Notícias / Polícia

TESTEMUNHAS

Caso Jairo Souza: primeira-dama de Bragança é interrogada

Quinta-Feira, 10/01/2019, 08:36:35 - Atualizado em 10/01/2019, 08:48:46 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Caso Jairo Souza: primeira-dama de Bragança é interrogada (Foto: Divulgação)
Jairo Sousa foi assassinado em 21 de junho do ano passado, na porta da rádio em que trabalhava, a Pérola FM (Foto: Divulgação)

A primeira-dama de Bragança, Eliena Caroline Ramalho Dias, e um ex-secretário de municipal prestaram depoimento, ontem (9), na Divisão de Homicídios, em Belém, onde falaram sobre o assassinato do radialista Jairo Sousa – morto a tiros em frente ao prédio da rádio Pérola, em junho do ano passado.

Tanto Eliena quanto o ex-secretário de Obras de Bragança, segundo a Polícia Civil, foram intimados a falar na condição de testemunhas. O teor do relato deles não foi divulgado porque as investigações seguem de forma sigilosa.

Em novembro passado, o vereador Cesar Monteiro, suspeito de ser um dos mandantes do crime, também se apresentou na Divisão de Homicídios, onde prestou depoimento acompanhado de advogados e na sequência foi encaminhado para o sistema penal do Estado. Não está confirmado se ele está em liberdade.

Além dele, outras seis pessoas já foram presas pela Polícia Civil acusadas de envolvimento na morte do comunicador, entre elas Dione Souza Almeida, de 29 anos, que seria o pistoleiro que teria atirado contra Jairo no momento em que ele chegava a rádio Pérola FM para trabalhar.

Para a Polícia Civil não está descartada que a morte de Jairo tenha sido encomendada, na verdade, por um grupo de pessoas – dentre políticos e empresários da região bragantina – que seriam alvos das denúncias do comunicador na rádio.

Na época da prisão dos envolvidos, o que se tinha apurado era que o vereador teria se aproximado de José Roberto Costa de Sousa, 48, para encomendar o assassinato do jornalista Jairo Sousa. Não foi confirmado ainda como se deu a “contratação” ou negociação com Dione Almeida, que seria quem atirou na vítima.

Também foram presos Jadson Roberto Reis de Sousa, 22, e Otacílio Antônio da Silva, 53, que é genro de José Roberto. Moisaniel Sousa da Silva, de 50 anos, e Jedson Miranda da Silva, de 22 anos, estão entre os envolvidos que também foram presos.

O CRIME

O radialista Jairo Sousa, de 43 anos, foi assassinado na madrugada do dia 21 de junho, no centro da cidade de Bragança, no nordeste paraense. O crime aconteceu na porta do prédio onde funciona a rádio Pérola FM, no exato momento em que ele chegava para apresentar mais uma edição do matinal ‘Show da Pérola’. Ele chegou a ser socorrido para o Hospital Santo Antônio Maria Zaccaria, mas não resistiu aos ferimentos.

(Diário do Pará)





Comentários

Destaques no DOL