Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
28°
cotação atual R$

Colunistas / Gerson Nogueira

FENÔMENO AZUL

Torcida remista em ranking nacional é destaque na coluna de Gerson Nogueira

quinta-feira, 26/03/2020, 09:32 - Atualizado em 26/03/2020, 12:14 - Autor: Gerson Nogueira


As principais informações do esporte
As principais informações do esporte | Arquivo/ Diário do Pará

Fenômeno no Top 10 nacional 

O ano mal começou e já foi interrompido pelas medidas de prevenção ao novo coronavírus. Com isso, o futebol também saiu de cena. Mas, enquanto a bola rolou por aqui, a força da torcida paraense foi suficiente para inserir um de nossos representantes no seleto ranking dos 10 maiores públicos dos campeonatos estaduais.

A histórica fidelidade de sua torcida garante ao Remo a sexta colocação do Top 10 das maiores médias de público dos campeonatos estaduais, segundo levantamento publicado no site Sr. Goool. Remo e Resende (J) constituem exceção na lista: são clubes que não disputarão a Série A do Campeonato Brasileiro.

Os clubes listados superam a marca de 13 mil pagantes. O Leão ocupa a sexta posição, com média de 18.145 torcedores. Participante na Série C, o Remo se posiciona à frente de Fluminense (16.993), Internacional (16.922) e Vasco (16.463), todos integrantes da Série A. Já o Resende, sem divisão nacional nesta temporada, aparece no Top 10 graças a um único jogo contra o Flamengo.

O Resende foi mandante contra o Fla, que lotou as arquibancadas e ajudou o nanico do interior a alcançar o patamar de 13.980 espectadores, colocando-se em 10º lugar no ranking organizado pelo Sr. Goool. A lista das maiores médias não inclui clubes das Séries B e D.

A Série A é dominante, com liderança do Flamengo (média de 43.301). Os paulistas aparecem em seguida com três representantes. A melhor marca é do Corinthians, com 27.509 pagantes. São Paulo (24.627) e Palmeiras (20.602) também rompem a barreira dos 20 mil pagantes. O quinto colocado – imediatamente à frente do Remo – é o Atlético Mineiro, com média de 19.088.

E, quando os números referentes a público nos estádios se estendem ao universo da Série C, a dupla Re-Pa leva ampla vantagem sobre os demais clubes classificados para disputar a Terceira Divisão 2020.

Só os tradicionais rivais de Belém superam a marca de dez mil pagantes nos estaduais entre os participantes do terceiro escalão nacional, de acordo com o site Sr. Goool.

A liderança é do Remo, com folga – 18.145 de média. O PSC é o segundo colocado, com média de 11.815 torcedores. Campeão de público no Nordeste, o Santa Cruz é o 3º colocado, mas a média é decepcionante: 4.814.

Há uma explicação. No certamente pernambucano, o Santa tem feito muitas promoções de ingressos, abusando das gratuidades. Tais entradas, que não geram receita ao clube, não entram nos levantamentos do Sr. Goool, que leva em conta apenas o público pagante.

A 4ª colocação é o Ituano, com forte contribuição dos chamados grandes paulistas. O time de Itu tem média de 3.248 espectadores. Curiosamente, dos 20 clubes da Série C, só os 13 primeiros ultrapassam a barreira de 1 mil torcedores. O Volta Redonda vem em 5º lugar, com 2.413 de média.

O Criciúma é apenas o sexto colocado, com 2.332 de média. O Vila Nova, apontado como o clube mais popular de Goiás, patina em 8º com média de 2.120 torcedores no certame estadual goiano. Outro clube tradicional, o Londrina (PR), aparece em 10º lugar, com média de 1.607. O Treze (PB) é o 11º, com média de 1.584.  

A lanterna é do São José. O clube gaúcho tem apenas 154 testemunhas de média. O Jacuipense-BA, vice-lanterna, apresenta média de 794 torcedores. Pela primeira vez na Série C, o Manaus-AM ocupa a antepenúltima colocação com média de 805 espectadores.

Exemplos não faltam, mas astros brasileiros não se coçam

Os endinheirados brasileiros têm mais um exemplo para mirar neste momento de atribulação mundial com o avanço da pandemia da Covid-19. Pep Guadiola, técnico do Manchester City, doou anteontem 1 milhão de euros (cerca de R$ 5,4 milhões), para a compra de suprimentos médicos na luta contra o novo coronavírus.

A grana foi direcionada para a Fundação Ángel Soler Daniel, que administra a Faculdade de Medicina de Barcelona. A quantia será utilizada para compra e produção de materiais e equipamentos de saúde. Vai servir também para financiar a produção alternativa de respiradores e outros itens de proteção para os profissionais de saúde.

Não satisfeito, Guardiola, que foi ídolo do Barcelona como jogador, também financia projetos de pesquisa para obter medicamentos que impeçam a transmissão da Covid-19, na qual estão trabalhando o médico Bonaventura Clotet e o pesquisador Oriol Mitjà.

O astro Lionel Messi também abriu o cofre e bancou 1 milhão de euros para apoiar o esforço geral de combate à pandemia.

Mesmo com parcas esperanças, continuamos na torcida para que Neymar e seus parças resolvam criar vergonha na cara e passem a contribuir também. 

No aperreio, clubes se mobilizam para pedir socorro à CBF

Em entrevista concedida à Rádio Clube do Pará, o presidente do PSC, Ricardo Gluck Paul, revelou que pretende mobilizar outros clubes da Série C para reivindicar uma cota à CBF que permita manter a folha salarial em dia. A falta de receita com a paralisação dos campeonatos é a maior preocupação dos clubes, quase todos sem dispor de reservas financeiras para a manutenção dos elencos.

Nessa busca de apoio, os clubes irão contar com a ajuda dos jogadores. No Papão, o capital Micael terá a missão de contatar os outros capitães para solicitar que a CBF possa contribuir com os filiados.

Ricardo acha que a CBF, com muito dinheiro em caixa, tem como ajudar: “Vamos tentar esse recurso na CBF. Importante que ela entenda o seu papel nesse momento de crise". É justo

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS