parintins

segunda-feira, 08/07/2019, 11:15 - Atualizado em 08/07/2019, 12:57 - Autor: Enderson Oliveira


O Boi Bumbá Garantido se sagrou na última semana campeão do 54º Festival Folclórico de Parintins.
O Boi Bumbá Garantido se sagrou na última semana campeão do 54º Festival Folclórico de Parintins. | Elcio Farias/ Imprensa Garantido

Falar que o festival Folclórico de Parintins é de arrepiar é um clichê inevitável.

Em uma aula de como unir tradição popular, espaço (urbano e não urbano) e mercado, a cidade no interior do Amazonas de apenas 100 mil habitantes merece ser visitada e possui particularidades interessantes. Neste texto, que é bem mais uma reunião de impressões da cidade e do festival que uma matéria "de fato" jornalística sobre o evento e a 32ª conquista do Boi Garantido, que também homenageou Belém do Pará, busco resumir algumas destas nuances.

De cara, o óbvio: por ser uma ilha, só se chega a Parintins por via aérea em seu pequeno aeroporto ou pelas águas, através do imponente Rio Amazonas. Se o terminal hidroviário é pequeno, abafado e não há tanto cuidado com limpeza, a área do porto é bem mais ampla e agrega também outros inúmeros serviços. É justamente destas duas formas que anualmente, no último fim de semana de junho, chegam ao local cerca de 30 mil turistas, sejam os "constantes" (afinal voltar parece ser inevitável), sejam os que vão pela primeira vez. A cidade se transforma e a calmaria de local pacato é transformada da noite para o dia - literalmente - em uma série de shows e festas que extrapolam o Bumbódromo, que ocupa grande área no centro da cidade.

É para os turistas, principalmente, que ocorre uma festa específica, em geral gratuita ou com apenas uma a entrega de quilos de alimentos para doação: a Festa dos Visitantes. Este ano quem comandou a programação foi Anitta, que recebeu um polêmico cachê de meio milhão de reais, o dobro do que costuma cobrar por apresentação em qualquer outro lugar.

A polêmica não parou por aí. Quem esteve na "Ilha da Magia" percebeu também o estranho modo para se adquirir os ingressos: cada pessoa deveria comprar um kit de alimentos (que seria doado para instituições de caridade) e trocar pela fita que identificava o público no show. Este era o "ingresso". No entanto, apenas alguns supermercados faziam tal troca, imediatamente após as compras. Traduzindo: você comprava o(s) alimento(s) e nem o(s) colocava na sacola para levar para casa. Eles eram "devolvidos" (voltavam para as prateleiras?) e depois, com a nota da compra, se recebia o "ingresso". Que estranho, não?!... Tudo isto para assistir um show sem muito vigor da "nova diva pop", com quase nenhuma interação com o público em pouco mais de uma hora de apresentação.

Reflexões à parte, é curioso notar que as festas na cidade estão longe de restringir aos dias de festival. Pelo contrário. Há uma série de programações diárias - talvez até mesmo de hora em hora - e é preciso estar com a saúde e fôlego em dia para aguentar o intenso calor na cidade (se você acha Belém muito quente, vá e reveja seus conceitos...).

Quente e tranquila, Parintins recebe cerca de 30 mil turistas durante o festival.
Quente e tranquila, Parintins recebe cerca de 30 mil turistas durante o festival. Enderson Oliveira
 

Há, por exemplo, apresentações noturnas (os "Bois de Rua") que invadem a noite e a madrugada na cidade sem realmente terem horário para terminar. Neste ano, a do Caprichoso saiu por volta de 21h de domingo (23) e foi até por volta de 3h de segunda. Já na segunda, a do Garantido (24) seguiu até por volta de 5h, em um percurso de poucos quilômetros, que parte dos currais (os "barracões") de cada boi e seguem até a Catedral de Nossa Senhora do Carmo, padroeira da cidade.

Também é possível participar dos ensaios abertos que ocorrem nos currais e também no Bumbódromo dias antes das apresentações oficiais. Estas programações são gratuitas e agregam uma série de outros serviços, como venda de bebidas, alimentos, souvenirs. Não é raro ver o bumbódromo lotado, em ambos os lados, durante um ensaio.

O Boi Caprichoso lotou o Bumbódromo no último ensaio antes do festival. Apesar da empolgação, o tri não veio.
O Boi Caprichoso lotou o Bumbódromo no último ensaio antes do festival. Apesar da empolgação, o tri não veio. Enderson Oliveira
 

Parintins, inclusive, é dividida em duas áreas: a azul do Caprichoso (azul mesmo, com os canteiros pintados em tal cor) e a vermelha, do Garantido, seguindo a mesma lógica. Caso você se perca, basta olhar para o chão para saber de que lado da cidade está.

Também como dica, vale ainda notar outro ponto fundamental: se for viajar para lá, leve dinheiro! Não há (ao menos até agora) Caixas 24 Horas e os caixas de bancos não funcionam de forma constante. Para piorar, muitos estabelecimentos não aceitam cartão de crédito e nem débito por vezes (até porque nem haveria sinal de internet para conexão...). É, isto mesmo! A internet na cidade, independente da operadora, é no  máximo ruim. Com a chegada de mais turistas, aí mesmo que praticamente não se encontra mais sinal.

A pacata Parintins se transforma nos dias do festival.
A pacata Parintins se transforma nos dias do festival. Enderson Oliveira
 

Por fim, há riscos, é claro, mas o policiamento na cidade é constante. Há algumas áreas - em especial uma, chamada de "macacada", termo pejorativo e popular do local que se refere a áreas de palafitas e "baixadas" consideradas mais perigosas. Fora isto, não é raro ver pessoas andando e mexendo no celular - provavelmente sofrendo para tentar se conectar e postar as fotos e vídeos feitos.

