Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$

Entretenimento

CONFUSÃO 

Professor é acusado de racismo após se fantasiar de 'Nega Maluca' em festa junina

sexta-feira, 28/06/2019, 17:34 - Atualizado em 28/06/2019, 17:38 - Autor: null


Defensores do movimento em defesa dos negros consideram o ato racista
Defensores do movimento em defesa dos negros consideram o ato racista | Reprodução

Uma foto compartilhada no perfil oficial nas redes sociais de uma escola particular em Grande Vitória revoltou internautas e gerou polêmica na última quarta-feira (26). A imagem em questão é de um professor da instituição que se fantasiou de 'Nega Maluca', pintando o rosto de preto para participar de uma festa junina do colégio.

Após a postagem, seguidores acusaram o professor de fazer 'blackface', que é a prática de se fantasiar e colorir o rosto com tinta preta para representar personagens afros de forma exagerada. O ato é considerado, por defensores do movimento negro, racista.

CONFIRA O POST!

Reprodução
 

No Twitter, a imagem gerou discussão e dividiu opiniões. Algumas pessoas defenderam o professor, alegando que ele sempre teve uma boa conduta. Já outros, condenaram a atitude do educador.

Veja alguns comentários!

@Dah_Anna - "Então, eu entendi seu ponto de vista. Mas acredito que não devemos julgar a pessoa em um todo, por uma atitude. Entende? Somos seres humanos, nossa função é errar e julgar, infelizmente. Não tenho moral nenhuma pra julgar ninguém, olhando pra mim mesma posso dizer isso."

@rubialtoe - "Se um professor faz blackface na escola e não é repreendido pela equipe e nem os alunos percebem problema, tem alguma coisa errada com todo mundo!"

@MacondoVice - "Para aqueles que não entendem o porquê de black face ser racista aí vai uma explicação. O fato de utilizar-se de esteriótipos histórico-sociais negativos para significar o papel do negro na sociedade caracteriza sim como racismo pois reforça o estigma social dos negros no Brasil."

Após a repercussão negativas, a imagem foi retirada das redes sociais da escola.

Em nota, o colégio se defendeu e informou que os "professores tiveram liberdade criativa para escolher suas próprias fantasias no evento “UP Day Junino”, sem interferências diretas da instituição. Tão logo tomou conhecimento do fato, o professor - que, com certeza, não estava mal-intencionado - foi orientado sobre a questão. O UP se orgulha em ser uma instituição comprometida com o ensino de qualidade, pautado nos mais rígidos controles éticos e na excelência dos seus profissionais e que respeita e apoia as lutas e movimentos pela igualdade de todos".

Defensores do movimento em defesa dos negros consideram o ato racista
Defensores do movimento em defesa dos negros consideram o ato racista | Reprodução
Defensores do movimento em defesa dos negros consideram o ato racista | Reprodução

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS