Notícias / Polícia

TEMPLÁRIOS

Esquema de tráfico é quebrado e dez “caem” na cadeia

Sexta-Feira, 30/11/2018, 10:25:00 - Atualizado em 30/11/2018, 10:26:10 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Esquema de tráfico é quebrado e dez “caem” na cadeia (Foto: Ricardo Amanajás/Diário do Pará)
(Foto: Ricardo Amanajás/Diário do Pará)

A Secretaria de Segurança Pública, em parceria com as Polícias Civil e Militar, deflagraram na manhã de ontem a operação Templários, que teve por objetivo desarticular um esquema de tráfico de drogas e extorsão. Foram expedidos 231 mandados de prisão, busca e apreensão em três comunidades localizadas no bairro do Aurá, em Ananindeua.

A operação Templários é um desdobramento da operação Cristo Redentor, realizada em setembro último. Nas primeiras horas do dia, 600 policiais das forças Civil e Militar foram até os conjuntos Carandiru, Aracangas e Padre Pietro, no bairro do Aurá. O Grupamento Aéreo de Segurança Pública deu suporte aos agentes, além da Superintendência do Sistema Penitenciário e o Centro de Operações Científicas Renato Chaves. A base de comando foi instalada no Instituto de Ensino de Segurança do Pará (IESP). Ao todo, 10 pessoas foram presas e levadas para a sede do Instituto de Ensino de Segurança do Pará (Iesp), sendo cinco foragidos e outros cinco presos em situação de flagrante.

“O nosso interesse é garantir que as famílias de boa índole desses locais voltem a viver em paz. Para isso, nossa Inteligência trabalhou para identificar os suspeitos e realizar as ações sem que ninguém fosse prejudicado”, disse o delegado Claudio Galeno. “Além dos flagrantes produzidos, nós também levamos a paz social para aquele ambiente, uma vez que nossa ação foi fundamentada através de denúncias sobre tráfico de entorpecentes, presença de criminosos e foragidos do sistema penal”.O coronel PM André Cunha destacou que nesses locais, era comum a prática de crimes, assaltos, extorsões e tráfico de drogas. Muitos moradores, inclusive, estariam pagando ‘taxas’ para criminosos. “Hoje conseguimos desarticular esse esquema. Agora vamos manter a presença da polícia para assegurar que essas práticas não voltem a ocorrer”, disse. No local foram apreendidos grande quantidade de armas e drogas. 

CARANDIRU

O residencial Carandiru, como é conhecido, é composto por 14 blocos de apartamentos, construído inicialmente para fazer parte do programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal, mas com a demora na entrega dos apartamentos, dezenas de famílias invadiram a área, criando brecha para ação de grupos criminosos. Entre os presos está Vanderson Heleno Amadeu de Assunção, o ‘Bolota’, apontado pela Polícia como mentor intelectual da morte do sargento Franco, em abril último.

O militar desapareceu ao sair de casa para buscar os rendimentos de um mercadinho no qual era proprietário. “A prisão dele é um avanço nas investigações do caso, mas ainda não o elucidam. Essa detenção era uma questão de honra para as polícias. Decretamos a prisão dele e, utilizando da nossa inteligência, tivemos êxito. As investigações não param. Poderíamos não ter prendido ninguém, mas só a prisão do ‘Bolota’ é uma resposta para este crime e sua resolução é uma questão de honra”, finaliza delegado Galeno.

(Luiz Guilherme Ramos/Diário do Pará)





Comentários

Destaques no DOL