O FESTIVAL

As três noites do espetáculo se constituem no evento principal, é claro, e possuem uma lógica clara. Cada Boi Bumbá possui 2h30 para fazer sua apresentação. O sorteio da ordem ocorre dias antes. Este ano, o Garantido abriu a primeira noite, na sexta-feira passada (28), seguido do Caprichoso. No dia seguinte, a ordem é invertida e, na noite final, volta-se para a ordem do primeiro dia.

Ver essa foto no Instagram

Segunda Noite de Apresentação Fotos Pedro Coelho 📸 #BoiCaprichoso #rumoatri

Uma publicação compartilhada por Boi Caprichoso (@boicaprichoso) em

Neste ano foi realizada a 54º edição do Festival. O Caprichoso possuiu como tema "Um canto de Esperança para a Mátria Brasilis" e lutava pelo tricampeonato e 24º no total, enquanto que o Garantido, com o lema de "Nós, o povo!" tentava quebrar a hegemonia do Boi da Francesa e garantir seu 32º título.

O Ver-o-Peso foi estetizado e representado na segunda noite do Garantido.
O Ver-o-Peso foi estetizado e representado na segunda noite do Garantido. Enderson Oliveira
 

Para definir o campeão, são avaliados no total 21 itens, que se misturam nas apresentações, mas são distribuídos em:

- Bloco A: Apresentador (que organiza a apresentação como um todo, também interagindo com o público); Levantador de toadas (o cantor das toadas); Marujada de Guerra ou Batucada (a "bateria", se fosse uma escola de samba - as analogias são inevitáveis); Amo do Boi (o dono da fazenda, encarregado dos versos e "desafios criativos"); Toadas (canções específicas); Galera ("torcida", fãs) e Organização do conjunto folclórico (coletivo que organiza toda a apresentação) 

- Bloco B: Porta-Estandarte (conduz o estandarte com o símbolo do boi); Sinhazinha da Fazenda (dona do Boi); Rainha do Folclore (que representa todas as manifestações populares do país); Cunhã-Poranga (a dona da tribo, a mulher mais linda); Boi-bumbá evolução (símbolo maior do festival); Pajé e Coreografia.

- Bloco C: Ritual indígena; Tribos indígenas; Tuxaua (chefe da tribo); Figura típica regional (algum símbolo da cultura amazônica); Alegorias; Lenda amazônica e Vaqueirada (guardião do boi).

Veja o vídeo feito por Matheus Almeida:

Algumas diferenças são bem claras, como a imponência e por vezes até mesmo megalomania e pirotecnia nas alegorias do Caprichoso, que lembra muito mais carros de uma escola de samba que algo mais folclórico, em detrimento do Garantido que este ano foi bem mais técnico.

Nas arquibancadas, as galeras também possuem até certo ponto um perfil diferente. Não me refiro à discussão desnecessária (e chata) sobre qual seria o "Boi do povo", até porque visualmente se assemelham, mas há que se notar que a torcida rubra é bem mais entusiasmada e contagiante. Nem são necessários tantos efeitos para se notar isso, o que contagiou até mesmo o humorista Fábio Porchat.

Indo além da Galera, este ano o Garantido homenageou Belém e o Círio de Nazaré na segunda noite, provocando grande emoção no público. Até mesmo a Batucada estava com blusas com a imagem de Nossa Senhora. 

Nossa Senhora de Nazaré foi um dos destaques da apresentação do Garantido.
Nossa Senhora de Nazaré foi um dos destaques da apresentação do Garantido. Enderson Oliveira
 

Com uma galera, levantador e toadas irretocáveis, conseguiu inúmeras notas 10 e garantiu seu 32º título, mostrando que, apesar da cidade se dividir em duas cores, apenas um tom pode ser mais forte e sublinhar a beleza e encanto que singularizam a "Ilha da Magia" durante seu Festival Folclórico. Entre a eternidade e a glória momentânea, é certo que ano que vem, de 26 a 28 de junho, tem (muito) mais.

Enderson Oliveira (Coordenador de Conteúdo DOL)

O Boi Bumbá Garantido se sagrou na última semana campeão do 54º Festival Folclórico de Parintins.
O Boi Bumbá Garantido se sagrou na última semana campeão do 54º Festival Folclórico de Parintins. | Elcio Farias/ Imprensa Garantido
Quente e tranquila, Parintins recebe cerca de 30 mil turistas durante o festival.
O Boi Bumbá Garantido se sagrou na última semana campeão do 54º Festival Folclórico de Parintins. | Elcio Farias/ Imprensa Garantido
A pacata Parintins se transforma nos dias do festival.
O Boi Bumbá Garantido se sagrou na última semana campeão do 54º Festival Folclórico de Parintins. | Elcio Farias/ Imprensa Garantido
O Boi Caprichoso lotou o Bumbódromo no último ensaio antes do festival. Apesar da empolgação, o tri não veio.
O Boi Bumbá Garantido se sagrou na última semana campeão do 54º Festival Folclórico de Parintins. | Elcio Farias/ Imprensa Garantido
O Ver-o-Peso foi estetizado e representado na segunda noite do Garantido.
O Boi Bumbá Garantido se sagrou na última semana campeão do 54º Festival Folclórico de Parintins. | Elcio Farias/ Imprensa Garantido
Nossa Senhora de Nazaré foi um dos destaques da apresentação do Garantido.
O Boi Bumbá Garantido se sagrou na última semana campeão do 54º Festival Folclórico de Parintins. | Elcio Farias/ Imprensa Garantido

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS