Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis


28°
R$

_

_

Escritor nordestino apresenta cordéis em homenagem ao aniversário de Belém e à Dona Onete

sábado, 12/01/2019, 12:04 - Atualizado em 12/01/2019, 13:55 - Autor:


"Com licença meu povo paraense. Em Belém eu acabo de atracar. Eu vim de Pernambuco para cá. Conhecer a riqueza paraense", assim começa o cordel escrito pelo cordelista nordestino, Ivaldo Batista, de 56 anos, que aproveitou a visita à Belém para realizar uma homenagem para a capital paraense, que completa seus 403 anos neste sábado (12). O autor de cordel, que também comemora aniversário hoje, trouxe à cidade rimas e estrofes cheias de detalhes que só são encontrados aqui, na capital do açaí, como o escritor a denomina. 



"Pela coincidência de fazer aniversário no mesmo dia que a cidade de Belém, eu pensei 'vou lá homenagear Belém e comemorar o aniversário junto'. Quando cheguei aqui, encontrei amigos de outros lugares e já planejo fazer uma festinha" declarou o escritor. 


Nascido na cidade de Carpina, em Pernambuco, Ivaldo é professor de História e lecionou em diversas escolas públicas durante 33 anos. Atualmente, ele é aposentado e tem viajado pelo país para divulgar seus trabalhos, que já somam mais de 200 folhetos publicados com temáticas diversificadas. 


 



Foto: Gabriel Caldas


A vontade de escrever sobre Belém surgiu após sua primeira visita à capital, há cerca de 30 anos. Na época, o cordelista ficou encantado com a cultura e os pontos turísticos que conheceu. Durante sua passagem, Ivaldo fez vários registros fotográficos, assim como textos falando sobre a cidade. 


"A inspiração por Belém ocorreu naturalmente. Durante a minha primeira visita, em 89, pude conhecer a cidade através de um amigo que mora aqui. Na época, tive o privilégio de conhecer diversos pontos turísticos da capital, assim como o distrito de Icoaraci, Mosqueiro, Outeiro e Salinas" disse Ivaldo.  Com o título "Belém do Pará Além do Açaí", as estrofes do cordel apresentam uma série de conteúdos que retraram a cultura da capital paraense. Entre os temas destacados no texto estão o Círio de Nazaré, o Rio Guamá, Forte do Presépio, um dos maiores clássicos do futebol no país, o RexPa, assim como pratos e bebidas típicas da região como o pato no tucupí, o tacacá e o açaí.


Veja um trecho do cordel:


"Estou aqui para cantar pra Belém


Essa terra dos peixes em um santuário


Está fazendo seu aniversário


E o Brasil todo canta parabéns


Estou aqui para celebrar também 


Só depois da festa devo seguir


Por enquanto não vou sair daqui


Estou com meu Pindaré.


Nas terras do Círio de Nazaré


Vi Belém muito além do açaí."


DONA ONETE


Além da cidade morena, o autor aproveitou a oportunidade para homenagear um dos maiores ícones da música paraense. Dona Onete, que completa 80 anos neste ano, foi a grande escolhida pelo cordelista para dar vida às rimas e estrofes.



"Eu já tinha vontade de fazer um cordel sobre uma personalidade paraense. Um amigo me apresenteou a Dona Onete com a música 'No meio do pitiú' e eu a achei interessante o trabalho dela. Como professor e por gostar dessa questão cultural, eu a vejo como uma personagem genuína, original, que mostra exatamente o que o Pará é. Eu vi na Dona Onete tudo o que a cultura paraense representa. Ouvindo as músicas dela, eu estava tendo um retrato da região. Para mim, ela é a 
representante legítima dessa cultura", destacou o escritor. 


Confira uma estrofe do cordel em homenagem à Dona Onete:


"Venho aqui ao Estado do Pará


Representando os pernambucanos 


Dona Onete fará oitenta anos


Este ano em junho vai completar


Um cordel fiz para lhe presentear 


Exaltando o gingado e o suor


Da cabloca que virou meu xodó


Eu vou deslindar seu segredo aqui.


Vinda de cachoeira do Arari


Para ser a diva do carimbó." 


Outra personalidade que também será retradada em um cordel escrito por Ivaldo é o cantor Pinduca, que para ele também é um dos maiores ícones da cultura paraense.  


COMO ENCONTRAR OS CORDÉIS


Quer conhecer o conteúdo completo dos cordéis em homenagem ao aniversário de Belém? O autor fará a distribuição de seus livretos na Praça da República, neste sábado (12). Além disso, o material ficará exposto em diversas bibliotecas públicas, como da Ufpa, Uepa, Iphan, entre outros; assim como em museus da cidade. 


Por fim, o escritor deixou uma mensagem especial em homenagem ao aniversário da cidade das mangueiras. "Eu estou aqui em Belém para desejar ao povo belenense um feliz aniversário pelos seus 403 anos, que eu chamo de 'capital do açaí'. O cordel 'Belém Além do Açaí' é a minha forma de parabenizar, é um presente para essa cidade. Feliz aniversário, Belém. Feliz aniversário, povo de Belém!", finalizou o cordelista.


Veja também:



(Paloma Lobato/DOL)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS