Notícias / Polícia

BRUTALIDADE

Preso casal acusado de matar idosa após latrocínio

Sexta-Feira, 30/11/2018, 10:42:00 - Atualizado em 30/11/2018, 11:26:05 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Preso casal acusado de matar idosa após latrocínio (Foto: Marco Santos/Diário do Pará)
(Foto: Marco Santos/Diário do Pará)

Wellington Thiago Costa de Souza e Natalia Monique França Pereira foram presos num kit-net na passagem Bugarim, no bairro do Guamá, em Belém. Eles mobiliaram o pequeno apartamento com os pertences que roubaram de Maria do Socorro Lima, de 69 anos, encontrada morta dentro de casa na última segunda-feira (26).

Sem demonstrar nenhum arrependimento ou sentimento de remorso, Wellington, de 27 anos, confessou que matou com um ferro de passar roupas a costureira Maria do Socorro Lima, de 69 anos. O crime aconteceu na Avenida José Bonifácio, bairro do Guamá. O corpo da idosa foi encontrado na segunda-feira (26), e a princípio se pensou que poderia se tratar de uma morte natural. 

A suspeita de que se tratou de um crime violento partiu da inquietação dos próprios vizinhos da vítima que deram falta de vários objetos e eletrodomésticos de dona Maria. Ao tomar conhecimento das suspeitas, a equipe da Seccional do Guamá passou a investigar o caso e logo constatou que a idosa foi vítima de latrocínio.

CHAMOU O TÁXI

Apesar de Wellington Thiago afirmar que teria feito tudo sozinho, a polícia prendeu a companheira dele Natalia Monique França Pereira, de 25 anos. Ela também esteve envolvida diretamente com o crime e, segundo as investigações, foi ela quem chamou um táxi para transportar os objetos que o companheiro roubou da idosa. Dois aparelhos de TV, um aparelho de DVD, antena digital, ventilador e uma quantia em dinheiro foram apreendidos com o casal. Todo esse material pertencia a idosa. Natalia ainda estava usando o aparelho de telefone da vítima.

Thiago já teve quatro passagens pela polícia, sendo uma por roubo, outra por furto e duas por violência doméstica. Agora ele responderá também por latrocínio junto com a companheira.

Assassino confessou crime friamente e sem demonstrar arrependimento

Em entrevista ao DIÁRIO, Wellington Thiago foi enfático ao dizer que conhecia Maria do Socorro. Ele morava, inclusive, em frente a casa dela. “Eu a conheci por meio da minha ex-esposa. Ela (a vítima) costurava para a minha ex”, frisou. “Eu conhecia toda a movimentação da casa. Tudo quem fez foi só eu”, frisou o acusado, depois de prestar depoimento.

De fato, as investigações confirmaram que Thiago conhecia a vítima. Inclusive, para ter acesso ao interior da casa dela se aproveitou da amizade para com a qual a idosa tinha por ele. “O acusado pediu para a vítima costurar uma camisa para ele, porque precisava sair”, pontuou o delegado Daniel Castro. “Foi um crime premeditado”, atentou.

A idosa abriu a porta, como sempre fez toda vez que recebia clientes e amigos, mas foi surpreendida por Wellington Thiago que usou um cabo do aparelho de telefone celular para amarrar e imobilizar a vítima. Em seguida, ele bateu com o ferro de passar roupa na cabeça dela – o que pode ter ocasionado a morte da idosa.

O delegado Daniel analisou imagens de câmera de vigilância que estão instaladas próximas a residência da idosa. Um dos vídeos mostra o casal fazendo a “mudança” dos eletrodomésticos da vítima. O taxista, inclusive, já foi ouvido pela polícia.

“O Thiago morava em frente a casa da vítima e logo após o crime se mudou para outro kit-net. Ele utilizou todos os pertences da vítima para mobiliar o novo apartamento dele”, observou o delegado. O acusado foi preso na feira do Guamá. Natália estava no imóvel e nas mãos dela estava o celular da vítima – com a mesma capa, inclusive, que a idosa tinha colocado no aparelho.

Logo após a prisão dos acusados, amigos e vizinhos de Maria do Socorro Lima compareceram a Seccional, mas não deram entrevistas. Eles queriam confirmar se, de fato, os responsáveis pela morte da idosa estavam presos. “Ela era uma ótima pessoa, ajudava todo mundo. Divertida. Alegre”, descreveu uma vizinha da vítima.

(Denilson D´Almeida/Diário do Pará)





Comentários

Destaques no DOL