Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis


28°
R$

Baladas e Badalados

INFRAESTRUTURA

CPH constrói seis e vai reformar outros terminais hidroviários no Pará

quarta-feira, 11/09/2019, 15:30 - Atualizado em 11/09/2019, 15:29 - Autor: Com informações da assessoria


| Divulgação/CPH

A Companhia de Portos e Hidrovias do Pará (CPH) trabalha em ritmo acelerado em obras de mobilidade e infraestrutura hidroviária no Estado. No momento, a Companhia constrói seis terminais hidroviários na região do Baixo Amazonas e deve reformar, em breve, outros espaços na ilha do Marajó.

"Estamos com várias obras em ritmo avançado e a CPH tem se preocupado bastante com a acessibilidade no transporte hidroviário. Temos o dever de aproveitar a potencialidade dos nossos rios e fazer com que sejam tão utilizados quanto as nossas estradas. As obras representam mais dignidade, conforto e segurança para usuários e turistas que saem e chegam desses municípios", destaca Abraão Benassuly, presidente da CPH.

O primeiro terminal hidroviário inaugurado pela CPH este ano foi o de Terra Santa, no Baixo Amazonas, entregue no final de junho. Com financiamento da Caixa Econômica Federal, o espaço custou R$ 3.889.594 milhões e tem 744 metros quadrados de área total, somando obras civis e navais.

Em pleno funcionamento, o terminal de Terra Santa tem à disposição dos usuários carrinhos para locomoção de bagagem, banheiros, lanchonete, guichês para vendas de passagem, cadeiras confortáveis, televisores e bebedouro. Uma rampa de acesso coberta e iluminada dá acesso a um moderno flutuante coberto para atraques de embarcações. O local é administrado pela prefeitura do Município e oferece viagens diárias para as cidades de Santarém, Manaus (AM), Parintins (AM), entre outros destinos. O espaço recebe mais de 300 passageiros por dia e movimenta a economia local, já que foram criados 14 empregos diretos, e dezenas de indiretos ao redor do espaço.

Baixo Amazonas

Outros seis terminais hidroviários estão com suas construções em andamento na região do Baixo Amazonas, são eles os de Santarém, Santana do Tapará, Almeirim, Curuá, Faro e Prainha. As obras totalizam um pouco mais de R$ 82 milhões, com recursos financiados pela Caixa Econômica Federal.

Andamento de obras

 O terminal de Santarém tem 41% das obras concluídas; em Santana do Tapará (54%), Almeirim (58%), Curuá (74%), Faro (70%) e Prainha (78%). Pelo cronograma das obras, os terminais de Faro, Curuá e Prainha devem ser entregues em dezembro deste ano. Já os de Almeirim, Santana do Tapará e Santarém, em janeiro, fevereiro e maio de 2020, respectivamente.Santarém

Com previsão de entrega para maio de 2020, o Terminal Hidroviário de Cargas e Passageiros de Santarém vai melhorar a mobilidade para mais de 302 mil pessoas, e deve receber em média, cinco mil passageiros por dia. Executada pela CPH e financiada com recursos da Caixa Econômica Federal, a obra foi orçada em quase R$ 60 milhões e segue em ritmo acelerado.

"Não temos dúvidas de que será o terminal hidroviário mais moderno do Brasil. Em agosto visitamos as obras com o Governador Helder Barbalho, que pediu ainda mais celeridade da empresa na entrega da mesma. O terminal será mais uma ferramenta estratégica para o desenvolvimento da região do Baixo Amazonas, proporcionando uma melhoria no transporte para a população que também se movimenta pelos rios", completa Benassuly.

Reformas

 Além dos seis terminais hidroviários que estão construídos no Baixo Amazonas, a CPH também realiza o processo de elaboração de projetos de reforma e adequação de infraestrutura hidroviária no Estado. No total, 16 terminais estão envolvidos neste processo, sendo que dois já foram entregues e um tem concessão de uma empresa particular para operar.

Neste sentido, a CPH deve reformar, em breve, outros 13 espaços na ilha do Marajó. Em julho, durante as ações do Governo Por Todo o Pará, no Marajó, Governo do Estado, CPH e prefeituras municipais assinaram as ordens de serviço para elaboração de projetos de reforma e adequação de 10 terminais hidroviários: Cachoeira do Arari, Santa Cruz do Arari, Chaves, Melgaço, Anajás, Bagre, Afuá, Soure, Breves e Portel.

O investimento no valor de R$ 738.615,05, beneficiará os terminais de Breves, Santa Cruz do Arari, Melgaço e Soure. Enquanto que o valor de R$ 482 mil será destinado aos municípios de Afuá, Anajás, Bagre, Cachoeira do Arari, Chaves e Portel. Os prefeitos das cidades de Breves, Melgaço e Santa Cruz do Arari já entregaram a CPH os conceitos básicos dos seus projetos.

A Companhia aguarda, agora, pelos prefeitos das outras cidades marajoaras. Após os processos de elaboração destes projetos, os terminais serão reformados pela CPH futuramente. Vale lembrar que os terminais de Muaná e Ponta de Pedras estão em processo de revisão de projetos. Já o de Curralinho, a obra está em andamento, enquanto que os terminais de Gurupá e São Sebastião da Boa Vista já foram reformados. O terminal de Salvaterra tem a concessão da empresa Henvil para operar.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS