Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
28°
cotação atual R$
SE LIGA!

É fã? Confira cinco filmes com Tom Hanks para assistir durante a quarentena

terça-feira, 05/05/2020, 09:58 - Atualizado em 05/05/2020, 10:20 - Autor: FOLHAPRESS


Responsável por uma receita de mais de US$ 9 bilhões (R$ 50,2 bi) em bilheterias de todo mundo, o ator é um dos mais prósperos da história.
Responsável por uma receita de mais de US$ 9 bilhões (R$ 50,2 bi) em bilheterias de todo mundo, o ator é um dos mais prósperos da história. | Divulgação

Se para os mais novos Tom Hanks é o cara que dubla Woody em "Toy Story", para aqueles que já passaram dos 30 ele é o rosto dos filmes açucarados que passavam na Sessão da Tarde. Atualmente, Hanks é mais que qualquer referência geracional: ele é o sujeito famoso que sobreviveu ao coronavírus. Junto com a mulher, Rita Wilson, ele anunciou no final de março que ambos estavam curados da doença.

Em qualquer um dos extremos etários em que se esteja, é importante lembrar que, assim como na vida real, Hanks já mostrou seu poder de sobrevivência também nas telas, em produções que vão muito além de romances como "Splash, uma Sereia em Minha Vida" e "Mensagem para Você".

Responsável por uma receita de mais de US$ 9 bilhões (R$ 50,2 bi) em bilheterias de todo mundo, o ator é um dos mais prósperos da história. Com isso, vale a pena aproveitar a quarentena para maratonar cinco grandes sucessos de sua carreira disponíveis nos serviços de streaming – e que vão além do hors concours "Forrest Gump".

Filadélfia

 

Fazia pouco mais de uma década que a Aids assolava o mundo quando, em 1993, os cinemas apresentaram o drama de Andrew Beckett, um advogado homossexual que é demitido de seu renomado escritório quando apresenta sintomas da doença. Hanks, que ganhou o Oscar de Melhor Ator, emagreceu mais de 20 quilos, e se aproximou de grupos de soropositivos como laboratório para o papel. O filme é dirigido por Jonathan Demme, de "O Silêncio dos Inocentes", e tem Denzel Washington como o advogado contratado por Beckett para defendê-lo. A canção "Streets of Philadelphia", de Bruce Springsteen, levou o Oscar de Melhor Canção Original.

O Resgate do Soldado Ryan

 

Neste, que é um dos melhores filmes de guerra da história, Hanks é o capitão John H. Miller, que comanda uma equipe de sete homens em busca de James Francis Ryan, paraquedista desaparecido durante a invasão da Normandia, na Segunda Guerra Mundial. Encontrá-lo é importante porque seus outros três irmãos, também militares, já foram mortos no conflito –Ryan é o único sobrevivente. Mesclando controle com emoção, Miller desenvolve laços com os soldados ao revelar seu lado humano. O filme foi lançado em 1998, e é dirigido por Steven Spielberg.

Prenda-me se For Capaz

 

Golpista profissional, o americano Frank Abagnale Jr. fingiu ser, na década de 1960, piloto de avião, médico, advogado e agente do FBI, tudo antes de completar 18 anos. O objetivo era falsificar cheques sem fundos. Sua história foi contada nas telas por Steven Spielberg, com Tom Hanks no papel de Carls Hanratty, escolhido pelo FBI para prender o garoto. A perseguição –literalmente cinematográfica– a Abagnale, vivido por Leonardo di Caprio, é divertida e carismática a ponto de deixar o espectador em dúvida sobre para quem é melhor torcer.

Náufrago

 

Vivido por Tom Hanks, Chuck Noland é o único sobrevivente de um acidente que mata todos os passageiros de um Airbus A300 no Oceano Pacífico, em 1995. Ele ia dos Estados Unidos para a Malásia, a fim de resolver um problema de sua companhia, a FedEx. Os primeiros momentos dele na ilha a que consegue chegar boiando são complicados: ele se fere tentando fazer fogo, e busca mantimentos dentro dos pacotes da empresa que também resistiram ao acidente. Quatro anos depois, ele está completamente adaptado, e tem, inclusive, a companhia de um grande amigo, que ganhou notoriedade até mesmo fora dos cinemas: a bola de vôlei chamada Wilson. O filme vale sobretudo pelo inusitado de ter um único ator na tela em quase 90% de sua duração.

Um Dia a Casa Cai

 

Ignore o visual cafona e a atmosfera por vezes sexista dos anos 1980 porque o que está por trás disto vale muito a pena. Nesta comédia pastelão, ótima para dias de tédio na quarentena, Hanks é Walter Fielding Jr., que, junto com a namorada Anna Crowley, interpretada por Shelley Long (famosa pela série "Cheers"), aproveita uma oportunidade no mercado imobiliário que parece de ouro: arrematar uma mansão longe da cidade por uma bagatela. Quando se mudam, no entanto, os dois descobrem que a casa não está assim tão conservada quanto garantiu sua vendedora. E que, o que parecia ser uma pequena reforma, vai acabar se transformando em um pesadelo absoluto.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS