Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis


25°
R$

_

_

MostraMídiaMovediça reúne produção de audiovisual

sexta-feira, 07/07/2017, 11:27 - Atualizado em 07/07/2017, 11:27 - Autor:


Filmes e outras obras audiovisuais, sem restrições de tempo ou duração, e que não se encaixam em limites de categorias usadas em muitos festivais ou salas comerciais de cinema. Tudo isso foi reunido pelo Estúdio Reator para a “MostraMídiaMovediça”. Dentro da programação deste sábado e domingo, alguns títulos, como “Bailarina Fassbinder”, de Felipe Cortez, e “Umbral”, de Ana Lobato, são ainda inéditos, assim como a vídeo-performance “Black Rock”, de Nando Lima.


“A ideia principal do evento é colocar filmes e vídeos que não cabem em outras mostras. Vídeos de dança, videoarte, docs experimentais, sempre com características não muito comerciais ou fáceis de colocar no mercado. Todas são produções de artistas locais que começaram a ser exibidas no último dia 30, com um público ótimo e já esperado. São pessoas que não têm onde ver, partilhar e, principalmente, onde conversar sobre esse tipo de trabalho. Essa é uma lacuna que a gente acabou preenchendo”, comenta Nando.


Dentro desta proposta, além das exibições dos vídeos, a mostra também conta com convidados que deverão tratar de temas como modos de produção e poéticas, filmes de baixo orçamento e maneiras possíveis de realização. Na frente do Estúdio Reator, o público será recebido pela videoinstalação “e:eletrans”. No hall de entrada do Reator, a Tenda da YeYé, com vendas de cachacinha, cervejas, sucos e petiscos. No terraço ocorrerá a “Sessão Lunática”, com discotecagens de Léo Bitar e Dudu Lobato. 






“A ideia é mostrar os filmes e conversar sobre eles. Algumas pessoas convidadas fazem parte da equipe técnica e realização desses trabalhos”, destaca Nando, que assina a curadoria da mostra, em parceria com Ana e Dudu Lobato. Além deles, participam de um bate-papo hoje os convidados André Mardock, Cleber Cajun, Felipe Cortez, Marcelo Rodrigues, Armando de Mendonça, Alex Damasceno, Lucas Escócio e Pedro Rodrigues. “Apesar de você ter acesso a alguns desses trabalhos pela internet, é interessante ver lá, em tela grande, com outo tipo de som, diferente de ouvir no celular e debater com quem fez”, completa Nando.
Black Rock


Entre os vídeos que estreiam na mostra, está a cineperformance “Black Rock”, de Nando Lima, trabalho elaborado por ele desde 2015 e que fala sobre “a impermanência das coisas”, como ele próprio define, envolvendo questões filosóficas que abarcam o momento vivido agora, a chamada “era da pós-verdade”. “Fala do que a gente vive, o consumo dessas notícias que a gente não sabe de onde vêm… E como todas essas coisas vão se transformando até criar uma realidade não plausível”, explica o artista.


PROGRAMAÇÃO


Dia 07 - Sexta-Feira 


19h - e:eletrans (videoinstalação na frente do Reator)
Tenda da YeYé (no hall de entrada)
20h -Sessão Movediça (sala principal do Reator)
“Acalmia” (Direção: Ana Lobato)
Ano da produção: 2010 - Duração: 9 minutos
“Rosalina” (Direção: Ana Lobato)
Ano da produção: 2014 - Duração: 22 minutos
“Rebuçado”
Ano da produção: 2015 - Duração: 7 minutos
“Umbral” (Estreia - Direção: Ana Lobato)
Ano da produção: 2017 - Duração: 3 minutos
“Bailarina Fassbinder” (Estreia – Direção: Felipe Cortez)
Ano da produção: 2017 - Duração: 5 minutos
Segundas Intenções: conversa sobre modos de produção, poéticas, filmes de guerrilha, baixo orçamento, maneiras possíveis de realização.
22h - Sessão Lunática (no terraço do Reator)
“Em Caso de Emergência Quebre o Vidro” - inspirado na Dramaturgia de Dênio Maués
com: Dudu Lobato - set list dos anos 80/90; Pauli Banhos – locução; e Nando Lima – vídeos.


Dia 08 - Sábado


19h - “e:eletrans” (videoinstalação na frente do Reator)
Tenda da YeYé (no hall de entrada)
20h – “Black Rock” (Estreia - Performance de Nando Lima)
Ano da produção: 2017 - Duração: 70 minutos


(Lais Azevedo/Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS