Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
30°
cotação atual R$

Concursos / Federais

FIQUE ATENTO

Concurso da Polícia Federal tem organizadora definida com 1500 vagas

O edital de abertura de inscrições será publicado em janeiro.

terça-feira, 29/12/2020, 07:52 - Atualizado em 29/12/2020, 08:13 - Autor: JC Concursos


Serão 1,5 mil vagas na Polícia Federal para agentes, delegados, escrivães e papiloscopistas
Serão 1,5 mil vagas na Polícia Federal para agentes, delegados, escrivães e papiloscopistas | Agência Brasil

A banca do aguardado concurso da Polícia Federal (PF) já está definida, de acordo com informações preliminares obtidas junto ao órgão. A escolhida deve ser o Cebraspe, por dispensa de licitação. Ainda de acordo com as informações preliminares, a confirmação deve ocorrer nos próximos dias, com a publicação em diário oficial. Após este procedimento é a assinatura do contrato, que já deve ocorrer na sequência, para que o edital de abertura de inscrições possa efetivamente ser publicado em janeiro.

Ao todo serão oferecidas 1.500 vagas, todas para carreiras policiais com exigência de nível superior, com iniciais de até R$ 22.672,48. Além disso, de acordo o diretor-geral da corporação, Rolando Alexandre, deverão ser convocados mais 500 remanescentes durante o prazo de validade, no sentido de completar as 2000 vagas inicialmente anunciadas pelo presidente Jair Bolsonaro. A corporação confirma que, com as novas contratações, a PF passará a ter o maior efetivo da sua história.

A distribuição das vagas iniciais pelos respectivos cargos é a seguinte: agente (893), delegado (123), escrivão (400) e papiloscopista (84). As remunerações iniciais das categorias são de R$ 11.983,26 para agente, escrivão e papiloscopista e R$ 22.672,48 para delegado. Com a publicação do edital em janeiro, a corporação pretende aplicar as provas objetivas já no decorrer de março. Pelo menos esta é a intenção do secretário executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Tercio Issami Tokano, que encaminhou um ofício ao Ministério da Economia solicitando que a aplicação das provas objetivasocorra dois meses após a liberação do edital.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS