Notícias / Polícia

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Corpos de 3 jovens mutiladas vivas por facção foram achados

Sexta-Feira, 09/03/2018, 15:05:30 - Atualizado em 09/03/2018, 15:12:38 Ver comentário(s) A- A+

Corpos de 3 jovens mutiladas vivas por facção foram achados (Foto: Divulgação Polícia Civil)
(Foto: Divulgação Polícia Civil)

Após intensas buscas, com apelos até do Governador do Ceará, a polícia encontrou os corpos de três mulheres que foram torturadas, mutiladas vivas e mortas na última sexta-feira, 2 de março. Elas foram achadas na manhã desta sexta-feira (9), em uma ilhota no município de Caucaia.

Os próprios criminosos filmaram a tortura e o assassinato das jovens. Em um dos vídeos, um homem aponta a arma para uma das vítimas e diz que ela deve "rasgar a camisa", termo utilizado por membros de facção para dizer que vai abandonar uma organização criminosa. Em seguida o homem atira na vítima enquanto ela implorava para não ser assassinada.

Os corpos foram encontrados após os próprios acusados do crime terem levados os policiais ao local onde as mulheres foram enterradas. As buscas pelos restos mortais se estendiam há dias, sem sucesso.

De acordo com informações do capitão do Corpo de Bombeiros, Manoel Sidney, primeiro foram encontrados uma cabeça e um braço. Após mais escavações, os restos dos corpos foram achados. Eles estavam em uma ilhota com acesso complicado por causa de um vasto manguezal.

Os corpos estavam em avançado estado de decomposição, já que foram encontrados uma semana após o crime.

Crime brutal

As vítimas foram identificadas como Ingrid Teixeira Ferreira, Nara Lima e Darciele Anselmo de Alencar. Elas foram torturadas, e tiveram membros cortados a golpes de facão enquanto ainda estavam vivas. Depois, foram decapitadas na área de mangue.

O crime só foi descoberto após a prisão de quatro envolvidos no triplo homicídio: três homens e um adolescente de 17 anos. Ainda há um quinto criminoso com suspeito de envolvimento na barbárie que fugiu após ver a movimentação da polícia.

(Com informações do Diário do Nordeste)


 







Comentários