Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
26°
cotação atual R$

Colunistas / Repórter Diário

REPÓRTER DIÁRIO

Funcionários do Barros Barreto com Covid-19 não são atendidos nem no próprio hospital

segunda-feira, 04/05/2020, 11:15 - Atualizado em 04/05/2020, 11:24 - Autor: Repórter Diário


| Reprodução

Agora não tem mais jeito. Se até amanhã não aumentar o percentual de isolamento da população no Estado o governador Helder Barbalho decretará “lockdown” no Estado a partir de quarta-feira. Em entrevista ao canal Globonews na manhã de ontem Helder lembrou que na última sexta-feira fez um último apelo à população, reforçando que, nesse momento, a única ação efetiva para salvar vidas é ficando em casa. Ressaltou ainda que desde o dia 16 de março o governo decretou medidas restritivas de isolamento, mas pesquisas diárias mostram que o isolamento no Estado varia entre 45% e 50%, percentual baixo para o que recomenda o Ministério da Saúde e a OMS.

‘NORMALIDADE’

O fato é que muitas áreas da periferia, como comércios e pequenos empreendimentos continuam funcionando a todo vapor ao arrepio da fiscalização, como o DIÁRIO mostrou na edição do último domingo na Terra Firme. A situação piora ainda mais com o caos gerado pelas longas filas e aglomerações na porta das agências da Caixa e lotéricas com pessoas desesperadas atrás de sacar o seu auxílio emergencial. O governo está concluindo um projeto de “lockdown” que tornará radical as medidas de isolamento, que não serão para o Estado como um todo, mas para as cidades com maior grau de contaminação. Hoje, 18 municípios paraenses concentram mais de 95% dos casos de Covid-19 no Estado.

LIÇÃO

Em tempos de corporativismo estampado pelo próprio Conselho Regional de Medicina do Pará (CRM-PA), os médicos cubanos que ficaram no Pará mesmo sem trabalho após o fim do “Mais Médicos” foram agora contratados pelo Governo do Estado para reforçar o atendimento na capital e na região metropolitana. E dão aula de humanidade. Em uma postagem divulgada pela Secretaria de Saúde Pública (Sespa) no Dia do Trabalho, Ramon Pena, médico intensivista que atua no Hospital de Campanha do Hangar, prega a união entre os profissionais de saúde, reforça a disposição em ajudar os brasileiros e ainda agradece pela oportunidade de contribuir. Para refletir, no mínimo.

QUEIMADAS

Reportagens recentes na imprensa brasileira e internacional apontam uma explosão de desmatamento e fogo na Amazônia devido ao Coronavírus. No entanto, os atuais dados de satélites trazem mensagens mistas sobre esse efeito. As afirmações sobre aumento de desmatamento são geralmente baseadas em dados de janeiro e fevereiro, e algumas até dados de agosto de 2019, mas a quarentena da Covid-19 só começou em março deste ano. Usar informações de meses antes da quarentena confunde o chamado “efeito Bolsonaro” com o “efeito Coronavírus”.

A DEUS DARÁ...

Funcionários do Hospital Barros Barreto infectados pela Covid-19 não estão tendo direito sequer a atendimento imediato no próprio hospital em que trabalham, tendo que enfrentar uma verdadeira via-crúcis na busca por socorro em outros locais. A instituição, referência em doenças infectocontagiosas e braço do governo federal na área de saúde em Belém, não tem portas abertas e só realiza atendimentos através de encaminhamento pela unidade de saúde. Isso se dispor de vaga. Com a palavra o diligente Ministério Público Federal.

LINHA DIRETA

- A mania do brasileiro de se dar bem em cima da desgraça alheia não tem limites. No último sábado, espertalhões chegaram ainda de madrugada para guardar lugar na porta das agências da Caixa Econômica que abriram para pagar o auxílio emergencial do governo. Nos primeiros raios do sol, as vagas na fila eram comercializadas por valores que variavam entre R$ 50,00 e R$ 100,00.

- Já está mais do que na hora dos planos de saúde viabilizarem hospitais de campanha para ampliar seu atendimento. Nos últimos dias beneficiários deram com a cara na porta de unidades informando suspensão de atendimentos, mesmo pagando – e caro - pelo benefício. Estado e município não podem, sozinhos, arcar com tudo.

- Até ontem, a Assembleia Legislativa do Pará já tinha pelo menos três servidores mortos por Covid-19, provocando comoção entre colegas de trabalho em trocas de mensagens nas redes sociais. Um deles morreu logo depois da irmã, que também havia atestado positivo do novo Coronavírus.

- Começou a contagem regressiva para a eleição de defensor público-geral, que será realizada no dia 22 em versão on-line por causa da pandemia. Pelo menos 4 nomes postulam à sucessão de Jeniffer Rodrigues. O governador Helder Barbalho, como estabelece a legislação, é quem escolherá o nome em avaliação de lista tríplice.

- Até o final a Assembleia Legislativa deve emitir ao Tribunal de Contas dos Municípios, a partir de requerimento apresentado pelo deputado Raimundo Santos (Patriota), questionando “a eventual existência de programa específico pedagógico e de acompanhamento dos gastos realizados pelos municípios do Estado do Pará que tenham decreto de calamidade pública aprovados pela Alepa”.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS